Boletim Diário – 17 de julho 2018

MERCADO

Bolsa

Ontem o Ibovespa fechou com leve alta de 0,08% aos 76.653 pontos, e giro financeiro de R$ 12,35 bilhões, incluso R$ 4,0 bilhões do exercício de opções sobre ações. Na agenda de hoje poucos destaques. No Brasil nada relevante, e nos EUA a produção industrial de junho e a fala do presidente do Fed Jerome Powell. Bolsas chinesas em baixa com resfriamento da economia. Demais bolsas operam perto da estabilidade. Com o cenário político ainda indefinido, as referências domésticas seguem em torno de indicadores econômicos e noticiário corporativo.

Câmbio

Após manhã mais volátil, o dólar se firmou em alta na parte da tarde e subiu 0,34%, terminando o dia em R$ 3,8627. A liquidez foi menor quando comparada aos dias anteriores e refletiu a cautela dos investidores.

Juros

Ontem, os juros futuros de curto e médio prazo fecharam em queda, enquanto nos contratos longos as taxas exibiram viés de alta, em dia de liquidez reduzida. A redução dos juros mais curtos refletiu um nível de atividade econômica ainda fraca. Nos longos, seguem pesando as preocupações com o quadro fiscal e eleitoral. A taxa do DI para janeiro de 2019 fechou em 6,780%, de 6,824% no ajuste de sexta-feira. A taxa do DI para janeiro de 2020 caiu de 8,22% para 8,20% e a do DI para janeiro de 2021, de 9,22% para 9,18%.



ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

PETROBRAS (PETR4)
Produção em junho

A Petrobras produziu no Brasil uma média de 2.034,6 mil barris por dia (mbpd) em junho, que foi 1,5% abaixo de maio e 4,2% inferior à quantidade verificada no mesmo mês do ano passado.  A produção da Petrobras tem caído sistematicamente nos últimos meses, em função de manutenções nas plataformas e da venda de ativos.

EDP ENERGIAS DO BRASIL S.A. (ENBR3)
Energia distribuída cresce 3,2% a/a no 2T18
A EDP Energias do Brasil divulgou ontem (16/julho) as informações referentes ao mercado de energia elétrica do 2T18 dos seus segmentos de atuação, com crescimento em todos eles.

  • O volume de energia distribuída cresceu 3,2% no 2T18, sendo +4,3% na EDP São Paulo e +1,5% na EDP Espírito Santo, com destaque para o crescimento de 4,2% da classe Industrial.
  • O número de clientes livres, nos últimos 12 meses, aumentou 17,6% em função das migrações dos clientes cativos para o mercado livre.
  • A companhia tem realizado medidas de proteção do seu portfólio. Ao final do 2T18 a EDP tinha 16% de sua energia “hedgeada” para 2018. No trimestre, o GSF médio foi de 85,3% sendo que no acumulado do ano, o GSF médio foi de 98,9%.
  • O volume de energia vendida pelas usinas hídricas foi de 1.780 GWh, com crescimento de 6,6% em relação ao 2T17. Na geração térmica o volume atingiu 1.343 GWh.
  • O volume de energia comercializada no 2T18 e no 1S18 foram, respectivamente de, 4.397 GWh e 8.482 GWh após aumento de 15,2% e de 22,1%.


VALE (VALE5)
Produção e vendas em junho

A Vale publicou ontem seu Relatório Trimestral de Produção e Vendas do 2T18, mostrando um forte aumento no volume produzido de minério e pelotas, que são os principais produtos da empresa.  Este incremento de vendas, combinado com a taxa de câmbio mais elevada, são sinais positivos para o resultado operacional da empresa no 2T18.

ÂNIMA (ANIM3)

A Ânima comunicou a aquisição das instituições CESUC Educação S.S. e da Sociedade Catalana de Educação, as quais são respectivamente mantenedoras do Centro de Ensino Superior de Catalão e das instituições denominadas Faculdade CESUC e Faculdade de Tecnologia de Catalão.

  • Valor da transação: R$ 31,250 milhões;
  • A forma de pagamento dar-se-á: entrada de R$ 10,00 milhões, pagos no fechamento da operação, e R$ 21,25 milhões, a serem pagos em 5 prestações anuais, corrigidos por inflação, além de um contrato de locação de longo prazo dos imóveis onde estão instaladas as instituições;
  • A transação ainda prevê um pagamento de até R$ 1,25 milhão de earn-out, a ser quitado entre 2019 e 2021;
  • A transação tem data de fechamento prevista em 01 de agosto de 2018.

CYRELA (CYRE3)

A Cyrela registrou prévia operacional positiva, com elevação no volume de lançamentos, evolução nas vendas líquidas e com as vendas sobre oferta (VSO) de 12 meses em 37,9% superior àquela registrada no mesmo período do ano anterior e maior em 35,2% em relação ao 1T18.

Lançamento:

  • O volume de lançamentos encerrado no trimestre foi de R$ 981 milhões (+ 53,2%);
  • No acumulado do ano os lançamentos atingiram R$ 1,41 bilhão (+13,1%);
  • No acumulado do ano, o volume permutado foi de R$ 62 milhões (R$ 16 milhões no 6M17);

Vendas:

  • As vendas líquidas no trimestre somaram R$ 1,1 bilhão (+40,3%);
  • No acumulado do ano as vendas somaram R$ 1,6 bilhão (31,2% a/a);
  • A participação da Cyrela nas vendas contratadas foi de 66% vs. 75% no 2T17;

VSO:

  • O VSO de 12 meses foi de 37,9%, acima do VSO 12 meses apresentado no mesmo trimestre o ano anterior (30,8%) e superior ao VSO apresentado no 1T18 (35,2%).

Clique para acessar o Boletim Diário Completo:

Boletim Diário – PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações


Mapa de Posições Alugadas




DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora.
As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.