Iimpacto da doença na atividade industrial chinesa

MERCADO


Bolsa
O Ibovespa voltou a cair na abertura da semana, com o coronavirus se espalhando para outros países e causando mais mortes na China. Notícias sobre o impacto da doença na atividade industrial chinesa vêm pesando sobre outros mercados e trazendo preocupações sobre as grandes exportadoras brasileiras. No fechamento o índice marcou queda de 1,05% aos 112.570 pontos. O giro financeiro foi de R$ 27,9 bilhões, bem acima da média. Hoje as bolsas sobem no exterior aguardando o discurso de Jerome Powell presidente de Fed e resultados corporativos de grandes empresas, tendo em contraponto as preocupações na China. A agenda econômica de hoje traz o IPC-Fipe semanal com alta de 0,19% e a 1ª prévia do IGP-M de fevereiro estável com 0,00%.

Câmbio
A moeda americana teve mais um dia de alta chegando aos R$ 4,3262 contra R$ 4,3176 na sexta-feira (+0,20%). O mercado segue buscando proteção no dólar diante das incertezas em relação ao crescimento global em função do surto de coronavírus.

Juros
Os juros futuros mostraram pouca oscilação na primeira sessão da semana, com a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 fechando a sessão regular com taxa de 4,265% ante 4,275% no ajuste de sexta-feira. A taxa do DI para jan/27 caiu de 6,55% para 6,48%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Itaú Unibanco (ITUB4)
Sólido 4T19 em linha com o esperado

O Itaú Unibanco registrou um lucro líquido recorrente de R$ 7,296 bilhões no 4T19, com crescimento de 12,6% em relação ao 4T18 (R$ 6,478 bilhões). Mais um sólido resultado trimestral em linha com nossa estimativa de R$ 7,283 bilhões. Do lado positivo destaque para o crescimento do crédito junto às pessoas físicas e micro, pequenas e médias empresas; e maiores receitas de serviços, principalmente na área de administração de fundos, investment banking, corretagem e emissão de cartões. Do lado negativo, o incremento de 1,7% nas despesas operacionais por conta do desligamento de pessoal e maiores gastos de PDD na operação da América Latina, resultando num maior custo do crédito no trimestre.

Em 2019 o lucro líquido recorrente totalizou R$ 28,363 bilhões, 10,2% superior ao lucro de R$ 25,733 bilhões de 2018, explicado pela melhora do cenário econômico e do ambiente de negócios, resultando na retomada do crédito e impacto positivo nas carteiras do banco em diferentes linhas de produtos. Ressalte-se também os bons resultados na gestão de recursos de terceiros e no banco de investimento, impulsionado por operações de mercado de capitais.

O Conselho de Administração do Itaú Unibanco aprovou o pagamento, em 06.03.2020, de (i) dividendos complementares no valor de R$ 0,4832 por ação; e (ii) juros sobre o capital próprio (JCP) complementares no valor de R$ 0,5235 por ação brutos. Esses proventos terão como base de cálculo a posição acionária final registrada no dia 20.02.2020. O retorno líquido com base na cotação de R$ 34,28/ação é de 2,7%.


Banrisul (BRSR6)
Lucro ajustado do 4T19 soma R$ 356 milhões

O Banrisul registrou no 4T19 um lucro líquido ajustado de R$ 356 milhões, com crescimento de 22% em relação ao trimestre anterior e incremento de 19% ante o 4T18. O ROAE ajustado no 4T19 foi de 19,7% acima de 16,2% do 3T19.

Seguimos com recomendação de COMPRA para a ação BRSR6 com preço justo de R$ 30,00/ação, equivalente a um potencial de alta de 54,6% ante a cotação de R$ 19,40/ação (valor de mercado de R$ 7,9 bilhões).

O lucro ajustado de 2019 cresceu 16% ante 2018 para R$ 1.274 milhões, com melhora de 1,6pp no ROAE para 16,9%. Este bom desempenho pode ser explicado por (i) menor fluxo de despesas de PDD, (ii) crescimento das receitas de tarifas bancárias, (iii) relativa estabilidade das despesas administrativas ajustadas, (iv) redução da margem financeira, e (v) consequente redução do volume de tributos sobre o lucro.


São Martinho (SMTO3)
Resultado do 3T20 (safra 2019/20) acima do esperado

A companhia registrou no 3T20 (safra 2019/20) um lucro líquido de R$ 342,9 milhões, com crescimento de 420% em relação ao lucro de R$ 65,9 milhões do 3T19 (Safra 2018/19) refletindo o forte incremento de receita com efeito na geração operacional de caixa, pela apropriação de R$ 349,0 milhões relativos a Direitos Copersucar e o efeito não caixa (IFRS 16) de R$ 12,2 milhões no trimestre.

O EBITDA ajustado totalizou R$ 541,4 milhões no 3T20 (+29,7%), com margem EBITDA ajustada de 52,6%. Esse crescimento refletiu principalmente (i) o maior volume de vendas de etanol (+17,0%), açúcar (+11,8%) e energia (+36,7%) no período, além (ii) do aumento do preço de comercialização de etanol (+6,6%) e energia (+13,9%) no trimestre;

O EBIT Ajustado somou R$ 237,7 milhões no 3T20 (+50,7%), com margem EBIT ajustada 23,1%. O incremento pode ser explicado, principalmente, pelos efeitos que impactaram positivamente o crescimento do EBITDA ajustado. O Lucro Caixa somou R$ 366,5 milhões, enquanto o Fluxo de Caixa Operacional alcançou R$ 574,6 milhões no 9M20;

Destaque para o Crédito IAA (Direitos-Copersucar) que somaram R$ 349,1 milhões no 3T20, referente à 2ª parcela do 1º precatório e 1ª parcela do 2º precatório, com efeito líquido de R$ 230,4 milhões. Em 31 de dezembro de 2019, as fixações de preço de açúcar para a safra 19/20 totalizavam o volume de aproximadamente 374 mil tons a um preço médio de R$ 1.232/ton – 100% da exposição para o 4T20. Para a safra 20/21, cerca de 513 mil tons de açúcar já estavam precificadas a aproximadamente R$ 1.263/ton.


Petrobras (PETR4)
Crescimento nas vendas no 4T19 e reversão de provisão

Na noite de ontem, a empresa divulgou seu Relatório Trimestral de Produção e Vendas do 4T19, mostrando aumento de produção expressivo no Brasil e a expansão das vendas, sustentada pelo incremento dos volumes de exportação.

  • No 4T19, a produção total da Petrobras foi de 3.025 mil barris equivalentes de petróleo (mbpd), volume 3,8% acima do trimestre anterior e 13,7% maior que no 4T18;
  • As vendas no 4T19 mostraram recuperação em relação ao 3T19 e também comparadas ao período anterior.  No mercado interno as vendas continuaram muito fracas, com destaque para a queda de 10,9% no volume vendido de diesel na comparação com o 4T18;
  • Estes números são indicadores positivos para o balanço da Petrobras no 4T19, que será divulgado em 19 de fevereiro (quarta-feira da próxima semana), após o pregão, com a teleconferência sendo realizada no dia seguinte às 10 horas;
  • Será positivo para o resultado do 4T19, a decisão da empresa, comunicada nesta manhã, de reverter uma provisão de R$ 1,3 bilhão.  Esta reversão vai ocorrer em função da decisão favorável à Petrobras em arbitragem relacionada ao Projeto Sondas da Sete Brasil, que está em recuperação judicial.

Banco Bradesco S.A. (BBDC4)
Aumento de capital e bonificação de 10% em ações

O Conselho de Administração do Bradesco está propondo Aumento do Capital Social, com reservas de lucros e bonificação em ações, que será deliberado pelos acionistas na AGE a ser realizada em 10 de março de 2020. O aumento do capital social é de R$ 4,0 bilhões, elevando-o de R$ 75,1 bilhões para R$ 79,1 bilhões, com bonificação em ações, mediante a capitalização de parte do saldo da conta “Reservas de Lucros – Reserva Estatutária”.

Serão emitidas 806.382.972 novas ações, sendo 403.191.507 ordinárias e 403.191.465 preferenciais, que serão atribuídas gratuitamente aos acionistas na proporção de 1 nova ação para cada 10 ações da mesma espécie de que forem titulares na data-base, a ser fixada após a homologação do processo pelo Banco Central do Brasil. O custo atribuído às ações bonificadas é de R$ 4,960422205 por ação ordinária ou preferencial.


BB Seguridade (BBSE3)
Dividendos relativos ao 2º semestre de 2019

A companhia comunicou a distribuição de R$ 3,79 bilhões sob a forma de dividendos, correspondente a R$ 1,898384336/ação. O montante equivale a 83% do lucro líquido apurado no 2º semestre de 2019, acrescido do saldo de dividendos prescritos relativos a exercícios passados, conforme decidido pelo Conselho de Administração em reunião datada de 18.12.2019.

Os dividendos serão atualizados pela taxa Selic, da data do balanço (31.12.2019) até a data do pagamento (27.02.2020) e terão como base a posição acionária de 13.02.2020, sendo as ações negociadas ex-dividendos a partir de 14.02.2020. O retorno estimado é de 5,3%.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.