Ibovespa sobe 1,97% acompanhando as bolsas internacionais novamente

MERCADO


Bolsa
As bolsas tiveram mais um dia alta firme no exterior e no Brasil, com os mercados enxergando como positiva a chance de vitória de Joe Biden. Em Nova York os ganhos chegaram a 3,85% no fechamento do Nasdaq e o Ibovespa encerrou em alta de 1,97%, aos 97.867 pontos.  Com a vantagem assumida por Biden e uma decisão esperada para esta quinta-feira, as bolsas internacionais seguem em ritmo de alta nos principais mercados e os futuros de NY mostrando também continuidade do comportamento de ontem. Com isso o Ibovespa pode ter mais um dia positivo. A agenda econômica de hoje traz dados de vendas no varejo em setembro na zona do euro abaixo da expectativa do mercado e nos EUA saem diversos indicadores: mercado de trabalho, nível de conforto do consumidor, decisão da taxa de juros pelo Fomc, etc, mas o foco segue no resultado da eleição presidencial nos EUA.

Câmbio
A alta da bolsa com maior apetite ao risco, ditou o ritmo dos negócios no mercado de câmbio com o dólar cedendo de R$ 5,7520 para R$ 5,6665, queda de 1,4%.

Juros
O mercado de juros que vinha com pressão de alta, ontem registrou recuo nas taxas do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI). Para jan/22 a taxa caiu de 3,536% para 3,46% e para jan/27 houve recuou a 7,54%, de 7,694%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Banco do Brasil (BBAS3)
Lucro líquido ajustado de R$ 3,5 bilhões no 3T20 em linha com o esperado

O Banco do Brasil registrou no 3T20 um lucro líquido ajustado de R$ 3,5 bilhões no 3T20 (ROAE de 12,0%) com crescimento de 5,2% em relação aos R$ 3,3 bilhões (ROAE de 11,9%) do 2T20. Um resultado em linha com o que esperávamos e que refletiu a queda de 1,5% da margem financeira líquida (impactada pela redução de 6,8% da PDD ampliada); aumento de 4,5% das receitas com prestação de serviços; e o controle de custos com redução de 0,2% das despesas administrativas e das despesas com risco legal. Quando comparado ao lucro de R$ 4,5 bilhões do 3T19 (ROAE de 18,0%), a queda foi de 23,3% explicada principalmente pelo aumento do custo do crédito dado a constituição de PDD prudencial..

No comparativo de 9M20 ante os 9M19, o lucro líquido ajustado apresentou um decréscimo de 22,9% para R$ 10,2 bilhões (ROAE de 12,0%) influenciado principalmente pelo aumento do custo do crédito e a redução das receitas de serviços. Nesta base de comparação as despesas administrativas cresceram 2,3% em percentual abaixo da inflação e a margem financeira bruta cresceu 7,1%.

O Conselho Diretor do BB aprovou a distribuição de R$ 555,7 milhões, equivalente a R$ 0,19477374027/ação, na forma de juros sobre o capital próprio (JCP) complementar. O JCP será pago em 27/11/2020, tendo como base a posição acionária de 16/11/2020, sendo as ações negociadas ex-juros a partir de 17/11/2020. O retorno líquido é de 0,55%.

Seguimos com recomendação de COMPRA e Preço Justo de R$ 47,00/ação que representa um potencial de alta de 55,0% em relação à cotação de R$ 30,32/ação (valor de mercado de R$ 86,9 bilhões). Este ano a ação BBAS3 registra queda de 40,8%.


Ecorodovias (ECOR3)
Um bom resultado no 3T20

Após o pregão de ontem, a empresa divulgou seus números do 3T20, que mostraram recuperação no tráfego, ganho de margem operacional e um incremento no lucro.

· A Ecorodovias obteve um lucro líquido ajustado no 3T20 de R$ 89 milhões (R$ 0,16 por ação), valor 5,9% acima do trimestre anterior e 53,2% maior que o resultado positivo obtivo no mesmo trimestre do ano passado;

· No 3T20, o tráfego total comparável (sem contar Eco135 e Eco050) caiu 4,8%, sempre comparando ao mesmo trimestre de 2019. Esta redução foi determinada pela queda de 10,8% na movimentação de veículos leves, dado que nos pesados houve um aumento de 1,8%;

· A tarifa média cresceu 1,4% em doze meses, ficando em R$ 8,50 no 3T20. O destaque positivo no período foi o aumento de 4,2% na tarifa média da Ecovias dos Imigrantes, em função de mix melhor, com predominância dos veículos pesados. Por outro lado, o destaque negativo foi a redução de 11,8% na tarifa da Eco 101, devido à redução determinada pelo reequilíbrio contratual.


Ultrapar (UGPA3)
Forte recuperação dos resultados no 3T20

A empresa divulgou seus resultados do 3T20 na noite de ontem, mostrando ainda números inferiores aos do mesmo período do ano passado, puxados pela Ipiranga (principal empresa do grupo). Em relação ao 2T20, houve uma forte recuperação da Ipiranga, evidenciando que o mercado de distribuição de combustíveis está sendo muito beneficiado pelo fim das restrições à movimentação. As outras empresas do grupo continuam mostrando lucros em expansão.

· O lucro líquido consolidado da Ultrapar no 3T20 foi de R$ 277 milhões (R$ 0,25 por ação), mais de cinco vezes maior que no trimestre anterior, mas 9,8% abaixo do 3T19;

· O resultado da Ipiranga no 3T20 ainda mostrou o impacto das medidas de isolamento social, sempre comparando ao mesmo trimestre do ano passado. No 3T20, as vendas da empresa tiveram quedas de 16,6% nos combustíveis do ciclo Otto (gasolina, etanol e GNV) e 5,3% no volume de diesel, levando a uma redução de 10,6% no volume total vendido. Porém, a redução de custos e despesas, principalmente pessoal e frete, permitiu um ganho de 0,3 ponto percentual na margem bruta e praticamente a manutenção da EBITDA (-0,1 pp). Assim, o EBITDA da Ipiranga foi de R$ 566 milhões, 16,7% menor que no ano passado.


Vale (VALE3)
Nova negociação exclusiva para a venda da VNC

Ontem à noite, a empresa informou que sua subsidiária Vale Canada Limited celebrou um contrato de exclusividade por 30 dias com um consórcio para negociar a venda de sua participação na Vale Nouvelle-Calédonie S.A.S. (VNC). Este consórcio é formado por membros da diretoria e empregados da VNC, além da empresa Trafigura, apoiados pelos governos da Nova Caledônia e da França.

· A possibilidade da venda da participação da Vale nesta empresa é uma boa notícia, dado que a VNC apresentou resultados negativos por um longo tempo. Nos primeiros nove meses de 2020, o EBITDA da VNC foi negativo em US$ 116 milhões, sendo que no 2T20, a Vale realizou um impairment de US$ 314 milhões relativo a esta operação;

· A possibilidade da venda da participação da Vale nesta empresa é uma boa notícia, dado que a VNC apresentou resultados negativos por um longo tempo. Nos primeiros nove meses de 2020, o EBITDA da VNC foi negativo em US$ 116

milhões, sendo que no 2T20, a Vale realizou um impairment de US$ 314 milhões relativo a esta operação.


Minerva (BEEF3)
Memorando de entendimentos não vinculante com o conglomerado chinês Greenland Global Commodity Trading Hub Group (“Greenland”)

A Minerva confirmou ontem (4/11) que celebrou memorando de entendimentos não vinculante com o conglomerado chinês Greenland Global Commodity Trading Hub Group (“Greenland”), com intuito de explorar oportunidades comerciais no mercado chinês, em particular na importação e distribuição de carne bovina na China, por meio da constituição de uma joint venture.

A celebração do memorando de entendimentos está em linha com a estratégia da companhia de maximizar seus canais de distribuição na China e ocorre, concomitantemente, às demais estratégias de negócios da Minerva.

Ao preço de R$ 9,93/ação equivalente a um valor de mercado de R$ 5,4 bilhões, a ação BEEF3 registra queda de 22,7% este ano. O Preço Justo de R$ 14,00/ação traz um potencial de alta de 41,4%.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.