A alta das bolsas internacionais não ajudou nosso mercado, que teve a divulgação do dado fraco da produção industrial

MERCADO


Bolsa

Pelo quinto pregão consecutivo o Ibovespa encerrou em baixa (0,26%) marcando 115.947 pontos, com giro financeiro de R$ 23,4 bilhões. A alta das bolsas internacionais não ajudou nosso mercado, que teve a divulgação do dado fraco da produção industrial, talvez um sinal de alerta. Hoje a agenda vem carregada com os dados do “payroll” no EUA (variação nos salários). Outros dados importantes serão divulgados ainda nesta manhã nos EUA. No Brasil, a 1ª prévia do IGP-M mostra alta de 0,67% (abaixo da expectativa média do mercado de 1,10%). A inflação de dez/19 (IPCA) mostrou alta de 1,15% no M/M e de 4,31%x no A/A. As bolsas internacionais mostram alta na zona do euro e no fechamento da Ásia. Os sinais de que EUA e Irã deram uma recuada nas ameaças deu novo ânimo aos mercados de risco. Além disso, na semana que vem está prevista a assinatura do documento para o acordo comercial entre EUA e China. Nosso mercado, ainda sem rumo em janeiro pode ter um melhor desempenho hoje.

Câmbio

O dólar voltou a subir ontem, de R$ 4,0638 para R$ 4,0891 (+0,62%). A fraca produção industrial de novembro, o menor volume de negócios no mercado, e a alta da moeda americana no exterior ajudaram a pressionar o câmbio.

Juros

As taxas de juros futuros fecharam perto a estabilidade em dia noticiário fraco, exceto a divulgação da produção industrial de novembro. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 fechou a sessão regular em 4,455%, mesmo nível do ajuste da quarta-feira. Para jan/27 a taxa caiu de 6,760% para 6,730%


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Camil Alimentos S.A. (CAML3)

Lucro Líquido do 3T19 mostra recuperação em base trimestral e queda em 12 meses

A Camil Alimentos S.A. reportou seu resultado do 3T19 referente aos meses de setembro a novembro de 2019, com destaque para a evolução de receita líquida em ambas as bases de comparação. A venda de grãos no Brasil cresceu em doze meses mas registrou queda em base trimestral. Já no mercado internacional a companhia apresentou melhora em relação ao trimestre anterior e redução ante igual período do ano anterior.

Nesse contexto o lucro líquido do 3T19 caiu 56% ante o 3T18 e cresceu 65% frente o 2T19 alcançando R$ 66,1 milhões. A margem líquida elevou-se de 3,3% no 2T19 para 4,6% no 3T19. A Camil tem concentrado esforços na busca da redução de custos e despesas, ajustando suas operações, objetivando alcançar um novo ciclo de crescimento. O cenário foi de leve melhora no repasse de preços e trouxe um crescimento modesto nas margens.

Ao final de novembro de 2019 a dívida bruta da companhia era de R$ 2,05 bilhões, com crescimento de 48% em doze meses, reflexo (i) da aquisição da SLC Alimentos, (ii) da emissão de R$ 600 milhões de debêntures vinculadas a emissão de CRA, (iii) da recompra de ações e do efeito cambial no segmento internacional. A dívida líquida era de R$ 1,57 bilhão, com alavancagem de 3,7x ante 2,9x no trimestre anterior.


Sabesp (SBSP3)
Alteração das etapas do cronograma de eventos da Estrutura Tarifária

A Arsesp – Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo divulgou a Deliberação n° 951 com alterações nas datas das etapas 3 a 6 do cronograma de eventos da Estrutura Tarifária, aprovado por meio da Deliberação Arsesp n° 865.

O prazo para análise (etapa 3), pela Arsesp, da proposta enviada na etapa 2 passou de 11 de março para 20 de outubro. A data-limite para a publicação de nota técnica preliminar (etapa 4) foi alterada de 16 de abril para 29 de outubro. Já a realização de consulta pública e audiência pública sobre a Nota Técnica Preliminar publicada conforme a etapa 4, passou de 17 de abril e 19 de maio, para o período entre 29 de outubro e 27 de novembro.

A análise das contribuições, a publicação da Nota Técnica Final, do Relatório Circunstanciado e da Deliberação sobre a estrutura de tarifas aprovada pela Arsesp (etapa 6), cujo prazo final era o dia 29 de junho, agora deve acontecer até 30 de dezembro.


Banco Inter (BIDI11)
Prévia Operacional do 4T19

O Banco Inter reportou ontem (9/jan) a prévia dos resultados operacionais do 4T19, de forma preliminar, não auditada, e sujeitas à revisão. Ontem a ação BIDI11 estava cotada a R$ 51,71 por Unit, equivalente a um valor de mercado de R$ 12,1 bilhões e crescimento de 10,9% este ano.

Ao final do trimestre o banco tinha 4,1 milhões de correntistas, com crescimento de 180% ante 2018. No trimestre foram abertas 807 mil novas contas, com média de mais de 13 mil contas por dia útil em dezembro. O número de clientes ativos atingiu 2,3 milhões, avanço de 169% frente o 4T18. Na Plataforma Aberta Inter (PAI), de investimentos, o número de clientes ativos chegou a 425 mil, com crescimento anual de 269%.

A originação de crédito somou R$ 4,3 bilhões em 2019 e R$ 1,4 bilhão no 4T19, após alta de 75% e 86%, respectivamente. Somente na modalidade Empresas, foram R$ 2,1 bilhões no ano e R$ 697 milhões no trimestre, crescimentos de 83% e 82%.

O crédito imobiliário do Inter teve produção de R$ 1,2 bilhão em 2019 e R$ 330 milhões no 4T19, com crescimentos anuais de 47% e 38%, respectivamente. Já o consignado teve originação de R$ 996 milhões no ano, alta de 105% e de R$ 356 milhões no quarto trimestre, com crescimento de 194%.


Petrobras (PETR4)
Calendário de eventos

Nesta manhã a empresa divulgou seu calendário de eventos para o resultado do 4T19 e dos três primeiros trimestres de 2020.

Os números do 4T19 serão divulgados no dia 19 de fevereiro de 2020, com a Assembleia Geral Ordinária que deve deliberar sobre eventuais proventos relativos ao ano passado, sendo realizada em 22 de abril;

O 1T20 será divulgado no dia 29 de abril/20, com o 2T19 em 30/julho e o 3T19 em 28/outubro.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Posições Alugadas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.