Ibovespa cai 1,26% com cenário político conturbado

MERCADO


Bolsa
A B3 teve um dia pesado ontem com queda de 1,26%, aos 79.673 pontos e giro financeiro de R$ 24,7 bilhões. O assunto do dia foi a notícia no final da tarde, com a possibilidade de o ministro da Justiça, Sergio Moro deixar o cargo após o presidente Jair Bolsonaro decisão de substituir o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. A repercussão foi imediata trazendo insegurança para os investidores. À noite o ambiente amenizou em Brasília, mas o cenário político segue dividindo com o coronavírus as preocupações dos investidores. A agenda econômica traz dados de saldo em conta corrente e investimentos estrangeiros diretos no Brasil em março. Nos EUA sai uma serie de dados de atividade que podem mostrar o peso do Covid-19. As bolsas internacionais voltam a pesar com queda na Ásia e no andamento na Europa e o mercado de petróleo volta a cair, nos tipos WTI e Brent. O último pregão da semana poderá ainda respingar o assunto de ontem em Brasília e o peso das bolsas internacionais.

Câmbio
O mercado de dólar marcou mais um recorde ontem, com a moeda americana batendo R$ 5,5363 contra R$ 5,4573, alta de 1,45%. O Banco Central teve que fazer duas intervenções não previstas, ofertando ao todo US$ 1 bilhão em swap.

Juros
Os juros futuros voltaram a subir com o piora no ambiente político no final da tarde. Além disso, as preocupações com os problemas fiscais no país começam ao ocupar espaço no meio de um noticiário voltado para o vírus. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 subiu de 2,644% para 2,720% e para jan/27 a taxa passou de 6,802% para 7,18%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

BRF (BRFS3) 

Assinado documento que estabelece os termos para o acordo que encerra “Class Action”

A BRF celebrou documento que estabelece os termos e condições para um acordo visando ao encerramento da Class Action intitulada “In re BRF S.A. Securities Litigation”, 18-cv-2213 (PKC), movida contra a companhia e determinados executivos no Tribunal Distrital Federal dos Estados Unidos, na cidade de Nova Iorque.

Por meio do acordo, a BRF comprometeu-se a pagar a quantia de US$ 40,0 milhões para encerrar todas as demandas pendentes e que possam vir a ser propostas por pessoas ou entidades que compraram ou de outra forma adquiriram American Depositary Receipts – ADRs de sua emissão entre 04 de abril de 2013 e 05 de março de 2018. O acordo está sujeito à homologação pelo tribunal bem como à celebração do documento final de acordo.


Sabesp (SBSP3)
Novos termos e condições da 25ª emissão de debêntures simples

O Conselho de Administração da Sabesp aprovou, em reunião realizada ontem (23/abril), a rerratificação dos termos e condições da 25ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, para distribuição pública, com esforços restritos.

A Emissão passará a ser realizada em série única, mediante a emissão de 1.450.000 Debêntures, com valor nominal unitário de R$ 1.000,00, totalizando, em 15 de abril de 2020 (Data de Emissão), o valor total de R$ 1,45 bilhão.

As Debêntures terão como vencimento a data de 15 de outubro de 2021, sendo objeto de amortização em uma única parcela na Data de Vencimento das Debêntures.

Conforme deliberado, não haverá procedimento de bookbuilding, passando as Debêntures a ser remuneradas à 100% da Taxa DI acrescida do spread ou sobretaxa de 3,30% ao ano, observado que a remuneração deverá ser paga em uma única parcela, na Data do Vencimento.


Neoenergia (NEOE3)
AGE aprova Programa de incentivo de longo prazo baseado em ações

A companhia informou que foi aprovado em 20 de abril de 2020, em Assembleia Geral Extraordinária (AGE), os termos e condições do Programa de Incentivo de Longo Prazo – Ciclo 2020-2022 e seu respectivo Regulamento.

O Programa 2020-2022 tem prazo de vigência de 6 anos, dos quais o período entre 1º de janeiro de 2020 e 31 de dezembro de 2022 será o período de avaliação do grau de desempenho da companhia em relação aos objetivos a que se vincula o Programa. O período entre 1º de janeiro de 2023 e 31 de dezembro de 2025 será o período de liquidação, no qual a companhia, respeitando os termos do Programa, realizará o pagamento do incentivo aos Beneficiários mediante a entrega de ações líquidas da Neoenergia.

Ainda, de acordo com o comunicado, “o número máximo de ações líquidas a ser entregues a todos os Beneficiários do Programa 2020-2022 será de 3.650.000 ações, equivalente a 0,3% do capital total da companhia”. Ao preço de R$ 18,73/ação o montante total do Programa alcança R$ 68,4 milhões, correspondente a 0,9 dias de negociação.


Arezzo (ARZZ3)
Retomada gradual de atividades em Campo Bom (RS)

A Arezzo comunica ao mercado o retorno parcial das atividades de sua unidade localizada no município de Campo Bom (RS), adotando medida de proteção aos colaboradores. Segundo a Companhia, perto de 15% da sua rede de 106 lojas já retomaram as atividades comerciais, seguindo decretos municipais ou governamentais locais.

Em razão da pandemia a Arezzo alterou a data de divulgação dos resultados do 1T20 de 06 para 27 de maio.

Ontem a ação ARZZ3 encerrou cotada a R$ 44,47 com queda de 30,5% no ano.


Grendene (GRND3)
Retomada parcial das atividades nas plantas do Ceará em 27 de abril

Serão retomadas de forma parcial, com redução de jornada e salários em 70%. O início das atividades ocorrerá em duas etapas.

(i) no período de 27 de abril até 05 de maio de 2020, os funcionários estarão dispensados do trabalho utilizando o Banco de Horas;

(ii) a partir de 06 de maio de 2020 os trabalhos serão reiniciados de forma parcial com a redução acima mencionada.

Ontem a ação GRND3 encerrou cotada a R$ 7,74 com queda de 37,0% no ano.


GPA – Pão de Açúcar (PCAR3)
Aprovação de dividendo de R$ 155,8 milhões (R$ 0,582/ação)

O pagamento será efetuado em 15 de junho de 2020, com base na posição acionária de 30 de abril de 2020 (inclusive. As ações de emissão do GPA passam a ser negociadas ex-dividendos a partir de 4 de maio de 2020. Com base na cotação de fechamento de ontem (R$ 69,33 o retorno dos dividendos é de 0,84%.


Siderurgia
Queda da produção mundial em março

Segundo os dados divulgados pela World Steel Association, a produção mundial de aço caiu 6,0% em março, comparada ao mesmo mês de 2019. No acumulado do primeiro trimestre de 2020, houve uma queda de 1,4% no volume produzido.

O único destaque positivo na siderurgia mundial em março foi a China, que apresentou uma pequena contração no volume (1,7%), considerando o momento de crise com o surto da Covid-19;
No Brasil, o volume de aço produzido em março caiu 10,6%, já refletindo as medidas de contenção da produção tomadas pelas siderúrgicas, antevendo os problemas de demanda advindos da quarentena;
Naturalmente se pode esperar que em abril a produção mundial de aço cairá ainda mais, com o aumento das medidas de isolamento social que vem ocorrendo na maioria dos países.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.