Boletim Diário – 30 de Outubro 2018

MERCADO

Bolsa
O primeiro pregão pós eleição presidencial foi de volatilidade no mercado, abrindo no impulso da vitória de Bolsonaro e passando por uma forte correção durante o dia. No fechamento o Ibovespa marcou queda de 2,24% aos 83.797 pontos com giro financeiro de R$ 24,3 bilhões. O comportamento da bolsa no curto prazo estará ainda mais sensível às declarações do presidente eleito e de sua equipe, ainda em formação e a cobrança de propostas será mais firme. As bolsas internacionais mostram predomínio de baixa no exterior no fechamento na Ásia e na zona do euro nesta manhã. Os futuros de NY indicam alta com os traders focando nos resultados do 3T18. Do lado doméstico, destaque para a inflação medida pelo IIGP-M (out) com alta de 0,89% no M/M e de 10,79% no A/A e também a taxa de desemprego nacional que veio em 11,9%. O PIB da zona do eurro no 3T18 alta de 0,20% (T/T) e 2,70% no (A/A) e outros dados com economia da região completam a agenda. Nos EUA nenhum dado relevante para hoje.

Câmbio
A saída de investidores da bolsa resultou numa puxada forte no dólar no mercado à vista. No fechamento a moeda subiu 1,36%, a R$ 3,7022.

Juros
Da mesma forma que os outros mercados, os juros futuros passaram por ajustes no primeiro momento pós eleição. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 fechou a etapa regular em 7,29%, de 7,373% no ajuste de sexta-feira, e a do DI para jan/25 encerrou na máxima de 9,89%, de 9,912%.



ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Itaú Unibanco (ITUB4)
Bom resultado trimestral impactado por queda do custo do crédito e crescimento da margem financeira com clientes

O banco registrou no 3T18 um lucro líquido recorrente de R$ 6,45 bilhões (ROAE de 21,3%), 1,1% acima dos R$ 6,38 bilhões do 2T18 (ROAE de 21,6%). Um resultado trimestral 3% abaixo dos R$ 6,65 bilhões que estimávamos, devido ao maior crescimento das despesas não decorrentes de juros.

  • Destaque positivo para (i) a redução do custo do crédito, notadamente de PDD e (ii) para a Margem Financeira com Clientes com incremento de 1,2% no trimestre, e que compensou a queda de 6,3% da Margem com o Mercado. O banco manteve inalterados os intervalos de projeções para 2018.
  • Suas ações registram este ano valorização de 20,4% para R$ 48,08/ação (valor de mercado de R$ 314,3 bilhões). Nesse preço o banco está sendo negociado a 2,6x o seu valor patrimonial e com P/L de 12,0x para 2018. Seguimos com recomendação de COMPRA e preço justo de R$ 59,00/ação, equivalente a um potencial de alta de 22,7%.
  • O resultado de seguros veio com queda em base trimestral e crescimento no acumulado do ano, assim como as receitas de serviços – que permanecem contribuindo positivamente para a formação do lucro do banco.
  • As despesas não decorrentes de juros evoluíram acima da inflação, reflexo do reforço das equipes comerciais, em especial na rede de agências, em seguros e adquirência. Houve também, de acordo com o banco, o impacto sazonal do acordo coletivo além do efeito da variação cambial no período nas despesas na América Latina.

Multiplan (MULT3)
Crescimento de 53,7% no lucro líquido de 9M18, somando R$ 360,3 milhões

A Multiplan apresentou bons resultados no 3T18 e no acumulado de 9 meses, com os principais destaques:

  • Crescimento de 3,9% na receita liquida e 25,5% no EBITDA;
  • Redução forte na despesa financeira líquida;
  • Crescimento de 7,0% nas vendas nos 19 shopping centers onde a Multiplan detém participação, somando R$ 3,615 bilhões, sobre o 3T17;
  • Aumento de 54,1% no lucro líquido do 3T18 e de 53,7% no acumulado de 9 meses, somando R$ 360,3 milhões.

Petrobras (PETR4)
Redução no preço do diesel

A Petrobras informou ontem, após o pregão, que vai diminuir o preço do diesel em 10,1% para o período de 30/ outubro a 28/novembro.  A empresa passará a cobrar R$ 2,1228 por litro do diesel na refinaria nos próximos 30 dias, sendo que cobrava R$ 2,3606/litro no período anterior.

  • Naturalmente reduzir os preços é uma medida negativa para os resultados, mas obedece a critérios já conhecidos e acompanha a valorização do real;
  • Esta redução obedece à resolução da Agência Nacional do Petróleo, medida esta que foi tomada para terminar com a greve dos caminhoneiros.

Randon (RAPT4)
Abertura de filial

A Randon anunciou que vai abrir duas unidades em Linhares (ES), sendo uma filial para distribuição de peças e outra para produzir reboques, semirreboques e carroçarias.

  • Conforme afirmamos em relatório recente, o bom momento do setor permite que a Randon esteja com uma ocupação de suas fábricas próxima de 70%, sendo que 85% é o limite desejável;
  • Para o balanço do 3T18, que será divulgado no dia 8/novembro, esperamos que o crescimento das vendas, preços melhores e custos sem altas expressivas venham a garantir outro bom resultado para a empresa.

Telefônica Brasil (VIVT4)
Forte crescimento no lucro líquido do 3T18, somando R$ 3,2 bilhões

  • A Telefônica registrou crescimento expressivo no resultado líquido do 3T18 e no acumulado de 9 meses, somando R$ R$ 3,2 bilhões e R$ 7,4 bilhões, respectivamente. Este bom desempenho reflete o ganho financeiro no período.
  • Ontem a ação VIVT4 encerrou cotada a R$ 37,68 acumulando queda de 16,4% no ano.

CTEEP – Transmissão Paulista (TRPL4)
Forte geração de caixa no 3T18, em base regulatória

A companhia registrou em 3T18 um lucro líquido de R$ 191,5 milhões com queda de 17% ante os R$ 230,9 milhões de igual trimestre de 2017, com destaque para a geração operacional de caixa medida pelo EBITDA ajustado que somou R$ 517,1 milhões (+7,6%) com margem ajustada de 85,3%.

  • As TRPL4 cotadas a R$ 62,15/ação (valor de mercado de R$ 10,2 bilhões) registram leve alta de 0,3% este ano. Os múltiplos para 2018 são: P/L de 9,1x e VE/EBITDA de 6,3x. O preço justo de R$ 75,00/ação traz um potencial de alta de 20,7%.
  • Nesta base de comparação (3T18 versus o 3T17), a receita líquida cresceu 9,9% para R$ 605,9 milhões, sensibilizada principalmente pela contabilização do ajuste de ciclo da RAP 2018/2019, que considera a variação positiva do IPCA na receita de O&M e o aumento da RAP da RBSE pelo efeito da sazonalidade do faturamento ocorrido no 3T17.
  • O EBITDA consolidado somou R$ 478,6 milhões no 3T18, em linha com os R$ 474,7 milhões do 3T17, acumulando no 9M18 R$ 1,8 bilhão, aumento de R$ 992,9 milhões em relação ao 9M17, explicado pelo recebimento da RAP relativa à RBSE, que teve início no 3T17.
  • Ao final de setembro de 2018 a dívida líquida da Cteep era de R$ 1,39 bilhão, equivalente a 0,6x o EBITDA regulatório. No 3T18 a Cteep e suas controladas e coligadas investiram R$ 93,7 milhões, 64,3% acima do 3T17.

Klabin (KLBN11)
Resultados do 3T18, acompanhando o comportamento das outras exportadoras de papel e celulose, destaque para a geração de caixa operacional

A unit KLBN11 (1 ON + 4 PN) encerrou ontem cotada a R$ 18,56 acumulando valorização de 8,1% em 2018. O valor de mercado atual da companhia é de R$ 22,0 bilhões e a ação está sendo negociada a 3,25x o valor patrimonial.

A Klabin reportou ontem (29) os resultados dos 3T18, os quais se mostraram impulsionados por maiores volumes e preços, taxa de câmbio e controle dos custos. A forte geração de caixa operacional permitiu a elevação de 66,4% do EBITDA ajustado em relação ao 3T17, atingindo R$ 1,3 bilhão no trimestre. Porém, a última linha se mostrou impactada pelo maior resultado financeiro negativo, levando a companhia a reportar lucro líquido de R$ 103,8 milhões no 3T18, ante prejuízo de R$ 954,6 milhões no 2T18 e lucro de R$ 390,6 milhões no 3T17.

  • Receita Líquida: R$ 2,8 bi;
  • Mercano Interno: R$ 1,5 bi;
  • % MI: 53%;
  • Exportação: R$ 1,3 bi;
  • % ME: 47%;
  • EBITDA: R$ 1,2 bi;
  • Lucro líquido: R$ 390,6 mi.

Embraer (EMBR3)
Prejuízo líquido de R$ 76,4 milhões no 3T18

Durante os 9M18 a Companhia entregou 57 jatos comerciais e 55 executivos (40 leves e 15 grandes), comparados ao mesmo período de 2017 quando foram entregues 78 jatos comerciais e 59 executivos (40 leves e 19 grandes).

No 3T18, a Embraer apresentou Prejuízo líquido de R$ 83,8 milhões e Prejuízo por ação de R$ 0,1142. Isso se compara, no 3T17, com o Lucro líquido de R$ 331,9 milhões e com o Lucro por ação de R$ 0,4513. Nos 9M18, o Prejuízo líquido foi de R$ 590,9 milhões e Prejuízo por ação de R$ 0,8053.

O EBITDA do 3T18 somou R$ 412,2 milhões e R$ 845,5 milhões em 9 meses.

A ação EMBR3 encerrou ontem cotada a R$ 19,38 acumulando uma queda de 2,6% no ano.


Clique para acessar o Boletim Diário Completo:

Boletim Diário – PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações


Mapa de Posições Alugadas


Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas




DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. 
As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.