As bolsas internacionais mostram força nesta quarta-feira mesmo com novos casos detectados do coronavírus

MERCADO


Bolsa
O Ibovespa mostrou forte recuperação ontem com alta de O dia foi positivo para 2,49%, a 115.371 pontos e giro financeiro de R$ 26,1 bilhões. A alta foi quase que generalizada no índice, apenas Cielo e Carrefour fecharam em queda. O dia de alta também para as commodities petróleo e minério de ferro. O dólar também seguiu a escalada fechando cotado a R$ 4,3308. A agenda econômica de hoje traz a produção industrial de dez/19 na zona do euro com queda de 2,1%. No Brasil, as vendas no varejo em dez/19 queda 0,01% no M/M e alta de 2,60% no A/A abaixo da expectativa. Nos EUA, nenhum dado importante para hoje. As bolsas internacionais mostram força nesta quarta-feira mesmo com novos casos detectados do coronavírus, mas com uma avaliação de que a incidência de novos casos está diminuindo na China.

Câmbio
O dólar registrou a quarta alta consecutiva batendo R$ 4,3308 no fechamento de ontem contra R$ 4,3262 no dia anterior (+0,11%).

Juros
Os juros seguem em queda com a divulgação de dados positivos de inflação e direcionamento passado pela ata do Copom. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 fechou em 4,235% (novo piso histórico), de 4,266% na segunda-feira. A taxa do DI para jan/27 terminou em 6,42% e 6,44%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Tim Participações (TIMP3)
Lucro líquido de R$ 2,1 bilhões em 2019, crescimento de 32,1% sobre 2018

O lucro líquido do 4T19 cresceu 28,7%, somando R$ 756 milhões e no ano, o resultado foi de R$ 2,1 bilhões, aumento de 32,1%. O crescimento do lucro reflete sobretudo a variação redução nos custos e despesas operacionais.
No 4T19, a dívida líquida totalizou R$ 476 milhões, queda de R$ 989 milhões comparada ao mesmo período do ano anterior, quando a dívida líquida foi de R$ 1,47 bilhão. A relação Dívida Líquida/EBITDA ficou em 0,07x no trimestre, uma redução comparada aos 0,23x do 4T18.

Ontem a ação TIMP3 encerrou cotada a R$ 16,81 com alta de 7,3% no ano e uma relação cot/VPA de 1,81x. O valor de mercado da empresa é de R$ 40,8 bilhões.


Comgas (CGAS5)
Lucro de R$ 367 milhões no 4T19 e de R$ 1,4 bilhão em 2019

A Comgas registrou no 4T19 um lucro líquido de R$ 367 milhões, representando uma queda de 57% em relação ao 4T18 (R$ 859 milhões), acumulando em 2019 um lucro líquido de R$ 1.367 milhões, com alta de 2% em relação a 2018. Em base normalizada pela conta corrente regulatória, o lucro líquido somou R$ 277 milhões no 4T19 (+3%) e R$ 1.198 milhões em 2019 (+20%).
A Comgas ultrapassou a marca de 2 milhões de clientes, conectando cerca de 104 mil novos clientes ao longo do ano de 2019. O volume ex-termo apresentou queda de 0,7% em 2019. O segmento residencial apresentou crescimento de 1% no ano, atribuído a adição de novos clientes. O volume comercial cresceu 3% no ano de 2019, acompanhando a aceleração de alguns setores. O volume industrial registrou queda de 1% em 2019, impactado principalmente pela redução nas atividades de grandes clientes no período.
Guidance para 2020. A Comgas projeta para 2020 um EBITDA normalizado entre R$ 2.250 e R$ 2.400 milhões, que se compara ao EBITDA normalizado de R$ 2.217 milhões registrado em 2019. Os investimentos previstos estão no intervalo entre R$ 900 e R$ 1.000 milhões, ante um capex de R$ 899 milhões realizado em 2019.


Eneva S.A. (ENEV3)
Celebrada Cédula de Crédito Bancário de R$ 1,0 bilhão

A Eneva celebrou ontem (11/fevereiro) Cédula de Crédito Bancário (“Contrato de Financiamento”) entre a Azulão Geração de Energia S.A., sua controlada, e o Banco da Amazônia S.A. (“BASA”), no valor de R$ 1,0 bilhão ao custo de IPCA + 1,5013%a.a., prazo de vigência de 196 meses, incluídos 24 meses de carência, vencendo em 15 de junho de 2036.

O Contrato de Financiamento foi aprovado pelo Conselho de Administração da Eneva e tem como objetivo o desenvolvimento e a construção do projeto integrado Azulão-Jaguatirica. O desembolso de recursos no âmbito do Contrato de Financiamento está ainda sujeito a determinadas condições precedentes e cronograma do Projeto.


Vale (VALE3)
Andamento do plano de descaracterização de barragens e novas provisões

A empresa informou que incluiu duas estruturas de empilhamento drenado (Doutor e Campo Grande) ao seu plano de descaracterização de barragens a montante. Com isso, a Vale vai elevar suas provisões para este tipo de obra, juntamente com outros ajustes, em US$ 671 milhões. Este valor estará contabilizado no balanço do 4T19, que será divulgado no dia 20 de fevereiro após o pregão.
• Este novo provisionamento ocorre após os estudos técnicos da Vale e da reclassificação pela Agência Nacional de Mineração (ANM) do método de alteamento das barragens de ”linha de centro” para “a montante”;
• É importante ressaltar que no balanço do 4T19, a Vale contabilizará um impairment com valor total de US$ 3,2 bilhões, referente a redução do valor recuperável dos ativos de níquel e carvão;
• A soma destes dois valores negativos, que estarão no balanço do 4T19, é de US$ 3,9 bilhões.


Eternit (ETER3)
Volta do processamento de minério na SAMA em caráter temporário

O beneficiamento do minério já extraído se dará em caráter temporário, não significa a retomada da atividade de mineração e proporcionará a exportação de cerca de 24 mil toneladas de fibra de amianto. A empresa tenta na justiça o retorno das atividades da SAMA. Ontem a ação ETER3 encerrou cotada a R$ 6,50 com alta de 52,6% no ano.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.