Ibovespa tem semana positiva com alta de 2,86%

MERCADO


Bolsa
Na sexta-feira o Ibovespa deu nova arrancada encerrando com alta de 2,32% aos 102.888 pontos e giro financeiro de R$ 29,7 bilhões (R$ 26, bilhões no mercado à vista). Na semana, a alta foi de 2,86%. O mercado passou a dar atenção ao projeto de reforma tributária que tramita no Congresso e atenção ao pacote de privatizações que pode chamar a atenção de grandes investidores, se conseguir avanço dentro do governo. No mercado internacional, duas notícias importantes, o avanço rápido no desenvolvimento da vacina para o coronavirus e o acordo para um fundo internacional de recuperação das economias. Nos EUA começa a discussão sobre os incentivos do governo à população desempregada, um ponto de atenção. A agenda econômica desta segunda-feira vem vazia e nosso destaque fica para o Boletim Focus. Hoje, as bolsas internacionais mostram movimento misto, tanto no fechamento da Ásia quanto no andamento dos mercados na zona do euro. As cotações do petróleo, que caíram na sexta-feira, mostravam queda também no início da manhã. Destaque nesta semana para importantes resultados corporativos nos EUA, que devem refletir o impacto da pandemia sobre grandes corporações. Aqui começa também a safra de resultados do 2T10.

Câmbio
A moeda americana subiu de R$ 5,3323 para R$ 5,3863.

Juros
Na sexta-feira, a taxa de juros futuros para jan/21 caiu de 2,049% para 2,030% e na ponta mais longa (jan/27) a taxa também teve redução importante de 6,42% para 6,29%, uma marca histórica.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

BRF (BRFS3)
Conselho aprova 2ª emissão de debêntures no valor de R$ 2,2 bilhões

O Conselho de Administração da BRF aprovou, em reunião realizada dia 14 de julho, a segunda emissão de debêntures da companhia. Serão duas séries para colocação privada junto à VERT Companhia Securitizadora, totalizando R$ 2,2 bilhões.

As debêntures são simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, e vão lastrear a 46ª emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA). Serão 2,2 milhões de papéis com valor nominal unitário de R$ 1 mil, sendo 705 mil debêntures de primeira série e 1,495 milhão de debêntures de segunda série. As debêntures de primeira série têm prazo de vencimento de sete anos, e as de segunda série, de dez anos.

Mais uma operação de financiamento no curso normal dos negócios da companhia, com precificação em Reais e alongamento de prazo.


BTG Pactual (BPAC11)
Conselho aprova pagamento de JCP de R$ 0,5894/Unit. Ex em 23/07

O conselho de administração do BTG Pactual aprovou o pagamento de juros sobre capital próprio (JCP) no valor bruto de R$ 0,196482704 por ação e R$ 0,589448112 por Unit. Terão direito ao pagamento acionistas em 22 de julho, com as ações sendo negociadas “ex-direitos” a partir do dia 23 de junho de 2020.

Com base na cotação de R$ 89,03/Unit o retorno líquido é de 0,56%.


Vale (VALE3)
Suspensão da exigência de garantias

Durante o pregão da última sexta-feira, a empresa informou que o Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, suspendeu a exigência da Vale prestar garantias no valor de R$ 7,9 bilhões.

· Na semana passada, uma decisão judicial havia estabelecido que a Vale deveria apresentar até 23 de julho garantias no valor de cerca de R$ 7,9 bilhões para assegurar eventuais pagamentos de multas pelo desastre de Brumadinho, ocorrido em janeiro do ano passado;

· Assim, a suspensão desta exigência é uma boa notícia para a empresa. Ressalvando, que como não se trata de uma decisão definitiva, outros fatos podem ocorrer exigindo novamente este desembolso.


Eletrobras (ELET3, ELET6)

Conselho aprova AFAC de R$ 3,5 bilhões para retomada das obras de Angra 3

O Conselho de Administração da companhia aprovou em 17 de julho, a concessão de Adiantamento para Futuro Aumento de Capital – AFAC para a controlada Eletrobras Termonuclear S.A – Eletronuclear (“Eletronuclear”), em 2020 e 2021.

Os valores serão, respectivamente, de cerca de R$ 1.052 milhões e R$ 2.447 milhões, destinados a aceleração das providências para retomada das obras de construção da Usina Nuclear de Angra 3 (“Angra 3”), totalizando R$ 3.499 milhões.

A companhia destaca que “esses valores já estavam previstos nos investimentos estimados no Plano Diretor de Negócios e Gestão para o período de 2020 a 2024 (“PDNG 2020-2024”).


Equatorial Energia S.A. (EQTL3)
Aneel divulga os valores da RAP para o ciclo 2020-2021

A Aneel, em Reunião de Diretoria ocorrida no dia 14 de julho, definiu os valores das Receitas Anuais Permitidas (RAP) das concessionárias de transmissão de energia elétrica da Equatorial para o ciclo 2020-2021 e que entraram em vigor a partir de 1º de julho de 2020.

O efeito total a ser sentido pela companhia é de -1,67% para o ciclo 2020-2021.

O valor acima não contemplam as receitas das linhas que irão entrar em operação no período julho 2020 a junho 2021, valores estes que serão agregados à receita acima indicada, a partir do mês de entrada em operação.

Os acionistas da Equatorial aprovaram, em Assembleia Geral Extraordinária (AGE) a alteração do objeto social da companhia para incluir “participação em empreendimentos que atuem em outros setores”. A mudança amplia o escopo de atuação, mas fica preservada a “atuação preponderante no setor de energia elétrica”. Em AGO a companhia aprovou o pagamento de R$ 323,2 milhões em dividendos relativos a 2019 (R$ 0,32 por ação).


CCR (CCRO3)
Aquisição de participação adicional na Rodonorte e dados operacionais piores no tráfego de veículos

A empresa divulgou dois comunicados importantes na última sexta-feira.

· Após o fechamento do pregão, a CCR informou a aquisição de participações que somam 12,79% da sua controlada Rodonorte – Concessionária de Rodovias Integradas S/A. Com esta aquisição, a empresa se tornará a titular da totalidade do capital social da Rodonorte;

· O aumento da participação da CCR em uma rodovia tão importante para sua geração de receitas é um fato positivo. Porém, não foi citado o valor das aquisições, o que impossibilita qualquer avaliação. Além disso, como o fim da concessão está por apenas 15 meses, o aumento da participação tem pouca importância;

· A CCR divulgou também na sexta-feira seus dados operacionais dos sete dias encerrados em 16 de julho (quinta-feira passada), mostrando piora na maioria dos números.


Setor de Telecomunicações
Sinais de mudanças na estrutura do setor

A Telefônica Brasil, Tim e a Claro informam que apresentaram oferta vinculante em conjunto para aquisição do negócio móvel do Grupo Oi. O valor da oferta não foi informado. A operação inclui a totalidade dos ativos que constituem a “UPI de Ativos Móveis”, o que inclui termos de autorização de uso de radiofrequência; base de clientes do Serviço Móvel Pessoal; direito de uso de espaço em imóveis e torres; elementos de rede móvel de acesso ou de núcleo; e sistemas/plataformas.

A perspectiva da Telefônica é que, se concretizada, a transação agregará valor para seus acionistas e clientes através de maior crescimento, geração de eficiências operacionais e melhorias na qualidade do serviço. Já Tim, destaca que a operação é uma oportunidade de aceleração do seu crescimento e do aumento da eficiência operacional.

Na sexta-feira as ações OIBR3 encerraram cotadas a R$ 1,21 com alta de 40,7% neste ano e a OIBR4 fechou a R$ 1,47 com valorização de 19,5%.

Valor de mercado: R$ 7,24 bilhões

Patrimônio líquido: R$ 11,4 bilhões

Cotação/VPA (ON) = 63%.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.