Expectativa de avanço nas pesquisas por uma vacina para o coronavírus chega a animar os mercados

MERCADO


Bolsa
A terça-feira foi carregada de notícias que mexeram com as bolsas no exterior e no Brasil. No exterior, a expectativa de avanço nas pesquisas por uma vacina para o coronavírus chegou a animar os mercados. Na ponta contrária, o posicionamento do presidente Donald Trump em relação aos estímulos para a economia, determinou o rumo das bolsas americanas, pesando também sobre o Ibovespa. O presidente Trump rejeitou a proposta de pacote fiscal dos democratas e a orientação dada aos republicanos de que suspendam as conversas sobre novos estímulos até a eleição de 3 de novembro. Do lado doméstico, o encontro do ministro Paulo Guedes com Rodrigo Maia e outros representantes do governo e parlamentares, deu um sinal de que as coisas poderão avançar de agora em diante, mas o Renda Brasil pode ficar para após as eleições. Com isso, o Ibovespa não resistiu e caiu 0,49% aos 95.615 pontos. O giro financeiro ficou em R$ 27,8 bilhões (R$ 24,9 bilhões no à vista). Hoje a agenda econômica mostra em destaque a inflação de setembro medida pelo IGP-DI e ainda os dados da Anfavea para o setor automotivo. As bolsas internacionais estão mais pesadas nesta manhã na zona do euro, após a virada das bolsas americanas ontem e sentimento negativo no campo político. O petróleo também opera em queda nesta manhã.

Câmbio
A moeda americana encerrou ontem em alta de 0,29% passando de R$ 5,5781 para R$ 5,5940. A instabilidade nesta reta de final de ano, não gera motivos para um recuo do dólar.

Juros
O mercado de juros ensaiou uma acomodação, mas a percepção de que a decisão para o Renda Brasil possa ficar para após as eleições, mudou o rumo deste mercado. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/22 fechou em 3,35%, de 3,234% e para jan/27, o DI encerrou com taxa de 7,55%, ante 7,444% ontem no ajuste anterior.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

MRV Engenharia (MRVE3)
Pagamento de dividendos de R$ 0,34014 por ação. Ex-direito em 14/10.

A MRV definiu ontem (06) a data de pagamento em 23 de outubro de R$ 163,933 milhões de dividendos, ou R$ 0,34014 por ação ordinária, montante aprovado na Assembleia Geral Ordinária (AGO) em abril.

O valor será pago de acordo com a posição acionária do dia 13 de outubro, e a partir do dia 14, os papéis passam a ser negociados ex-direitos.

Ontem a ação MRVE3 encerrou cotada a R$ 16,37 com queda de 23,1% no ano. Com base nesta cotação o retorno para os acionistas será de 2,1%. Um bom retorno em tempos de juros baixos. Além disso, melhoraram as expectativas para o setor imobiliário neste segundo semestre.


Moura Dubeux (MDNE3)
Prévia operacional do 3T20 mostra boa velocidade de vendas e novos lançamentos

No 3T20, a Moura Dubeux lançou quatro empreendimentos, dois em Fortaleza (CE) e dois em Recife (PE), com valor geral de vendas (VGV) bruto de R$ 275 milhões. Destaque para o índice de venda sobre oferta (VSO), que no período entre julho e setembro chegou a 27,6%, 18,3 pontos porcentuais a mais do que em 2019 e maior que os 10,4% apresentados no trimestre imediatamente anterior.

O volume de vendas e adesões brutas registrados no terceiro trimestre foi de R$ 301 milhões, crescimento de 258,9% em relação ao mesmo período de 2019 e de 227,8% na comparação com o segundo trimestre deste ano.

A ação da Moura Dubeux (MDNE3) iniciou as negociações na B3 no dia 12/02/20 a R$ 19,00. Ontem a ação fechou a R$ 10,20 com desvalorização de 46,3% no período. O valor de mercado da companhia é de R$ 866 milhões. A relação Cotação/VPA é de 0,88x.


SLC Agrícola (SLCE3)
Conselho aprova a emissão de CPR-F no valor de até R$ 480,0 milhões

O Conselho de Administração da SLC Agrícola, em reunião realizada dia 5 de outubro, aprovou, entre outros assuntos, a emissão de cédula de produto rural financeira (“CPR-F”) no valor de até R$ 480,0 milhões, em benefício da ISEC Securitizadora S.A.

•            A emissão de CPR-F servirá como lastro de operação de securitização de recebíveis do agronegócio que resultará na emissão de certificados de recebíveis do agronegócio (“CRA”) pela Securitizadora no montante inicial de R$ 400,0 milhões, podendo ser aumentado até R$ 480,0 milhões.

•            A presente emissão servirá para fazer frente ao orçamento do ano de 2021. Os investimentos somaram R$ 116 milhões no 1S20, com queda de 38% ante igual período do ano anterior, como forma de proteger o caixa. Ao final de junho de 2020 a Dívida Líquida ajustada da companhia era de R$ 1,46 bilhão, correspondente a 1,86x o EBITDA.


Sanepar (SAPR11)
Conselho aprova a adesão da companhia à “Conversão de Multa Ambiental”

O Conselho de Administração da Sanepar aprovou ontem (6/10) a adesão da companhia ao Chamamento Público nº 2/2018, que trata do projeto de “Restaurar as populações da flora ameaçadas de extinção do bioma mata atlântica no Estado de Santa Catarina”, mediante a Conversão de Multa Ambiental Indireta do Auto de Infração Ambiental – AIA de julho/2008 do IBAMA.

•            Em setembro/2020, a Sanepar recebeu do IBAMA a Notificação de Decisão Recursal que consolida o valor do débito do referido AIA, o qual estabelecia multa por exploração de água subterrânea do Aquífero Karst, sem licença ambiental competente.

•            Nesse contexto, e após o acolhimento parcial do recurso administrativo interposto, deferiu o pedido de adesão à solução de conversão de multas, com 60% de desconto.

Vemos a decisão como adequada. O valor do débito consolidado em agosto/2020 soma R$ 47,4 milhões e, com o desconto de 60% da conversão ambiental, o valor reduz-se a R$ 19,0 milhões, podendo ser parcelado em 24 vezes, com atualização pela taxa Selic.


Banco Mercantil do Brasil (BMEB4)
Migração para o Nível 1 de Governança Corporativa da B3

O Conselho de Administração do Banco Mercantil do Brasil aprovou a convocação da Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para se realizar em 21 de outubro de 2020, para deliberar a migração do Banco para o Nível 1 de Governança Corporativa da B3.

•            Na mesma AGE serão implementadas, alterações no estatuto social do banco e o aumento do limite de capital social autorizado de R$ 2 bilhões para R$ 3 bilhões.

•            Os acionistas também vão votar em proposições que trazem maior controle de governança sobre o banco, como inclusão de conselheiros independentes e planos de remuneração baseados em ações.


Ambipar (AMBP3)
Aquisição da One Stop e IntraCoastal nos EUA

A Ambipar, empresa   que atua em diversos segmentos voltados para a gestão ambiental e que abriu seu capital na B3 em 10/07 cotada a R$ 24,75 por ação, anunciou, por meio de sua controlada Ambipar Holding USA, a aquisição de 100% da One Stop Environmental e da IntraCoastal Environmental. Os valores das transações não foram revelados.

A ambipar opera em um negócio diferenciado, única na B3 neste semento e com potencial de crescimento nos próximos anos.

A ação AMBP3 encerrou ontem cotada a R$ 29,14 com valorização de 17,7% desde a abertura do capital. O valor de mercado da empresa é de R$ 2,3 bilhões.


JHSF Participações (JHSF3)
Prévia do 3T20 mostra crescimento forte nas vendas

A JHSF divulgou ontem (06), a prévia operacional não auditada referente ao 3T20 das operações no segmento de incorporação.

As vendas contratadas cresceram 192,5% entre julho e setembro, a R$ 414 milhões, na comparação com o mesmo período de 2019. A empresa destaca ainda o crescimento do empreendimento Fazenda Boa Vista, a R$ 289,5 milhões, aumento de 321,2% em relação ao ano passado.

Ontem a ação JHSF3 encerrou cotada a R$ 7,27 com alta de 2,7% no ano.


Vale (VALE3)
Justiça nega pedido de bloqueio do caixa

Durante o pregão de ontem, a 2ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias da Comarca de Belo Horizonte indeferiu o um pedido de bloqueio de R$ 26,7 bilhões, apresentado pelo Ministério Público de Minas Gerais e demais autoras na Ação Civil Pública de Brumadinho. Esta ação é decorrente do rompimento da Barragem B1, localizada em Córrego do Feijão, em Brumadinho, ocorrido em janeiro/2019.
• Esta é uma notícia positiva para a Vale, reduzindo um risco importante para as finanças da empresa;
• Os riscos econômicos pelo rompimento das barragens em Mariana e Brumadinho voltaram a recrudescer, depois de aparentemente resolvidos, o que é prejudicial para o desempenho da ação da Vale.


Ecorodovias (ECOR3)
Tráfego continua melhorando

Durante o dia de ontem, a empresa divulgou seus números gerenciais de tráfego mostrando uma recuperação contínua na movimentação de veículos em suas nove concessões, após as fortes quedas determinadas pelas medidas de distanciamento social.
• Isso é uma boa notícia, indicando que os resultados do segundo semestre serão melhores que no 2T20;
• Entre o início da quarentena (16 de março/20) até o dia 4 de outubro (último domingo), o tráfego total comparável caiu 14,8% (desconsiderando Eco135 e Eco050), comparado ao um período similar de 2019 (18 de março a 6/outubro). Nas mesmas bases, o tráfego acumulado em 2020 teve uma redução de 10,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Os números sem as duas rodovias é o que permite a melhor comparação, dado que estas concessões foram agregadas no início de 2019.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.