Ibovespa sobe 2,16% em dia de eleição nos EUA

MERCADO


Bolsa
Na volta do feriado e em dia de eleição nos EUA, o Ibovespa seguiu o bom humor das bolsas internacionais e fechou com ganho de 2,16% aos 95.980 pontos, com giro financeiro de R$ 31,8 bilhões (R$ 26,0 bilhões no à vista). Hoje as atenções seguem voltadas para a apuração de votos nos EUA, com a disputa ainda em aberto. A expectativa dos mercados é que passada a eleição nos EUA e para as prefeituras, no Brasil, as coisas possam andar tanto lá fora quanto no Brasil. O petróleo sobe novamente nesta quarta-feira, com a alta de ontem ajudando as ações da Petrobras, com boa contribuição para a alta da bolsa. Hoje os mercados ficarão sob a influência das notícias dos EUA. A agenda econômica já trouxe o IPC-Fipe mensal (out) com alta de 1,19% e teremos ainda a produção industrial de setembro e as vendas de veículos divulgadas pela Fenabrave. Nos EUA e Europa, o PMI de setembro, além de outros dados. As bolsas internacionais operam com predomínio de alta na zona do euro e os futuros de NY oscilam em função do noticiário da eleição

Câmbio
O dólar subiu de R$ 5,7444 para R$ 5,7520 (+ 0,13%) em dia de muitas incertezas, mas com investidores buscando posicionamento no mercado de ações e meio ao processo eleitoral nos EUA.

Juros
O mercado de juros começou novembro com taxas em alta, refletindo a leitura da ata do Comitê de Política Monetária (Copom) com a expectativa que, se mantido ritmo de inflação e descontrole, a taxa Selic pode voltar a subir em breve. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2022 subiu de 3,465% no ajuste de sexta-feira para 3,51% no fechamento da sessão estendida. A taxa do DI para janeiro de 2027 subiu de 7,574% para 7,69%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Tim (TIMS3)
Queda de 21% no lucro líquido do 3T20, somando R$ 390 milhões, com base comparativa inflada por não recorrente

A TIM divulgou os resultados do 3T20 com lucro líquido normalizado de R$ 390 milhões, queda de 21% em relação ao 3T19. No entanto, o lucro poderia ter sido 60% maior se não fosse o descasamento na contabilidade de itens tributários, informou a operadora.  A companhia ressalta que no 3T19 foi contabilizada a declaração de juros sobre capital próprio, que gerou um crédito fiscal e inflou o lucro naquele período, levando a uma base de comparação mais alta. Em 2020, esse efeito ficou para o quarto trimestre. Ou seja, no 4T20 o efeito deverá refletir positivamente em cima do 4T do ano passado.

Ontem a ação TIMS3 encerrou cotada a R$ 11,64 com queda de 24,0 no ano.


Hapvida (HAPV3)
Aprovação de desdobramento das ações na razão de 5 para 1

O conselho de administração da Hapvida aprovou a proposta de desdobramento da totalidade de suas ações na razão de cinco ações ordinárias para cada ação, sem modificação do capital social. Assim, quem atualmente tem um papel ON da companhia passará a ter cinco. A proposta será submetida à Assembleia Geral Extraordinária (AGE) em 19 de novembro. Segundo a empresa, o principal objetivo aumentar a liquidez das ações no mercado e possibilitar um ajuste na sua cotação, tornando o preço por ação mais atrativo e acessível a um número maior de investidores.  Ontem a ação HAPV3 encerrou cotada a R$ 65,33.


Grupo Dimed – Panvel (PNVL3 e PNVL4)
Convocada AGE para migração para Novo Mercado

Ontem, o conselho de administração do Grupo Dimed, controladora da rede de farmácias Panvel, autorizou a convocação de Assembleia Geral Extraordinária (AGE) e Especial (para acionistas preferencialistas) para deliberar sobre a conversão de ações preferenciais em ações ordinárias da companhia na razão de 0,8 de ação ON para cada uma ação PN convertida.  Os acionistas também deve decidir sobre a migração da companhia para o Novo Mercado.

Em fato relevante, a empresa informa ainda já ter aprovado a submissão imediata do pedido de adesão ao segmento especial de governança corporativa do Nível 2 da B3.

A solicitação do ingresso no Novo Mercado será feita caso a unificação das classes de ações seja aprovada nas assembleias, ainda sem data definida.

Ontem a ação PNVL3 encerrou cotada a R$ 20,29 com desvalorização de 7,1% em um mês e a PNVL4 fechou a R$ 16,18 com perda de 13,2% em um mês.


Marcopolo (POMO4)
Um péssimo resultado no 3T20

Na noite de ontem, a empresa divulgou seus números do 3T20, mostrando queda nas vendas, que somadas a despesas não recorrentes levaram a um grande prejuízo. Vale lembrar que o resultado do trimestre passado só não foi negativo por conta de ganhos não recorrentes no valor total de R$ 57 milhões.
• No 3T20, a Marcopolo sofreu um prejuízo de R$ 57 milhões (R$ 0,06 por ação), revertendo o pequeno resultado positivo de R$ 1 milhão do trimestre anterior e os R$ 23 milhões de lucro no 3T19;
• As vendas da Marcopolo (Unidades Registradas na Receita) no 3T20 foram de 3.399 unidades, com queda de 14,4%, sempre comparando ao mesmo trimestre de 2019. As vendas a partir do Brasil caíram 6,8%, com quedas de 7,3% nas unidades entregues para o mercado interno e de 0,6% nas exportações. No exterior, houve diminuição de 47,0% no total, quando 333 unidades foram entregues;
• A baixa margem operacional e as despesas não recorrentes levaram a um inusitado EBITDA negativo de R$ 24 milhões, contra um valor positivo de R$ 60 milhões no 3T20. Desconsiderando os itens não recorrentes, o EBITDA no 3T20 seria de R$ 72,4 milhões, com uma margem de 8,7%, melhor que os 5,6% do 3T19.


Ecorodovias (ECOR3)
Tráfego continua melhorando

A empresa divulgou ontem seus números gerenciais de tráfego, que continuam mostrando uma recuperação paulatina. A movimentação de veículos nas nove concessões da Ecorodovias foi muito afetada, principalmente no 2T20, pelas medidas de combate à pandemia de Covid-19.
• Os dados apresentados ontem são uma boa notícia, indicando melhores resultados para a Ecorodovias no 4T20;
• Entre o início da quarentena (16 de março/20) até o dia 1 de novembro (último domingo), o tráfego total comparável caiu 13,2% (desconsiderando Eco135 e Eco050), em relação ao um período similar de 2019 (18 de março a 3/novembro). Nas mesmas bases, o tráfego acumulado em 2020 teve uma redução de 9,8% em relação ao mesmo período do ano passado. Os números sem as duas rodovias é o que permite a melhor comparação, dado que estas concessões foram agregadas no início de 2019.


Itaú Unibanco (ITUB4)
Lucro recorrente do 3T20 apresenta melhora em relação ao trimestre anterior

O Itaú Unibanco registrou no 3T20 um lucro líquido recorrente de R$ 5,0 bilhões (ROAE de 15,7%) e crescimento de 19,6% em relação ao lucro recorrente de R$ 4,2 bilhões do 2T20 (ROAE de 13,5%), um resultado explicado pela redução de 18,7% do custo do crédito por menor PDD, e que compensou a queda de 4,8% da Margem Financeira.

A margem financeira com mercado alcançou R$ 1,4 bilhão (+5,1%) em função dos maiores ganhos de tesouraria. A margem financeira com clientes caiu 5,5% para R$ 15,6 bilhões por efeito mix, maior representatividade da carteira PJ e a redução da taxa de juros na remuneração do capital de giro próprio. Destaque ainda para a alta de 8,6% do resultado de seguros, para o crescimento de 12,7% das receitas de serviços e o incremento de 4,7% das despesas não decorrentes de juros.

Tomando por base o resultado do 9M20 ante igual período do ano anterior, o lucro líquido recorrente registrou queda de 37,6% para R$ 13,1 bilhões, com redução de 9,5pp no ROAE para 14,0%. Seguimos com recomendação de COMPRA para ITUB4 com preço justo de R$ 32,00/ação.

Destaques

O Itaú Unibanco informou ontem (03/11) que está em estágio avançado de análise e discussão de estudos acerca da possibilidade de segregar o seu investimento na XP Inc. (“XP”), companhia sediada nas Ilhas Cayman e listada na Nasdaq, em uma nova sociedade (“Newco”), mediante cisão de empresas do referido conglomerado com a versão de parte do seu patrimônio, representada por ações representativas de 41,05% do capital da XP, para a Newco.

·       Com a eventual cisão, os acionistas do Itaú Unibanco receberiam participação acionária na Newco, cujo único ativo seria aquela linha de negócio representada por tais ações do capital da XP.

·       A Newco seria uma companhia aberta, e passaria a ser parte do Acordo de Acionistas da XP.

·       O Itaú Unibanco reiterou que, caso se decida implementar a referida cisão, ela não será concretizada antes de 31 de dezembro de 2020.

O estudo prevê, ainda, a possibilidade de venda do restante das ações de emissão da XP detidas pelo Itaú Unibanco, correspondentes a 5% do capital social da XP, visando monetizar parte de seu investimento, o que geraria aumento do índice de Capital Principal de Basileia III.

·       Esta venda, se concretizada, e a depender das condições aplicáveis de mercado, poderá ser realizada por meio de uma ou mais ofertas públicas realizadas na Nasdaq ou em qualquer outra bolsa de valores na qual a XP tenha suas ações ou certificados de suas ações listados.


Minerva (BEEF3)
Lucro de R$ 58 milhões no 3T20 ante prejuízo de R$ 83 milhões no 3T19

A Minerva registrou no 3T20 um lucro líquido de R$ 58,3 milhões que se compara ao prejuízo de R$ 82,7 milhões de igual trimestre do ano anterior, acumulando R$ 583,0 milhões no 9M20. O resultado trimestral foi construído a partir do crescimento de 13,9% da Receita Líquida (em base anual) que somou R$ 5,1 bilhões, sendo que o aumento de 30,2% nos preços médios (potencializados pela alta do dólar) compensou a queda de 12,6% no volume total de venda. Com esse resultado o lucro líquido dos últimos doze meses terminados em setembro de 2020 alcançou R$ 826,6 milhões revertendo o prejuízo de R$ 319,5 milhões dos últimos 12 meses em set/19.

As perspectivas para 2020 continuam positivas devido a forte demanda internacional, persistência da Peste Suína Africana e os problemas na oferta de outros exportadores de carne bovina, e que devem beneficiar diretamente os players da América do Sul e principalmente a Minerva. Ao preço de R$ 9,83/ação equivalente a um valor de mercado de R$ 5,4 bilhões, a ação BEEF3 registra queda de 23,4% este ano. O Preço Justo de R$ 14,00/ação traz um potencial de alta de 42,4%.

Destaques

Tomando por base a nova política de distribuição de dividendos aprovada no início de 2020, a companhia decidiu antecipar o pagamento de dividendos correspondentes a 25% do lucro líquido acumulado no 9M20, no montante de R$ 138,5 milhões equivalente a R$ 0,25783/ação e retorno estimado de 2,6%. As ações serão negociadas ex-dividendos em 9 de novembro de 2020.


IRB Brasil RE (IRBR3)
Prejuízo líquido de R$ 229,8 milhões no 3T20

O IRB Brasil RE registrou no 3T20 um prejuízo líquido de R$ 229,8 milhões, conforme sinalizado, abaixo do prejuízo de R$ 685,1 milhões do 2T20, e já reflete a gradual retomada do mercado de seguros. No 9M20 o prejuízo alcança R$ 901,1 milhões, notadamente pela aceleração nos avisos de sinistros internacionais, no contexto da pandemia e das incertezas na economia mundial.

A empresa espera alcançar números positivos em 2021 a partir da “melhoria de prêmios especialmente em grandes riscos, como nos setores de petróleo, patrimonial e rural”. Tomando por base a operação, “excluindo os contratos descontinuados, observa-se um lucro líquido de R$ 149,4 milhões no 3T20”.

Segundo a companhia a retenção de clientes continua alta, em percentual acima de 93% e reflete o histórico de credibilidade da equipe de subscrição e à capacidade da administração de lidar com o atual momento. Destaque para a melhoria sustentável de preços com impacto positivo nos resultados operacionais, e a revisão do programa de retrocessão, alinhado com a nova estratégia de re-underwriting.

As ações ainda sofrem nesse ambiente de redução dos resultados. Cotadas a R$ 6,40/ação (valor de mercado de R$ 8,1 bilhões) a ação IRBR3 registra queda de 81,9% este ano.


Copasa (CSMG3)
Conselho aprova proposta de desdobramento de ações na proporção uma ação ordinária para três ações

O Conselho de Administração da Copasa aprovou ontem (03/11), proposta de desdobramento da totalidade de suas ações na proporção de 1 (uma) ação ordinária para 3 (três) ações da mesma espécie.

Desta forma, a proposta é que o número de ações ordinárias que compõe o capital social seja elevado de 126.751.023 para 380.253.069 sem alteração no valor do Capital Social, que permanece em R$ 3,4 bilhões.

De acordo com o comunicado “o desdobramento objetiva conferir melhor patamar para a cotação das ações negociadas na bolsa, a fim de torná-las mais acessíveis aos investidores e, consequentemente, proporcionar maior liquidez”.

A proposta será submetida à Assembleia Geral Extraordinária (AGE) a ser convocada oportunamente. Seguimos com recomendação de COMPRA para CSMG3 e Preço Justo de R$ 64,00/ação.


Banco ABC Brasil (ABCB4)
Lucro líquido de R$ 73,5 milhões no 3T20 com alta de 19,2% ante o 2T20

O Banco ABC Brasil registrou um Lucro Líquido de atingiu R$ 73,5 milhões no 3T20, com crescimento de 19,2% em relação ao 2T20 e queda de 40,3% em relação ao 3T19. No resultado acumulado de 9M20 o lucro somou R$ 216,1 milhões, com queda de 41,5% em relação ao mesmo período de 2019. O Retorno Anualizado Sobre o Patrimônio Líquido (ROAE) foi de 7,1% no 3T20, acima de 6,1% do 2T20.

Ontem (03/11) a ação ABCB4 fechou cotada a R$ 12,70/ação (valor de mercado de R$ 2,8 bilhões). Temos recomendação de COMPRA para o Banco ABC Brasil com Preço Justo de R$ 19,00/ação que traz um potencial de alta de 49,6%.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.