Paper: A Macroeconomia Infectada

Prezados Amigos,

A ciência não pode ser infectada pelo dinheiro, arrogância ou política, mas a dismal science tem sofrido bastante, em especial na macroeconomia. Não que sua evolução não tenha sido importante, mas estamos longe de uma solução conciliadora que nos atenda em situações não convencionais. Contudo, a história nos mostra que em circunstâncias limites, como a que vivemos agora, evoluímos com ideias, inovações e avanços, enxergando alternativas e propostas, as vezes contraintuitivas, mas de grandes efeitos práticos. Este é um momento em que a (macro) economia precisa evoluir.

Dentre os vários modelos existentes, os que sempre vem à tona são os Modelo Hicks-Hansen (ou IS-LM Modelo Keynesiano) e o Modelo dos Clássicos que, embora antigos, apresentam posições bem distintas em suas premissas e servem de parâmetros para nossa argumentação. De um lado, o keynesiano, com necessidade de intervenção estatal e, de outro, os Clássicos, assumindo o pressuposto fundamental de que se deixados os fatores livres a se ajustar, estes sempre produzirão os melhores resultados.

Boa leitura!

Clique aqui para ler o Paper.