Boletim Diário – 13 de Setembro 2018

MERCADO

Bolsa
O Ibovespa segue sensível aos resultados das pesquisas eleitorais e aos preços das commodities neste momento de poucas notícias corporativas. Ontem o dia foi de recuperação para o índice, que marcou alta de 0,63% no fechamento recuperando 75.125 pontos. O giro financeiro aumentou em relação aos dias anteriores, fechando em R$ 10,4 bilhões. A agenda econômica tem como destaque as vendas a varejo (julho) no Brasil com queda de 0,5% no M/M e 1,0% no A/A. No exterior os mercados também mostram volatilidade com a Ásia em alta no fechamento e na Europa o dia é de baixa. Hoje, a nova cirurgia no candidato Jair Bolsonaro (PSL) pode mexer com o humor do mercado, considerando que o seu retorno à campanha pode não ocorrer nem em um eventual 2º turno.

Câmbio
A moeda americana encerrou o dia em queda de 0,11%, aos R$ 4,1511 no mercado à vista. Da mesma forma que a bolsa, o dólar deverá continuar reagindo rapidamente aos resultados das pesquisas e ao noticiário internacional, sobretudo as discussões em torno do Brexit e a recorrente disputa comercial entre EUA e China.

Juros
O mercado de juros futuros segue sensível à jornada política e ao noticiário mais calmo na economia nestes dias. Com isso, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 fechou recuou de 8,537% para 8,47%. Na ponta mais longa, para jan/25, a taxa caiu de 12,424% para 12,38%.



ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

JBS (JBSS3)

Antecipado o pagamento de parcelas do acordo de normalização com instituições financeiras no Brasil

A companhia comunicou ontem (12/set), que concluiu a antecipação do pagamento das parcelas do Acordo de Normalização, que venceriam em 2019 e 2020, em um montante total de R$ 2,0 bilhões.

  • A antecipação reflete a estratégia da companhia em reduzir seu endividamento, melhorar o perfil de sua dívida, fortalecendo o seu fluxo de caixa.
  • Suas ações fecharam cotadas a R$ 9,25/ação com queda de 5,2% este ano. O preço justo de R$ 11,70/ação embute um potencial de alta de 26,5% para seus papéis, que estão sendo negociados a um valor de mercado de R$ 25,2 bilhões e com P/L e VE/EBITDA para 2018 de, respectivamente, 8,6x e 5,3x.
  • Lembrando que o Acordo de normalização foi realizado em mai/18 com credores bancários cujas operações representavam 78% do montante total das dívidas existentes da JBS Brasil com instituições financeiras no Brasil e no exterior.

CPFL Energias Renováveis S.A. (CPRE3)

State Grid protocola edital com OPA a R$ 14,60/ação

A CPFL Renováveis recebeu ontem (12/set) correspondência do seu acionista controlador indireto, State Grid Brazil Power Participações Ltda. (State Grid), informando que, em 11/set/18, protocolou na CVM novas versões do Edital e da Demonstração Justificada de Preço da Oferta Pública de Aquisição de ações pela alienação indireta do controle da Companhia (OPA).

  • Os documentos apresentados indicam um preço de R$ 14,60/ação de emissão da companhia (data base: 23/01/2017). A área técnica da CVM ainda analisará tais documentos no âmbito do processo de registro da OPA em curso.
  • O preço de R$ 14,60/ação proposto pela chinesa State Grid se mostra aquém do valor de R$ 16,69/ação – preço mínimo calculado pela área técnica da CVM. Ontem as CPRE3 fecharam cotadas a R$ 16,49/ação.

Via Varejo (VVAR11)

Acordo com empresa americana para exploração de serviços financeiros digitais

  • Acordo com a americana CarrierEQ AirFox e sua subsidiária brasileira, a startup de tecnologia financeira AirFox Brasil, visa criar serviços de pagamentos móveis e banco digital no país.
  • Via Varejo financiará investimentos na empresa e esses recursos serão conversíveis em ações, podendo adquirir até 80% da AirFox nos próximos anos.
  • Com esta tecnologia o uso do carnê deverá acabar.
  • A notícia é positiva para a Via Varejo, aumentando o leque de serviços digitais.

Petrobras (PETR4)

Demanda arbitral na Argentina

A Petrobras informou ontem, após o pregão, que foi notificada de uma demanda iniciada por uma associação (Consumidores Financieros Asociación Civil para su Defensa) no Tribunal Arbitral da Bolsa de Valores de Buenos Aires.

  • Esta associação alega que, devido aos problemas relacionados à operação Lava Jato, a Petrobras tem responsabilidades em perdas no valor de mercado da ação na Argentina.
  • Apesar da pouca probabilidade de perda financeira significativa nesta questão, este tipo de notícia causa sempre um “ruído” que é negativo para a evolução da ação.
  • É importante lembrar que a em janeiro deste ano a Petrobras assinou um acordo para encerrar uma Class Action perante a Corte Federal de Nova York.  Esta demanda judicial também era uma reclamação de investidores quanto a perdas na ação.

Clique para acessar o Boletim Diário Completo:

Boletim Diário – PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações


Mapa de Posições Alugadas




DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. 
As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.