Ibovespa consegue recuperação com alta de 2,74%

MERCADO


Bolsa

A terça-feira foi de recuperação na bolsa, após dois pregões em queda. No fechamento o Ibovespa marcou alta de 2,74% aos 87.891 pontos, com giro financeiro de R$ 14,5 bilhões. O argumento para a puxada na bolsa foi a sinalização de que o acordo para a votação da sessão onerosa dos excedentes da Petrobras estaria próximo de ser fechado. Esta expectativa poderá sustentar a B3 ainda nesta quarta-feira, seguindo o bom humor das bolsas internacionais que operam em alta na zona do euro com fechamento positivo também na Ásia e futuros sinalizando alta em NY.  A agenda econômica de hoje traz em destaque o PIB do 3T18 nos EUA, ainda nesta manhã, mas nenhum dado importante do lado doméstico. No âmbito internacional, atenção para a indefinição nas relações entre EUA e China e os próximos passos do Brexit e ainda a proximidade da reunião de cúpula do G20 e o encontro entre Donald Trump com Xi Jimping na Argentina neste final de semana.

Câmbio
A puxada no dólar na segunda-feira levou o Banco Central a atuar ontem com oferta de US$ 2 bilhões em leilão de linha no início da tarde, forçando um recuo de 1,24% na cotação no fechamento para R$ 3,8729.

Juros
Em dia de noticiário fraco, os juros futuros tiveram pouca oscilação nas pontas de fechamento, com contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 fechando em 7,00%, de 6,972% no ajuste de ontem.

 

 

ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS


AES Tiete (TIET11)

Investor Day 2018
A companhia realizou ontem (27/nov) seu Dia do Investidor (Investor Day 2018), abordando três grandes temas: (1) Estratégia; (2) Desenvolvimento de Negócios; e (3) Inteligência Comercial. Ao preço de R$ 9,98 (valor de mercado de R$ 3,9 bilhões), suas units registram queda de 16,7% este ano. O preço justo de R$ 13,10/unit traz um potencial de alta de 31,3%.

  • Estratégia. Segue norteada por (i) Retorno adequado; (ii) PPA de longo prazo e (iii) Foco em geração renovável de energia. Nesse contexto a companhia segue em busca de bons projetos, notadamente em M&A, e em geração solar e eólica, como forma de mitigar o risco da geração hídrica, através da aquisição de ativos em operação ou em fase final de desenvolvimento, com baixo risco de construção. A meta é compor 50% do EBITDA com fontes de energia não hidráulicas e contratos regulados de longo prazo, sendo que até meados de 2019, esse percentual será de 20%.
  • Impactos da retração de geração hidráulica no MRE / GSF. Desde o final de 2012, a geração das usinas hidráulicas participantes do MRE tem sido menor do que as suas respectivas garantias físicas, resultando em um GSF menor do que 1, que indica o nível de rebaixamento das garantias físicas das usinas hidrelétricas para efeito da contabilização na CCEE, gerando exposição dos geradores hidrelétricos ao mercado.
  • Algumas geradoras, mais expostas, como é o caso da AES Tietê, vêm negociando condições de adequação desses valores através de liminares que limitam ou neutralizaram o impacto do deslocamento hidrelétrico para algumas destas usinas pertencentes ao MRE. No caso da companhia, desde 1º de julho de 2015 até 30 de setembro de 2018, o saldo acumulado é de R$ 934,3 milhões referente à liminar, sendo este valor líquido de inadimplência nas liquidações.
  • Inteligência Comercial. Engloba a estratégia de diversificação e sazonalização, como forma de mitigar o risco hidrológico e a exposição ao mercado de curto prazo. Some-se o aproveitamento de oportunidades comerciais com ganhos de margem, a inovação e novas tecnologias utilizadas na estruturação de uma plataforma comercial integrada.

Cemig (CMIG4)
RME vende 2,13% do capital da Light SA

A Cemig informou que ontem (27/nov) a RME-Rio Minas Energia Participações S.A. (RME), integrante do bloco de controle da Light S.A. realizou a alienação de 4.350 mil ações, que representam 2,13% do capital social da Light, pelo valor total de R$ 64,5 milhões.

  • A venda deste lote foi equivalente a um preço médio de R$ 14,83/ação e que pode ter contribuído para explicar, em parte, a forte baixa de LIGT3, sendo que no mínimo (R$ 14,50/ação) registrou queda de 15,8% e fechou com desvalorização de 10,1% para uma cotação de R$ 15,49/ação.
  • Com essa venda, a soma das participações da Cemig, RME e Luce Empreendimentos e Participações S.A. no capital social da Light foram reduzidas de 52,12% para os atuais 49,99%.
  • Adicionalmente a Cemig reafirma sua decisão de alienar a totalidade de sua participação no capital social da Light, conforme seu Programa de Desinvestimento já divulgado, observada as oportunidades de mercado.

Minerva S.A. (BEEF3)
USDA aprovou a retomada das importações de carne bovina in natura da Argentina.

O Departamento de Agricultura Norte-Americano (USDA) informou em 26.11.18, que os Estados Unidos, através de seu Serviço de Inspeção e Segurança Alimentar (FSIS), aprovou a retomada das importações de carne bovina in natura da Argentina, a partir de ontem (27/nov).

  • Com essa nova aprovação, a Minerva passa a acessar o mercado norte-americano através de suas operações no Uruguai e na Argentina. Ontem as BEEF3 fecharam cotadas a R$ 5,41/ação, com queda de 49,2% este ano.
  • A Argentina, que já exportava carne bovina cozida e processada para os Estados Unidos, tem a sua disposição uma cota de 20.000 toneladas/ano para acessar o mercado norte-americano, isento de tarifas.
  • Segundo as estimativas do USDA, os Estados Unidos importarão 1.373 mil toneladas de carne bovina em 2018 e 1.406 mil toneladas em 2019, enquanto o estimado para as exportações da Argentina, segue em 500 mil e 575 mil toneladas de carne bovina em 2018 e 2019, respectivamente.

Ferbasa (FESA4)
Pagamento de JCP

A Ferbasa informou ontem, após o pregão, que seu Conselho de Administração deliberou o pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) no valor total de R$ 32,4 milhões.

  • Os valores líquidos do Imposto de Renda serão de R$ 0,3041238482 para cada ação ordinária e R$ 0,3345362331 para a preferencial;
  •  Terão direito ao provento, os acionistas da empresa no dia 7 de dezembro, sendo que as ações serão negocias “ex-Juros sobre Capital Próprio” a partir de 10/dezembro;
  • O pagamento deste JCP será realizado no dia 10/dezembro, proporcionando um retorno de 1,8% para os detentores de FESA4, tendo em vista a cotação da ação no fechamento do pregão de ontem.

Petrobras (PETR4)
Aumento da produção em outubro e perda no CARF

Em outubro, a produção de petróleo no Brasil realizada pela Petrobras foi de alcançou 2,041,0 mil barris por dia (mbpd), 8,7% maior que em setembro, mas 5,6% abaixo do mesmo mês no ano passado.

  • O forte aumento na produção em outubro ocorreu pelo início da operação na plataforma P-69 e também com o encerramento das paradas para manutenção em várias das plataformas localizadas na Bacia de Campos;
  • A Petrobras informou ontem, após o pregão, que o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (CARF) proferiu sentença desfavorável à empresa em processos fiscais que totalizam R$ 7 bilhões, aproximadamente;
  • Ainda cabe recurso no próprio CARF a esta decisão.

Locamerica (LCAM3)
Oferta pública de ações

A Locamerica (Unidas) anunciou na noite que fará uma oferta primaria de 31 milhões de ações e uma secundária composta, inicialmente, por até 7 milhões de ações.

  • O volume a ser colocado na oferta inicial elevará o número total de ações em 26,5%. A quantidade inicial da oferta secundária é equivalente a 6,0% do número atual de ações e tem valor de R$ 202 milhões, considerando a última cotação de LCAM3 (R$ 28,80);
  • A data da liquidação das ofertas foi prevista para 19 de dezembro.

Se preferir, baixe o Boletim Diário em pdf:

Baixar PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações

Mapa de Posições Alugadas

Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas

 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.