Petrobras Distribuidora – Relatório de Análise

Ganhos esperados com a nova condição de empresa privada

A Petrobras (BR) Distribuidora obteve no 2T19 um resultado melhor que no mesmo período do ano passado, mas pior que no 1T19.  As práticas comerciais destinadas à retomada de parcelas do mercado perdidas no trimestre anterior e a queda nos preços dos derivados no período, prejudicaram muito os resultados do 2T19.  A empresa já revisou sua política de preços, o que deve impactar a rentabilidade no 3T19.  Um ponto importante para os resultados da BR Distribuidora nos próximos trimestres, será as facilidades dadas pela nova condição de empresa privada, o que deve trazer impactos sensíveis nos custos, assim como ocorreu em outras ex-estatais.  Com isso, reiteramos nossa recomendação de Compra para BRDT3, com Preço Justo de R$ 31,00/ação, indicando um potencial de alta em 14,4%.

  • Queda na rentabilidade das vendas: Um dos fatos mais importantes do resultado do 2T19, foi a queda na rentabilidade aferida pelo EBITDA/M³ vendido.  Houve uma redução de 37,2%, comparado ao 1T19, em função de perdas nos estoques com a queda dos preços na refinaria e uma política de redução de margens para ganho de market share, desenvolvida durante parte do trimestre.  Para os próximos trimestres este número, que caiu para R$ 50/M² no 2T19, deve retornar para uma faixa entre R$ 60/m³ a R$ 65/m³;
  • Privatização: A Petrobras encerrou recentemente a venda de 33,75% de sua participação na BR Distribuidora, ficando agora com 37,50% das ações.  Com isso, a empresa deixou tecnicamente de ser estatal, o que facilita em muito sua administração.  Entre as principais mudanças que a privatização trouxe, temos as seguintes: mais agilidade na venda de terrenos (postos e bases), facilidade na realização de parcerias estratégicas, possibilidade do desenvolvimento de uma política de remuneração atrelada aos resultados, revisão em todos os contratos (R$ 3 bilhões) e na compra e contratação de serviços (R$ 1 bilhão ao ano).  Espera-se que a empresa possa reduzir substancialmente seus custos com estas novas possibilidades dadas pela privatização;
  • Novo Conselho de Administração: Nos próximos dias será convocada uma Assembleia Geral para eleger o novo Conselho de Administração.  O novo Conselho terá nove membros, sendo apenas três indicados pela Petrobras;
  • Dividendos: A empresa pagou em maio a primeira parcela dos proventos relativos ao exercício passado (R$ 1 bilhão), sendo que o valor remanescente (R$1,5 bilhão – R$ 1,29 por ação), será pago até 31/outubro de 2019.  Este valor permitirá um retorno de 4,8% para os acionistas, considerando a última cotação de BRDT3.

 

Clique para acessar:

DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora.

As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.