Dados da indústria na China dão alívio

MERCADO


Bolsa
O Ibovespa iniciou a semana com alta de 0,67% aos 96.054 pontos no fechamento de ontem, com giro financeiro de R$ 13,4 bilhões. Os dados divulgados para a indústria na China deram um alívio ao sentimento negativo em relação ao desempenho da economia mundial. O destaque do dia ficou para as ações das siderúrgicas e mineração, com avanço dos preços do minério de ferro. Hoje a agenda econômica traz o resultado da produção industrial em fevereiro no Brasil com alta de 0.7% no M/M e de 3.0% no A/A. Os indicadores divulgados lá fora são pouco relevantes, mas os mercados seguem em alta. Do lado doméstico fica a expectativa em relação à reunião da quarta-feira entre governo e parlamentares para discussão da Previdência, mas a bolsa pode ainda seguir o bom humor das bolsas internacionais.

 

Câmbio
O dólar teve dia de baixa com a cotação passando de R$ 3,910 para R$ 3,8505 no fechamento de ontem. O tom mais ameno na discussão da reforma da Previdência reduziu a pressão de curto prazo.

 

Juros
A divulgação do Boletim Focus e momento favorável dos mercados internacionais tiveram peso na curva dos juros futuros, com a taxa do contrato de DI para já/20 marcando 6,495%, de 6,521% no ajuste de sexta-feira. Já na ponta mais longa a taxa do DI para jan/25, passou de 8,752% para 8,65%.

.

 

ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Cemig S.A. (CMIG4)
Bom resultado no 4T18
A Cemig registrou no 4T18 um lucro líquido de R$ 1,0 bilhão, acumulando em 2018 um lucro líquido de R$ 1,7 bilhão, com crescimento de 69,8% em relação a 2017. O EBITDA de 2018 somou R$ 3,8 bilhões, 8% superior ao EBITDA de R$ 3,5 bilhões em 2017, com melhora na margem EBITDA de 16,1% em 2017 para 17,0% em 2018. A receita líquida somou R$ 22,3 bilhões, com aumento de 2,6% ante o exercício anterior.
• Cotadas a R$ 13,89/ação (valor de mercado de R$ 20,3 bilhões) suas ações registram alta de 0,2% este ano e 74,4% em doze meses. O preço justo de R$ 16,00/ação traz um potencial de valorização de 15,2%. Os múltiplos para 2019 são: P/L de 10,5x e VE/EBITDA de 7,7x.
• Com relação a venda de ativos a companhia destaca que “apesar da complexidade que envolve os processos de alienação, confia que em 2019 deve apresentar novos resultados positivos, o que contribuirá para a redução da alavancagem de forma mais rápida e expressiva”.
• Ao final de dezembro de 2018 a dívida consolidada da companhia era de R$ 14,8 bilhões, com crescimento de 3% em doze meses. Já a dívida líquida somava R$ 13,1 bilhões, com acréscimo de 6% em relação a dez/17, equivalente a 3,5x o EBITDA (IFRS). E 2018 foram realizados investimentos de R$ 1,86 bilhão.
• A Cemig deve aprovar R$ 657 milhões na forma de dividendos referente a 2018, aos acionistas na sua assembleia geral ordinária, que acontece em 30 de abril. Os proventos serão pagos até 30 de dezembro de 2019. O retorno estimado é de 3,2%.


JBS (JBSS3)
Companhia precifica emissão de US$ 1 bilhão
A JBS precificou emissão de títulos seniores no montante de US$ 1 bilhão com yield de 6,5%. Inicialmente, buscava uma emissão de US$ 650 milhões, com vencimento em 2029, não resgatáveis por 5 anos, mas elevou o montante, refletindo a boa procura.
• Ainda, de acordo com fontes de mercado, a companhia pretende utilizar os recursos desta emissão para recompra de título sênior de 7,250% e vencimento em 2021. Ou seja, uma operação no curso normal dos seus negócios, visando redução de custo e alongamento de prazo. Ao final de dez/18 a dívida líquida da JBS era de R$ 47,3 bilhões (3,2x o EBITDA) abaixo de R$ 45,3 bilhões de dez/17 (3,4x o EBITDA).
• Ao preço de R$ 16,23/ação (valor de mercado de R$ 44,3 bilhões) suas ações registram alta de 40,0% este ano. O preço justo de R$ 18,00/ação (média Bloomberg) embute um potencial de alta de 10,9% para seus papéis, que estão sendo negociados com P/L e VE/EBITDA para 2019 de, respectivamente, 9,7x e 5,8x.


Petrobras Distribuidora (BRDT3)
Recebimento de dívida da Eletrobras
A empresa comunicou ontem, após o pregão, que recebeu R$ 127,6 milhões naquela data, referente à décima parcela dos Instrumentos de Confissão de Dívida (ICDs), assinados no ano passado com a Eletrobras.
• A BR Distribuidora já recebeu R$ 2,0 bilhões referentes a estas dívidas;
• Estes recebimentos são muito positivos, pois além de elevar o caixa da empresa, tem impacto direto no resultado, por se tratar de dívidas já provisionadas.


Linx (LINX3)
Aquisição da totalidade de ações da Hiper Software S.A
Fundada em 2012, a Hiper é uma software house focada em soluções SaaS para micro e pequenos varejistas. O faturamento bruto da Hiper esperado para 2019 é de R$ 13,0 milhões.
• A Linx pagará o total de R$ 17,7 milhões à vista e, adicionalmente, sujeito ao atingimento de metas financeiras e operacionais, ligadas à penetração das soluções de TEF e Linx Pay em sua base de clientes, dentre outras, para os anos entre 2019 a 2021, pagará o valor de até R$ 32,3 milhões.
• Ontem a ação LINX3 encerrou o dia cotada a R$ 36,25 acumulando alta de 11,2% no ano. O valor de mercado da companhia atualmente é de R$ 5,7 bilhões.


Odontoprev (ODPV3)
Pagamento de dividendos de RR 0,0523 por ação. “Ex” dm 05/04
Ontem a Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária da Odontoprev aprovou a distribuição de dividendos, no montante total de R$ 27,758 milhões, correspondendo a R$ 0,052310979 por ação.
A ação ODPV3 encerrou ontem cotada a R$ 16,69 e o provento representa um retorno de 0,31% para os acionistas.


Guararapes (GUAR4)
Deferida ação para crédito de R$ 1,173 bilhão decorrente de exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e da Cofins
O crédito é decorrente de decisão judicial transitada em julgado oriunda de ação em que discutiu a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e da Cofins, conforme decisão do Supremo Tribunal Federal em caráter de repercussão geral.
Ontem a ação GUAR4 encerrou cotada a R$ 151,00 acumulando queda de 5,7% no ano.


Multiplus (MPLU3)
Cancelamento de registro na B3 e saída do Novo Mercado
A B3 informa que as ações da Multiplus deixam de ser listadas no Novo Mercado a partir de amanhã, 02, considerando a oferta de aquisição de ações (OPA) realizada hoje. Os papéis serão negociados no segmento básico.


Ânima (ANIM3)
Processo de Captação de alunos
A Ânima informou ontem o resultado do seu processo de captação de alunos do primeiro semestre de 2019, o qual se mostrou bastante positivo, haja vista que a base de comparação do primeiro semestre de 2018 já era forte, o ambiente de forte competição e a reduzida participação de financiamento público.
Com isso, a companhia iniciou o 1S19 com 33,0 mil novos alunos de graduação, o que representa um crescimento de 9,8% frente ao mesmo período do ano anterior. Deste resultado, 29,9 mil alunos (83,3%) partiram da captação nos mesmos campi, 2,4 mil alunos (7,2%) de unidades abertas em 2019 e 0,7 mil alunos (2,1%) de aquisições de 2018.
Ontem a ação ANIM3 encerrou cotada a R$ 18,27 acumulando valorização de 7,5% neste ano, a despeito da queda de 39,2% em 2018. O valor de mercado atual da companhia é de R$ 1,4 bilhão e suas ações estão sendo negociadas a 2,13x o valor patrimonial.


Mineração
Forte queda das exportações de minério em março
As exportações brasileiras de minério de ferro em março/19 foram de 22,2 milhões de toneladas, volume 25,9% menor que no mesmo mês de 2018, conforme os dados fornecidos pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex).
• No acumulado do 1T19, a receita das exportações somou US$ 4,6 bilhões, que ficou 3,5% maior que em 2018;
• Os números positivos para a receita das exportações no 1T19, indicam bons resultados para o segmento de minério de ferro da Vale e CSN. No entanto, a forte queda do volume exportado em março já reflete os problemas da Vale, derivados dos fechamentos de minas que se seguiram ao acidente em Brumadinho.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações

Mapa de Posições Alugadas

Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.