Em dia tenso no cenário politico, Ibovespa cai 5,45%

MERCADO


Bolsa
A sexta-feira foi marcada pela saída do ministro Sergio Moro trazendo a público seus motivos para o pedido de demissão e mais preocupações para o mercado. No final da tarde, foi a vez do presidente Bolsonaro falar aos brasileiros, mas o mercado não reagiu. Os desdobramentos deste assunto deverão dominar esta semana. O Ibovespa chegou a cair 9,58% no intraday, mas fechou em baixa de 5,45% aos 75.331 pontos. O giro financeiro totalizou R$ 37,6 bilhões. A agenda econômica abre a semana trazendo do lado doméstico, o IPC_Fipe semana com queda de 0,13% o índice de confiança do consumidor em abril e o Boletim Focus. No exterior poucos dados ficando as atenções voltadas para o cenário político doméstico. As bolsas internacionais mostram alta generalizada, nesta segunda-feira. Mesmo com o ambiente adverso, o Ibovespa pode recuperar parte da perda de sexta-feira

Câmbio
O dólar, que já vinha testando o pico, disparou na sexta-feira a partir da fala de Sérgio Moro no final da manhã, oficializando sua saída do governo. Mesmo com a intervenção do Banco Central vendendo a moeda – injetando US$ 2,8 bilhões no mercado -, a cotação no fechamento foi recorde (R$ 5,6614), com ganho de 2,40%, a maior alta porcentual desde 18 de março.

Juros
A tensão provocada pelo pedido de demissão do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro agitou também o mercado de juros futuros com o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 subindo de 2,715% na quinta-feira para 3,120% Para jan/27, o DI fechou na máxima de 8,59%, de 7,182% no dia anterior.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Hypera Pharma (HYPE3)
Lucro líquido soma R$ 238,2 milhões no 1T20, queda de 25,9% sobre o 1T19

A despeito da queda no lucro líquido do trimestre, de R$ 321,2 milhões para R$ 238,2 milhões, a empresa registrou fatos importantes nas operações no período. O Lucro Líquido foi beneficiado pela redução da taxa efetiva de imposto de renda por conta da declaração de Juros Sobre Capital Próprio no 1T20, no montante de R$185,5 milhões, ou (R$0,29 por ação), 15,2% superior ao montante declarado no 1T19.

Diante das incertezas e volatilidade do cenário econômico atual, a Companhia reforçou sua posição de caixa em caráter preventivo, com a contratação de empréstimos no valor de R$ 595,0 milhões em março e abril.

A ação HYPE3 encerrou a sexta-feira cotada a R$ 30,01 com queda de 2,7%. No ano a ação acumula baixa de 15,1%.


Energisa (ENGI11)
Consumo de energia cresceu 2,5% no 1T20 e 4,1% em mar/20

De acordo com o Boletim da companhia o consumo consolidado de energia elétrica, nos mercados cativo e livre, aumentou 4,1% em março (base 12m) totalizando 3.110,1 GWh, desempenho que “teve as maiores contribuições advindas das classes residencial, rural e comercial, que concentraram 67,5% das vendas totais de energia do Grupo no mês”.

No 1T20 em relação a igual trimestre do ano anterior, o consumo consolidado cresceu 2,5% somando 9.252,9 GWh, sendo que “a classe residencial direcionou este resultado, com o maior crescimento (4,9% 164,9 GWh), seguida pela rural (6,1% e 49,7 GWh). As demais classes, com exceção da industrial, também registraram aumento de consumo frente ao mesmo período de 2019”. No trimestre, o crescimento do consumo refletiu as altas temperaturas e o efeito calendário.


C&A (CEAB3)
Reabertura gradual de lojas a partir de ontem (26/04)

A C&A anunciou que o inicio de reabertura gradual das lojas a partir de ontem (domingo). A empresa afirma que, desde o fechamento total em 22 de março, monitorou de forma constante e detalhada a evolução da pandemia da covid-19 nas cidades em que atua, com as diretrizes municipais e movimento do varejo.

Em 2019, o lucro líquido pro forma (sem IFRS16 e crédito fiscal) de R$ 214,4 milhões foi 23,5% maior que o de 2018 e a margem líquida pro forma de 4,1% aumentou 0,7 pp.

A ação CEAB3 encerrou a sexta-feira cotada a R$ R$ 7,94 com queda de 55,1% no ano. O valor de mercado é de R$ 2,45 bilhões.


Vulcabras (VULC3) 
Anúncio de retomada parcial das operações em 27/04

A Vulcabras Azaleia divulgou fato relevante na sexta-feira, comunicando que vai retomar parcialmente as operações em todas as suas unidades a partir do dia 27.

· Em Horizonte, no Ceará, e Itapetinga, na Bahia, as retomadas começam na próxima segunda-feira e serão feitas com redução de 70% nos salários e jornadas.

· Nas unidades de São Paulo, Jundiaí (SP) e Parobé (RS), as atividades voltam em 4 de maio, com corte de 25%.

· No caso da unidade do Ceará, também haverá dispensa de funcionários até 5 de maio utilizando banco de horas.

A ação VULC3 encerrou cotada a R$ 4,27 na sexta-feira acumulando queda de 53,6% no ano. O valor de mercado da empresa é de R$ 1,05 bilhão.


Embraer (EMBR3)
Boeing rescinde Acordo Global da Operação

Em Fato Relevante de 25/04, a Embraer informou a seus acionistas e ao mercado que recebeu nesta data notificação enviada pela Boeing, comunicando a sua decisão de rescindir o Acordo Global da Operação (Master Transaction Agreement), sob a alegação de que a Embraer supostamente não teria atendido determinadas condições constantes do MTA.

No comunicado, a Embraer acredita firmemente que a Boeing rescindiu indevidamente o MTA, tendo criado falsas alegações como pretexto para se furtar a sua obrigação de concluir a Operação e pagar o preço de compra de US$ 4,2 bilhões à Embraer.


CCR (CCRO3)
Dados operacionais já com alguns números positivos

A empresa divulgou seus dados operacionais atualizados até o dia 27/abril (quinta-feira). Os números continuaram a apresentar grandes reduções no tráfego dos veículos de passeio, mas já alguns números positivos para os veículos comerciais.

Em meio a grande paralisação da economia para o combate da pandemia de Covid-19, é muito importante já vislumbrar o crescimento no transporte de cargas;
No período de 17 a 23/abril, o tráfego consolidado da CCR (sem a ViaSul) teve uma contração de 57,8% nos veículos de passeio, com crescimento de 0,1% nos comerciais, levando a uma queda de 31,3% no total. Estes números foram melhores que no período anterior. O destaque foi o crescimento do tráfego comercial nas estradas administradas pela RodoNorte (27,6%) e MSVia (10,1%).


Marcopolo (POMO4)
Cancelamento do pagamento de JCP

Na última sexta-feira, a empresa informou o cancelamento dos pagamentos de juros sobre o capital próprio (JCP) relativos à 2ª e 3ª etapas 2020.

Em fevereiro/2020, a Marcopolo alterou sua política de remuneração aos acionistas, instituindo o pagamento trimestral de proventos;
A primeira etapa de proventos em 2020 foi um JCP no valor de R$ 0,025 por ação (antes do Imposto de Renda), cujo pagamento foi feito no dia 23 de março. A segunda etapa seria de um JCP também de R$ 0,025 por ação, com pagamento estimado para 22/junho. Na terceira etapa, o JCP seria do mesmo valor, a ser pago em 21/setembro/2020;
Apesar de ruim para os investidores, esta medida é coerente com as práticas de conservação do caixa que as empresas estão adotando neste momento de crise.


Via Varejo (VVAR3)
Empresa comunica aquisição de ASAPLog

Empresa comunicou hoje aquisição da ASAPLog que é uma empresa de tecnologia e atua no setor de logística (“LogTec”), especializada em soluções para logística urbana, além de conectar transportadoras nas etapas de longas distâncias. Essa aquisição é uma relevante contribuição para o desenvolvimento acelerado em tecnologia logística da Companhia, e trará forte apoio para explorar a integração da sua malha logística.

Nos últimos anos, a ASAPLog vem transformando o cenário de entregas de pequenos varejistas de ecommerce, com uma plataforma de fácil usabilidade, privilegiando o “crowdshipping” como solução para a entrega última milha (“last mile”), contando com uma ampla rede de entregadores autônomos. A tecnologia da ASAP “uberiza” a última milha, permitindo que motoristas de aplicativo, motoboys e até ônibus, entrem no sistema da companhia para pegar e entregar pequenos pacotes a clientes da empresa.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.