Ibovespa cai sexta-feira 3,76% com indicadores negativos no exterior

MERCADO


Bolsa
A semana foi de baixa para o Ibovespa (5,30%) com a sexta-feira marcando 3,76% negativos, recuando para 69.538 pontos e giro financeiro total de R$ 22,1 bilhões. Os dados ruins que começaram a ser divulgados, já refletindo os efeitos do Covid-19 sobre as principais economias do mundo, deverão trazer mais preocupações à medida que outros números sejam conhecidos. Nesta segunda-feira a agenda econômica traz o indicador de confiança do investidor na zona do euro (-42,9) e dados domésticos de março: inflação (IGP-DI) com alta de 1,64% no M/M e 7,01% no A/A., (ambos acima da expectativa), produção de veículos e Boletim Focus. A semana ainda terá dados importantes que somados às novas estatísticas do vírus, podem levar a mais uma rodada de tensão nas bolsas. Hoje as bolsas internacionais mostram alta expressiva na Europa e no fechamento da China e Japão com relatório mostrando a desaceleração nas infecções e mortes em países mais atingido na Europa (Itália, Espanha). Nos EUA, expectativa de controle, mas com números bastante elevados. Contudo, o impacto nas economias só começou a aparecer.

Câmbio
A moeda americana marcou R$ 5,3519 no fechamento da sexta-feira contra R$ 5,2540 no dia anterior, alta de 1.86%. A disputa no mercado de petróleo e riscos do vírus, fazem o dólar testar novos picos. Hoje a moeda mostra acomodação no exterior.

Juros
A piora do cenário no exterior, com dados fracos divul21) gados na Europa e EUA somada ao ambiente interno, tiveram reflexo no mercado financeiro. Os juros de curto prazo mostraram queda na taxa do DI (jan/21) de 3,203% para 3,175%, enquanto na ponta mais longa o DI (jan/27) subiu de 7,752% par 8,00%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Braskem (BRKM5)
Um forte crescimento do prejuízo no 4T19

Depois de vários adiamentos, a empresa divulgou neste final de semana seus resultados do 4T19, que mostraram queda das vendas, na receita e rentabilidade operacional, levando a um aumento do resultado negativo. Porém, o ponto fundamental para o prejuízo do trimestre foi a provisão de R$ 3,4 bilhões, referente à implementação das medidas de remediação dos problemas gerados pela exploração de sal em Maceió.

· No 4T19, a Braskem sofreu um prejuízo de R$ 2,9 bilhões (R$ 3,67 por ação), 229% maior que trimestre anterior e mais de 37 vezes superior ao resultado negativo do 4T18;

· Em 2019, a Braskem sofreu com a redução do spread petroquímico (diferença entre o preço da matéria-prima e das resinas), redução de vendas e fatores não recorrentes, como a elevada provisão para reparação dos danos em Maceió. Porém, não se pode esquecer que ocorreram também ganhos não recorrentes expressivos em 2019, como o reconhecimento dos créditos de PIS/Cofins no valor de R$ 2,1 bilhões. O EBITDA recorrente no ano foi de R$ 5,9 bilhões, 46,4% menor que em 2018. O prejuízo em 2019 somou R$ 2,8 bilhões, contra um resultado positivo de R$ 2,9 bilhões no ano anterior

Gerdau (GGBR4)
Medidas operacionais para enfrentar a crise

Após o pregão da última sexta-feira, a empresa anunciou um conjunto de medidas para readequar sua produção ao ritmo atual de demanda, impactado pelas paralisações em vários setores para combate à Covid-19.

· No Brasil, a Gerdau vai realizar a parada em várias aciarias elétricas e laminações de aços longos durante o mês de abril. Também será paralisado o Alto-Forno 2 da Usina de Ouro Branco – MG, que possui uma capacidade instalada de 1,5 milhão de toneladas anuais;

· Medidas para se adequar a crise são desejadas e podem ser consideradas como positivas neste momento, apesar de mostrar que as empresas esperam alguma demora na retomada da demanda, o que vai afetar muito seus resultados em 2020.


Banco Bradesco S.A. (BBDC4)
BC aprovou o aumento de capital com bonificação de 10% em ações. Ex em 14/abril

O Banco Central do Brasil aprovou em 30.3.2020, o aumento do capital social do Bradesco no valor de R$ 4,0 bilhõs, elevando-o de R$ 75,1 bilhões para R$ 79,1 bilhões, com bonificação de 10% em ações (1 nova ação para cada 10 ações da mesma espécie possuídas), deliberado na AGE do banco realizada em 10.3.2020.

Serão beneficiados os acionistas do banco em 13.4.2020 sendo que a partir de 14.4.2020, as ações passarão a ser negociadas ex-bonificação. As ações oriundas da bonificação serão incorporadas à posição dos acionistas em 16.4.2020, estando disponíveis em 17.4.2020.

O custo unitário atribuído às ações bonificadas é de R$ 4,960422205 por ação ON ou PN.


BTG (BPAC11)
Conselho aprova recompra de até 15 milhões de Units

O conselho de administração do BTG Pactual aprovou um novo programa de recompra de ações. Poderão ser adquiridas até 15 milhões de Units atualmente em circulação, pelo prazo de 18 meses.

Este novo programa foi aberto após o cancelamento das ações ON e PNA do banco que haviam sido adquiridas, também sob o formato de Units, no programa anterior. Se recompradas na totalidade o montante do programa alcança R$ 485 milhões, equivalente a 2,0 dias de negociação.


IRB Brasil RE (IRBR3)
Esclarecimentos sobre questionamentos da CVM/B3

A companhia esclareceu em 3 de abril o que foi solicitado em relação à notícia veiculada na mídia sob o título “Para reaver credibilidade, IRB aguarda investigação e vai repaginar conselho”. Conforme Fato Relevante divulgado pelo IRB Brasil RE no dia 4 de março, “o Conselho de Administração (…) manteve a determinação à Diretoria Estatutária para instalar um procedimento de apuração, de forma a identificar as circunstâncias exatas da divulgação de informações, pela Companhia, relativas à sua base acionária”.

Neste sentido, contratou o escritório de advocacia Felsberg e a firma de auditoria KPMG. A companhia tem interesse em concluir a apuração o mais rápido possível, entretanto não pode se comprometer com qualquer prazo, no momento, uma vez que a apuração ainda está em andamento.

Com relação à administração, 3 conselheiros titulares e outros suplentes apresentaram, por razões pessoais, suas respectivas renúncias, e nesse sentido, haverá, oportunamente, em assembleia geral, o preenchimento destes cargos, por pessoas com as qualificações necessárias ao exercício do cargo.

Com relação à Diretoria Estatutária, ainda não há decisão neste sentido, mas com a recente substituição de toda a antiga Diretoria Estatutária, os novos administradores estão, juntamente com o Conselho de Administração, examinando a conveniência de se realizar algumas reformulações. Caso haja alguma decisão neste sentido, será necessária a realização de assembleia geral de acionistas e dependerá de prévia aprovação.


CCR (CCRO3)
Dados operacionais atualizados

Na noite da sexta-feira, a empresa divulgou seus dados operacionais atualizados até o dia 2/abril (quinta-feira). Os números mostraram grandes reduções de tráfego, na mobilidade urbana e de movimentação nos aeroportos, em consequência das medidas para o combate à disseminação do Coronavírus.

· É importante ressaltar como muito positiva a iniciativa da CCR em divulgar seus dados operacionais atualizados, mostrando os impactos iniciais da pandemia em seus negócios, mesmo que os números não sejam bons;

· Na semana, o tráfego consolidado da CCR (sem a ViaSul) teve uma redução de 59,7% nos veículos de passeio, com queda menor nos comerciais (12,0%), levando a uma diminuição de 34,0% no total. No acumulado de 2020 até o dia 2/abril, o desempenho positivo foi conseguido antes das restrições de movimentação, permitindo ganhos no tráfego total consolidado de 3,6% (queda de 2,2% sem a ViaSul);

· Em mobilidade e aeroportos já ocorreram os principais efeitos negativos da pandemia. Na CCR Mobilidade o número de passageiros transportados no acumulado do ano (até 2/abril) caiu 5,6%, com forte redução no período de 27/março a 2 de abril, quando houve uma diminuição de 78,4%. Na CCR Aeroportos, a queda na semana foi de 93,0% e no trimestre atingiu 11%.


Boletim Focus
Nesta semana destaque para a redução da inflação, do PIB e da Selic em 2020. Para o próximo ano, queda da inflação, da Selic e alta do câmbio

Dentre as alterações contidas no Boletim Focus divulgado hoje (6), referente a 3 de abril, destaque para a redução do IPCA (4ª consecutiva), do PIB (8ª consecutiva) e da Selic, com manutenção do câmbio, tomando por base 2020. Para 2021 ressalte-se a redução da expectativa para a inflação, pra a Selic e elevação do câmbio.

Destaques do Boletim Focus para 2020:

IPCA: 2,72%;

IPCA (atualização dos últimos 5 dias): 2,44%;

PIB: -1,18%;

Taxa de câmbio: R$ 4,50

Meta Selic: 3,25%


 

Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.