Ontem tivemos o sexto circuit breaker em mais um dia muito difícil onde B3 operou em queda forte 10,35% aos 66.895 pontos

MERCADO


Bolsa
Nesta quarta-feira a B3 operou em queda forte, desde a abertura, quando o circuit breaker foi acionado novamente. O Ibovespa retomou os negócios e chegou a cair 14,84%. Ao final recuperou parte das perdas e fechou com queda de 10,35% aos 66.895 pontos. O giro financeiro somou R$ 59,5 bilhões, potencializado pelo vencimento de opções sobre o índice, que movimentou R$ 14,1 bilhões. A agenda hoje está concentrada nos EUA com os Novos pedidos seguro-desemprego até 14/março e o Índice antecedente de fevereiro. As bolsas na Ásia fecharam em queda e as europeias operam em alta nesta quinta-feira, diante de forte queda no pregão anterior, após o BCE anunciar ontem à noite um novo programa temporário de compra de ativos no valor de 750 bilhões de euros. O petróleo opera em alta e os Futuros americanos em queda. No Brasil o mercado segue analisando a redução da Selic. O BC sinalizou “cautela” e que “neste momento” vê como adequada a manutenção Selic neste patamar.

Câmbio
O dólar subiu, mesmo com ação do Banco Central e chegou a R$ 5,25 com os investidores acompanhando o cenário externo e à espera da decisão do Copom. O BC anunciou compra de títulos soberanos com compromisso de revenda, em operação semelhante realizada durante a crise financeira de 2008. Ao final o dólar fechou com alta de 2,3% a R$ 5,1214.

Juros
Os futuros operaram em alta alinhada com o comportamento do câmbio, a espera que o BC terá de aumentar a Selic em algum momento mais à frente de modo a conter as pressões inflacionárias. No curto prazo a expectativa majoritária era de que taxa básica seria reduzida em 0,50pp, de 4,25% para 3,75%, o que foi confirmada após a 229ª reunião do Copom. No fim da sessão regular, a taxa do DI para janeiro de 2021 subiu de 3,60% para 4,18% e a do DI para janeiro de 2025 elevou-se de 6,59% para 7,82%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Multiplan (MULT3)
Companhia suspende temporariamente operações dos Shopping centers no RJ e Porto Alegre

A Multiplan informou ontem (18) que por motivos de força maior e com o intuito de resguardar a saúde e o bem-estar dos consumidores, colaboradores, lojistas e da população, suspenderá temporariamente suas operações localizadas no Rio de Janeiro e em Porto Alegre.

Os quatro shopping centers operados pela companhia no Rio de Janeiro, seguindo as recomendações do Decreto Estadual nº 46.973 de 16 de março de 2020, suspenderão suas atividades pelo período de 15 dias, a contar de 18 de março de 2020, sendo facultada a abertura das operações de serviços essenciais para a sociedade, como farmácias, alimentação e centros médicos.

O shopping center operado pela companhia em Porto Alegre, em acordo com o Decreto Municipal nº 20.506 de 17 de março de 2020, suspenderá suas atividades pelo período de 30 dias, a contar de 18 de março de 2020, sendo facultada a abertura das operações de serviços essenciais para a sociedade, como farmácias, alimentação e operações de saúde.

Em ambas as cidades, as operações de delivery serão permitidas, inclusive com suporte das centrais de entrega da Delivery Center do BarraShopping e BarraShoppingSul. Os demais shopping centers operados pela Multiplan continuarão a operar temporariamente das 12h00 às 20h00.


Via Varejo (VVAR3)
Resultados não auditados mostram caixa de R$ 4,36 bilhões e dívidas de R$ 2,15 bilhões em dez/19

A Via Varejo divulgou ontem (18) informações preliminares e não auditadas sobre sua posição financeira ao final de 2019, em resposta às notícias sobre o seu endividamento no curto prazo e seu caixa.

Posição de caixa em 31 de dezembro de 2019 era de R$ 4,37 bilhões e se compara com R$ 2,83 bilhões em set/19. Desse total, R$ 1,36 bilhão em com caixa e equivalentes de caixa, e recebíveis de cartão não descontados de R$ 3,0 bilhões.

A dívida bancária total em dez/19 era de R$ 2,15 bilhões, sendo R$ 1,5 bilhão de notas promissórias a vencer em setembro de 2020, e R$ 500 milhões em debêntures com vencimento em dezembro de 2021. Ao final de set/19 a dívida estava em R$ 2,17 bilhões.

A Via Varejo divulga seu balanço do 4T19 na próxima quarta-feira, dia 25 de março.


EZTEC S.A. (EZTC3)
Empreendimento Z Ibirapuera com VGV de R$ 118,6 milhões

A EZTEC anunciou ontem (18) o lançamento do empreendimento Z Ibirapuera, localizado em Moema, Zona Sul da cidade de São Paulo. A torre possui 174 unidades, de padrão smart living, com áreas de 24 a 54 m², para um VGV (Valor Geral de Vendas) total de R$ 118,6 milhões. A participação da EZTEC é de 100% e a Previsão de entrega é em janeiro de 2023.


Tupy (TUPY3)
Medidas frente à Covid-19

Após o pregão de ontem, a empresa comunicou as medidas que vem tomando para enfrentar as consequências do surto de Coronavírus (Covid-19).

Inicialmente, a empresa vai conceder férias coletivas, para todas as operações do Brasil, pelo período de dez dias, a partir de 19 de março. Isso porque o Estado de Santa Catarina, onde está localizada a principal unidade da empresa, restringiu o transporte coletivo urbano e também por conta da suspensão de operações dos clientes;
A empresa afirmou também que está monitorando a situação da pandemia no México, onde mantém parte importante de suas operações;
Consideramos como muito positiva a divulgação deste tipo de informação pela Tupy. Em meio à fortíssima queda do mercado de ações, é importante para o investidor saber do estado dos negócios da empresa, assim como as medidas que ela está tomando para enfrentar o problema.

 


CCR (CCRO3)
Providências para administrar os efeitos do surto da Covid-19

Na noite de ontem, a empresa divulgou as medidas que está adotando para enfrentar os efeitos da pandemia do Coronavírus e o estado de seus negócios.

  • Inicialmente, a CCR criou um comitê de crise destinado a gerir as ações dentro da empresa neste momento de crise;
  • Segundo a empresa, o tráfego em suas concessões rodoviárias (75% do EBITDA em 2019), houve redução na movimentação de veículos leves (provável efeito do home office) e aumento nos pesados, dado que não houve restrição no transporte de carga.  No segmento de mobilidade urbana (15%) já houve uma redução de 30% com relação ao número usual de passageiros transportados.  A divisão de aeroportos (10%) é a mais afetada. As operações foram muito reduzidas nos aeroportos de San José (Costa Rica), Quito (Equador) e em Curaçao, assim como no BH Airport e nas operações aeroportuárias nos Estados Unidos;
  • A atualização de informações sobre os negócios da empresa, neste momento de crise, nos parece uma atitude muito positiva.

Braskem (BRKM5)
Postergação na entrega do balanço de 2019

Nesta manhã, a empresa informou que vai postergar a entrega de suas demonstrações financeiras do exercício de 2019 para o dia 30 de março de 2020. A data anteriormente prevista para esta divulgação era hoje (19/março), após o fechamento do pregão.

Esta é uma notícia negativa e que traz insegurança para os investidores;
A data da Assembleia Geral Ordinária também foi adiada para o dia 30 de abril de 2020;
Segundo a empresa, o contexto atual levou à extensão do prazo da auditoria independente.

 


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.