Ibovespa encerra junho com valorização de 6,16% assumindo sua melhor marca (126,2 ,il pontos)

Ibovespa encerra junho com valorização de 6,16% assumindo sua melhor marca (126,2 mil pontos)

MERCADO


Bolsa
O Ibovespa teve mais um dia positivo escalando o recorde do dia anterior e encerrando maio na marca de 126.216 pontos (+0,52%). No mês, o índice valorizou 6,16%, um desempenho expressivo, se considerados todos os problemas que rondaram os mercados no período. O giro financeiro de ontem ficou em R$ 25,3 bilhões (R$ 19,7 bilhões à vista), reduzido pelos feriados nos EUA e no Reino Unido. A agenda econômica de hoje vem carregada de indicadores, com dados importantes já divulgados na Europa. Saiu a taxa de desemprego de abril em 8,0% ligeiramente inferior às expectativas, o PMI manufatura com melhora no indicador, e o IPC dentro das expectativas. No Brasil, destaque para o PIB do 1º trimestre que sai ainda nesta manhã, e pode ser mais uma referência para a bolsa. A agenda completa com dados dos EUA. O petróleo e o minério de ferro já começam junho com alta forte, mais um referencial para as bolsas. As principais bolsas mundiais mostram alta firme neste 1º de junho.  A alta das commodities reflete as preocupações com a oferta de petróleo, que deverás ser direcionada na reunião da OPEC hoje, em meio à retomada das economias.

Câmbio
A moeda americana registrou o segundo mês consecutivo de queda, desta vez motivada pela expectativa de melhora na economia brasileira. Ontem o dólar fechou a R$ 5,2191 ante R$ 5,2255 no dia anterior (- 0,12%). No mês a desvalorização da moeda americana foi de 4,03% vindo de R$ 5,4381 no fechamento de abril.

Juros
As taxas de juros futuros encerraram o dia com viés de alta com o contrato do Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/22 passando de 5,041% na sexta-feira a 5,06% e para jan/27 a taxa avançou de 8,434% a 8,47%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Petrobras (PETR4)
Conclusão da venda da Eólica Mangue Seco 2

Após o pregão de ontem, a empresa informou que concluiu a venda de toda sua participação (51%) na Eólica Mangue Seco 2 – Geradora e Comercializadora de Energia Elétrica S/A (Eólica Mangue Seco 2), para a Mangue Seco Participações S/A, investida do Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia Pirineus.  Este fundo já era sócio com 49% do capital.

·       O valor do negócio, após os ajustes, ficou em R$ 34,2 milhões, mas inicialmente foi anunciado em R$ 32,97 milhões;

·       Apesar de se tratar de uma pequena operação, o seguimento do programa de desinvestimentos da Petrobras é sempre uma boa notícia.


CCR (CCRO3)
Homologação do leilão das concessões das Linhas 8 – Diamante e 9 – Esmeralda

A empresa anunciou na noite de ontem, que foi publicada a homologação da concorrência na qual o Consórcio ViaMobilidade foi vencedor da concessão por 30 anos das Linhas 8 – Diamante e 9 – Esmeralda da rede de trens metropolitanos de São Paulo.  O consórcio ViaMobilidade é formado pela CCR (80% de participação) e a RuasInvest Participações S/A (20%).

·       O seguimento do processo para a assunção desta concessão é uma notícia positiva para a CCR, que precisa renovar seu portfólio;

·       Este leilão foi realizado no dia 20 de abril de 2021 e o consórcio ViaMobilidade ofereceu um ágio de 202% (R$ 980 milhões) sobre o preço mínimo da outorga fixa.  Durante o período da concessão o consórcio deve investir R$ 3,4 bilhões, sendo R$ 2,6 bilhões nos seis primeiros anos.  Os investimentos serão para modernizar 35 estações e construir duas novas.


Itaúsa S.A. (ITSA4)
Compromisso de investimento adicional na Aegea Saneamento

A Itaúsa e os demais acionistas da Aegea Saneamento e Participações S.A. (Aegea) acordaram a realização de investimento adicional pela Itaúsa por meio de (i) aporte de capital com emissão de ações preferenciais classe D da Aegea, sem direito a voto e conversíveis em ações ordinárias, e (ii) aporte de capital com emissão de ações preferenciais classe A com direito a voto nas SPEs criadas.

O investimento adicional a ser realizado pela Itaúsa totalizará R$ 1.212 milhões, sendo R$ 1.110 milhões referentes às ações preferenciais classe D da Aegea e R$ 102 milhões referentes às ações preferenciais classe A das SPEs, as quais serão subscritas na data de fechamento da Operação e nas condições a serem estabelecidas nos acordos definitivos.

Com o fechamento das transações a Itaúsa passará a deter 10,20% do capital votante da Aegea, 34,57% do total das ações preferenciais classe D da Aegea, e 5,54% do total das ações preferenciais classe A das SPEs.

 

Emissão de debêntures. A Itaúsa comunica, ainda, que seu Conselho de Administração aprovou a 4ª emissão de debêntures não conversíveis em ações, no montante de R$ 2,5 bilhões, que serão utilizados, majoritariamente, para aquisição de ações e aporte de capital na Aegea e o remanescente para aporte de capital nas SPEs, via integralização de ações.

 

Aprovação da cisão da participação na XP detida pelo Itaú Unibanco e criação da XPart. Com relação à reorganização societária envolvendo o investimento do Itaú Unibanco na XP Inc., o Federal Reserve Board (“FED”) manifestou-se favoravelmente em relação à segregação do referido investimento. Como próximo passo, a Itaúsa aguarda que a operação de segregação seja homologada pelo Banco Central do Brasil.


Cosan S.A. (CSAN3)
Contrato de Investimento na Compass

A Cosan comunicou nesta segunda-feira (31/05) que celebrou um Acordo de Investimento com Atmos Ilíquidos 1 Fundo de Investimento em Ações, Atmos Master Fundo de Investimento em Ações, Manzat Inversiones Auu S.A. e Ricardo Ernesto Correa da Silva.

Através desse Acordo os Investidores se comprometem a subscrever o montante de R$ 810 milhões via aumento de capital da Compass Gás e Energia S.A., subsidiária da Cosan, por meio da emissão de novas ações preferenciais representativas de 4,68% do capital da Compass.

De acordo com o comunicado a transação teve como base um Equity Value pre-money da Compass de R$ 16,5 bilhões. A transação estará sujeita às condições precedentes de praxe, incluindo a listagem da Compass como emissor na B3 e a admissão à negociação das ações preferenciais, a serem emitidas exclusivamente para essa transação.

Em outro comunicado realizado ontem (31/05) depois do fechamento do mercado, a Raízen Combustíveis S.A. (“RCSA”) e a Raízen Energia S.A. (“RESA”) optaram por descontinuar a divulgação das projeções financeiras (guidance) para 2021.

Tal decisão se motivou, especialmente, pela necessidade de alinhamento de sua política de divulgação de projeções com os procedimentos adotados por seus auditores independentes e demais consultores, no âmbito de eventual oferta pública de distribuição de ações da RCSA.

Adicionalmente, a RCSA declarou a intenção de protocolar perante a CVM, nos próximos dias, pedido de registro de oferta pública de distribuição de ações preferenciais com listagem no segmento de listagem “Nível 2” da B3.


Energisa S.A. (ENGI11)
Sentença arbitral favorável à companhia

A Energisa comunicou ontem (31/05) o cumprimento, pela São João Energética S.A. de sentença proferida em procedimento arbitral sigiloso (“Sentença Arbitral”) movido pela Energisa S.A. e sua controlada Energisa Soluções S.A. Desta forma, em cumprimento da Sentença Arbitral, a Energisa recebeu o montante de R$ 207,7 milhões.


 

Se preferir, baixe em PDF:

Ibovespa encerra junho com valorização de 6,16% assumindo sua melhor marca (126,2 mil pontos)

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.