Petrobras – Relatório de Análise

Investor Day em Nova York

A empresa realizou na tarde de ontem em Nova York o “Petrobras Day”, tendo como foco a discussão de seu Plano Estratégico 2020-2024.  Os principais dados deste Plano já haviam sido divulgados na semana passada, mas foi uma boa oportunidade para aprofundar o entendimento dos números.  O novo Plano projeta um forte crescimento da geração de caixa, expressiva redução dos custos operacionais e de extração, além de estimativas para os dividendos nos próximos anos.  As metas constantes do Plano nos pareceram muito positivas e o foco está na elevação da rentabilidade e o aumento da remuneração aos acionistas.  Nossa recomendação para PETR4 é de Compra com Preço Justo de R$ 34,50/ação (potencial de alta em 16%).

  • Produção: A meta para 2020 é uma de 2,7 milhões de barris ao dia (mbpd), semelhante à de 2019.  Para 2021, a produção deve subir para 2,9 mbpd, indo a 3,1 mbpd em 2022, 3,3 mbpd em 2023 e 3,5 mbpd em 2024;
  • Política de dividendos: A nova política prevê o pagamento de 60% da diferença entre o Fluxo de Caixa Operacional e os investimentos.  Isso vai acontecer quando a dívida bruta estiver igual ou menor que US$ 60 bilhões, o que deve ocorrer a partir de 2021.  Até lá os dividendos devem ser de US$ 2 bilhões relativos aos resultados de 2019 (R$ 0,64 por ação – considerando a taxa de câmbio atual) e US$ 3 bilhões (R$ 0,97 por ação) em 2020 e 2021;
  • Desinvestimentos: O valor destas vendas, estimado entre US$ 20 bilhões a US$ 30 bilhões no período do Plano, foram centrados em: 50% da capacidade de refino, transporte e distribuição de gás, ativos em terra e águas rasas, distribuição de GLP, usinas térmicas, gasodutos offshore e ativos na América do Sul.  Adicionalmente, podem ser negociados: BR Distribuidora (restante da participação), Braskem e ativos no pós sal;
  • EBITDA: Para 2020, na dependência da taxa de câmbio e preço do petróleo, pode variar entre US$ 25,4 bilhões (câmbio em R$ 3,50/US$ e Brent a US$ 50/b) até a US$ 40,9 bilhões (R$ 4,10 e US$ 70/b).  Na faixa bastante provável de dólar a R$ 4,10 e Brent em US$ 60/b, o EBITDA atingirá R$ 34,3 bilhões em 2020 (foi US$ 31,5 bilhões em 2018);

Clique para acessar:

DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora.

As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.