Ibovespa sobe 1,81% com volatilidade e petróleo em alta forte

MERCADO


Bolsa
O Ibovespa parecia engatar uma curva de recuperação, mas o noticiário do dia vindo do exterior sobre um eventual acordo entre Arábia Saudita e Rússia, anunciado pelos EUA – não endossado pelos árabes – fez o mercado devolver parte da alta. No fechamento o Ibovespa marcou alta de 1,81%, aos 72.253 pontos, com giro financeiro de R$ 23,3 bilhões. Hoje a agenda econômica em destaque, as vendas no varejo (fev) na zona do euro com alta de 0,9% no M/M e de 3,0% no A/A. Nos EUA, saem ainda nesta manhã, os dados do payroll (variação na folha de pagamento) que pode já mostrar dados de demissões por conta do Covid-19 e dados do mercado de trabalho. As bolsas no exterior mostram queda no fechamento da Ásia e baixa também na Europa. Após forte alta ontem o petróleo segue em forte recuperação (Brent e WTI), podendo favorecer empresas do setor, mas a B3 pode pesar nesta sexta-feira, com os futuros de NY pressionados. No último dia útil da semana, a cautela deve prevalecer.

Câmbio
A moeda americana segue no topo histórico, com fechamento ontem a R$ 5,2542 contra R$ 5,2526 na quarta-feira e sem justificativas para queda no curto prazo.

Juros
O dia foi de queda nas taxas mais curtas, após a alta do dia anterior. Com os assuntos “petróleo e coronavírus” dominando o noticiário, as taxas de juros seguem pouco sensíveis a estes problemas. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 encerrando em 3,205%, de 3,248% no dia anterior e para jan/27 a taxa passou de 7,732% para 7,75%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

EDP-Energias do Brasil (ENBR3)
Medidas adotadas elevam liquidez

Em 16 de março a companhia informou ao mercado que diante do atual cenário de disseminação do novo coronavírus , vem adotando medidas de monitoramento e prevenção a fim de proteger seus colaboradores e as comunidades em que atua. Os objetivos principais da companhia, neste contexto, são minimizar o risco para os mais de 3,3 mil colaboradores da EDP e a manutenção da continuidade de negócios, em especial a prestação dos serviços de geração, transmissão e distribuição de energia pelas empresas do Grupo.

Diante do forte impacto no setor elétrico, com a redução do consumo de energia, a renegociação de contratos, a paralisação de obras e a queda dos preços de energia, a EDP Brasil vem adotando uma série de medidas para preservar o seu caixa e aumentar a sua situação de liquidez em R$ 2,2 bilhões.

Uma das primeiras medidas adotadas pela companhia foi a redução de pagamento dos dividendos relativos ao exercício de 2019, de R$ 604,8 milhões, previstos inicialmente, para R$ 353,4 milhões, equivalente a um payout de 27,8%. A companhia também propôs aos seus acionistas elevar a retenção de lucros, de R$ 666,1 milhões para R$ 918,8 milhões.

Outra iniciativa em curso é a redução dos investimentos em 2020, para R$ 1,9 bilhão, em função da paralisação das atividades de fornecedores nas áreas de transmissão e distribuição. Adicionalmente, a companhia paralisou os processos de Fusões e Aquisições (M&A) que estavam no radar e adotou medidas e ações para a diminuição dos custos operacionais na distribuição, segmento pressionado pela necessidade de se adotar medidas extraordinárias para manter a continuidade das operações.

Do ponto de vista da companhia o momento é de manter uma liquidez adequada, no curto prazo, para enfrentar a crise. Ao final de 2019, a disponibilidade da caixa da EDP Brasil era de R$ 2,77 bilhões. No médio prazo, não descarta a possibilidade de realizar alguma aquisição  de ativos como reflexo dos desdobramentos da atual crise.


Copel Energia (CPLE6)
Mata de Santa Genebra – empreendimentos em operação comercial

A Copel Geração e Transmissão S.A. (Copel GT) subsidiária integral da Copel Energia comunicou ontem (2/abr) a entrada em operação comercial das Linhas de Transmissão LT 500 kV Araraquara 2 – Itatiba, de 207 Km de extensão, e LT 500 kV Itatiba – Bateias, de 414 km de extensão, ambas pertencentes à Mata de Santa Genebra Transmissão S.A.

Assim, a Mata de Santa Genebra está autorizada a receber uma RAP de R$ 161,27 milhões, cerca de 66,2% da RAP total, retroativamente a 28/03/2020, cujos acionistas são a Copel GT (50,1%) e Furnas Centrais Elétricas S.A. (49,9%).


Usiminas (USIM5)
Números de tráfego atualizados

Ontem após o pregão, a empresa divulgou mais informações sobre suas ações para enfrentar a crise derivada do combate ao Coronavírus. A Usiminas informou sobre a paralisação de boa parte de seus equipamentos na Ipatinga, a suspensão das atividades em Cubatão e a redução dos investimentos programados para o ano.

· No comunicado emitido, a empresa detalho que vai abafar (desligar) o Alto-Forno 2 da Usina de Ipatinga no dia 4/abril (amanhã) e o Alto-Forno 1 da mesma unidade em 22/abril. A Aciaria 1, também de Ipatinga, será paralisada em 22/abril. Além disso, a Usiminas paralisará todas as atividades da Usinas de Cubatão;

· A empresa informou também que permanecem em operação outros equipamentos importantes da Usina de Ipatinga, como: o Alto-Forno 3, a Aciaria 2, as laminações e galvanizações;


Ecorodovias (ECOR3)
Números de tráfego atualizados

Pouco antes do início do pregão de ontem, a empresa divulgou dados gerenciais de tráfego entre os dias 16 a 31 de março de 2020 e o acumulado do 1T20. Os números da segunda quinzena de março já mostram os fortes efeitos no tráfego, dado pelas paralisações determinadas pelos governos para combater o surto de Coronavírus.

· Entre 16 a 31 março, comparado ao um período similar no ano passado (18 a 2/abril), o tráfego total comparável (sem Eco135 e Eco050) caiu 23,5%. No acumulado de 2020, houve uma redução de 3,8% em relação ao mesmo período de 2019;

· Considerando o tráfego total (incluindo Eco135 e Eco050), houve um crescimento consolidado de 6,6% no 1T20. Portanto, os resultados da

Ecorodovias serão beneficiados por este aumento no tráfego em suas nove concessões rodoviárias, sendo que o impacto das restrições de movimentação vai ocorrer a partir do 2T20.


Vendas de veículos
Forte queda em março

A crise determinada pelo combate ao Coronavírus já começa a impactar negativamente a indústria automobilística. Segundo os dados fornecidos pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), as vendas no Brasil em março/20 foram de 249,2 mil unidades, quantidade que foi 18,4% abaixo do mesmo mês de 2019.

· No acumulado do 1T20, as vendas somaram 840,8 mil unidades, montante 7,1% menor que o verificado no mesmo período do ano passado.;

· Estes dados são bons indicadores para as vendas no Brasil dos fabricantes de veículos e autopeças (Marcopolo, Randon e Tupy), sendo também importantes para as siderúrgicas (Usiminas, CSN e Gerdau), que tem no mercado interno suas melhores margens.


 

Se preferir, baixe em PDF:

Ibovespa sobe 1,81% com volatilidade e petróleo em alta forte

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.