Mais uma alta ontem sustentado pelas ações da Petrobras

MERCADO


Bolsa

O Ibovespa marcou mais uma alta ontem (0,15%), desta vez sustentado pelas ações da Petrobras e de bancos, chegando aos 107.544 pontos, com giro financeiro de R$ 16,9 bilhões. Encerrado o processo da reforma da Previdência, a safra de resultados deverá ter maior peso nas próximas semanas, com ações de peso já divulgando seus números nesta semana. No exterior, os mercados mostram alta na zona do euro nesta manhã e no fechamento da Ásia, com destaque para bons resultados corporativos do 3T19 divulgados na Alemanha, com expectativa positiva também para empresas americanas e um alivio no noticiário sobre a economia global. Hoje a agenda econômica vem carregada de dados da zona do euro e Estados Unidos. No Brasil, saiu o índice de confiança do consumidor e ainda nesta manhã teremos o saldo de investimentos estrangeiros em setembro. O Ibovespa segue com ambiente favorável para engatar mais uma alta nesta quinta-feira.

Câmbio

A moeda americana encerrou a quarta-feira cotada a R$ 4,0364 com queda de 1,16% em relação aos R$ 4,0839 de terça-feira. A conclusão do primeiro passo no programa de reformas do governo Bolsonaro deu um alivio ao mercado, aliviando a pressão sobre o real.

Juros

O ambiente no mercado de juros futuros segue calmo, com a aprovação da reforma da Previdência no Senado e abrindo espaço para a colocação da pauta econômica na mesa ainda neste ano, embora as decisões devam se arrastar por 2020. Mesmo assim, o cenário para o mercado de juros deve permanecer tranquilo. Ontem, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 fechou com taxa de 4,50%, na mínima, de 4,537% no ajuste da terça-feira e para jan;25 a taxa caiu de 6,201% para 6,13%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Localiza (RENT3)
Um bom resultado no 3T19

  • A Localiza continuou neste trimestre sua trajetória de lucros crescentes. A empresa apresentou ganhos expressivos na operação, que permitiram os aumentos de receita e lucros, porém com pequenas perdas de margem.
    • No 3T19, o lucro líquido foi de R$ 205 milhões (R$ 0,28 por ação), valor 7,7% maior que no trimestre anterior e 28,0% acima do 3T18;
    • As operações da Localiza tiveram forte expansão em todos os segmentos no 3T19. No principal negócio da empresa (Aluguel de Carros), sempre comparando ao 3T18, a frota média alugada aumentou 34,3%, o que permitiu um aumento de 34,4% no número de diárias do segmento;
    • No segmento de Gestão de Frotas, o desempenho no 3T19 também foi positivo, com elevação no número de diárias de 25,7%.

CSN (CSNA3)
Um grande prejuízo no 3T19

A empresa apresentou um resultado fraco no 3T19, com queda na receita e nas margens e aumento dos custos financeiros, o que levou a um grande prejuízo.  Além disso, a atualização do valor justo das ações da Usiminas também contribuiu para o número negativo do trimestre.

  • O prejuízo consolidado da CSN no 3T19 foi de R$ 871 milhões (R$ 0,63 por ação), contra os resultados positivos de R$ 1,9 bilhão no trimestre anterior e R$ 752 milhões no 3T18;
  • No 3T19, as vendas de aço da CSN atingiram 1.072 mil toneladas, volume 16,9% menor que no 3T18.  Os volumes vendidos caíram em todos os mercados, com destaque para o mercado interno pelo maior volume negociado, onde houve queda de 17,8% (redução de 162 mil toneladas);
  • Na mineração o trimestre também foi decepcionante.  O volume produzido de minério aumentou 13,6% em relação ao 3T18.  Porém, o total de minério vendido caiu 0,9% em relação ao trimestre 3T18 e 9,2% na comparação com o período anterior.

EDP Energias do Brasil S.A. (ENBR3)
Lucro do 3T19 cresce 15% para R$ 354 milhões

A EDP registrou um lucro líquido de R$ 354 milhões no 3T19 com crescimento de 15,3% em relação aos R$ 307 milhões do 3T18, explicado pela melhora operacional parcialmente compensada pelo pior resultado financeiro. No acumulando de 9M19 o lucro alcançou R$ 839 milhões, 12% superior a igual período do ano anterior. Em base ajustada o lucro do 3T19 somou R$ 176 milhões e R$ 588 milhões no 9M19

Olhando o trimestre a receita líquida recuou 9,6% para R$ 3,4 bilhões e o EBITDA cresceu 14,6%, somando R$ 779 milhões, em função dos esforços da companhia na melhora dos resultados e maior eficiência operacional. O foco no controle de custos permanece e reflete no crescimento do PMSO abaixo da inflação


São Martinho S.A. (SMTO3)
Companhia tem rating elevado para Grau de Investimento (BBB-) em escala global pela Standard & Poor’s

Ontem (23/out) a Standard & Poor’s Financial Services (“S&P”), concedeu o grau de investimento (rating “BBB-“) para o risco de crédito de longo prazo da São Martinho em escala global. O rating em escala nacional permanece “AAA”, ambos com perspectiva estável.
De acordo com a S&P, a melhora do rating “reflete, principalmente, a habilidade e consistência da companhia na geração de caixa, manutenção da baixa alavancagem ao longo dos últimos anos, comprovando sua solidez mesmo em momentos mais desafiadores do setor; e que os investimentos que estão sendo realizados devem aumentar a rentabilidade no longo prazo”.
Vemos como positivo. Um reconhecimento á estratégia de longo prazo da companhia que segue focada na geração de valor e sustentabilidade do negócio.


Camil Alimentos S.A. (CAML3)
Cancelamento de ações em tesouraria, recompra de ações e convocação de AGE

O Conselho de Administração da Camil Alimentos aprovou em 22 de outubro:
(i) O cancelamento da totalidade das ações de emissão da companhia atualmente mantidas em tesouraria, que totalizam 9.386.856 ações (2,29% do capital total);
(ii) A aquisição em 3 etapas, pela companhia, de 30.665.030 ações (7,48% do capital total), detidas pelo acionista WP XII E Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia, em operações a serem realizadas fora de bolsa de valores (“Recompra”);
(iii) Convocação de AGE a ser realizada em 7 de novembro de 2019 (1ª convocação) para deliberar sobre a Recompra.


Sanepar (SAPR11)
TCE da Paraná reestabeleceu o percentual de reajuste fixado pela AGEPAR com a aplicação do diferencial de 3,76%

A Companhia de Saneamento do Paraná – Sanepar, em continuidade à divulgação das informações referentes ao “Reajuste Tarifário Anual de 2019”, comunicou que o Tribunal de Contas do Estado do Paraná – TCE/PR, em reunião do Tribunal Pleno no dia de ontem (23/out), revogou a medida cautelar proferida nos autos nº 312857/19 e, desta forma, reestabeleceu o percentual de reajuste fixado pela AGEPAR com a aplicação do diferencial de 3,76%.
Temos recomendação de COMPRA com preço justo de R$ 97,00/Unit e potencial de alta de 8,3%.
Essa decisão, além de favorável, atende aos preceitos estabelecidos na metodologia regulatória, reestabelece o direito da companhia ao reajuste de 12,13% definido inicialmente pela AGEPAR, e reflete no incremento de receita e de resultado, uma vez que os custos já foram incorridos.
Programa de Aposentadoria Incentivada (PAI). A Sanepar, em complemento ao Comunicado ao Mercado de 17 de abril de 2019, informou ontem (23/out) também, que o Programa de Aposentadoria Incentivada – PAI está previsto para ser realizado no ano de 2020, sendo que a implantação do programa será oportunamente divulgada pela companhia, assim que os trâmites administrativos forem concluídos.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.