Negociações entre o governo e Congresso podem seguir se arrastando

MERCADO


Bolsa
O Ibovespa não conseguiu acompanhar o movimento das bolsas de NY que tiveram um dia bastante positivo. A percepção é que as negociações entre o governo e Congresso podem seguir se arrastando e com prazo curto para encaminhamento, com isso, decisões fundamentais podem ficar para o ano que vem, colocando mais pressão sobre a equipe econômica. No fechamento o Ibovespa marcou uma leve baixa de 0,09%, aos 95.526 pontos. O giro financeiro ficou em R$ 25,4 bilhões (R$ 23,2 bilhões no à vista). Na agenda hoje o IPC-S da FGV até 7/outubro em 1,18% acima do esperado (1,06%) e as Vendas no varejo de agosto. Nos EUA destaque para os Novos pedidos seguro-desemprego até 3/outubro. Na Europa a ata do BCE chama atenção após sinalização de novos ajustes no programa de compras de ativos no combate aos efeitos da pandemia. Mercado global mantém desempenho positivo nesta manhã, com bolsas e moedas emergentes em alta.

Câmbio
A moeda americana ganhou força mais uma vez em relação ao real passando de R$ 5,5940 para R$ 5,6116 com investidores preferindo a cautela neste momento de indefinição em relação à pauta de reformas.

Juros
A quarta-feira foi de volatilidade nas taxas de juros refletindo a continuidade das incertezas no cenário fiscal e político do lado doméstico. Desta forma, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/22 encerrou em 3,27%, de 3,355% no ajuste anterior e a taxa para jan/27 passou de 7,554% para 7,58%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Copel (CPLE6)
Novo Programa de Demissão Incentivada (PDI)

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) lançou nesta quarta-feira um novo Programa de Demissão Incentivada (PDI) estimado em R$ 74,8 milhões de indenizações, em duas fases. Segundo a empresa, atualmente 930 empregados se enquadram nos requisitos, os quais representam uma potencial redução de R$ 168,7 milhões em custos anuais a partir de 2021.

Vemos como positivo o lançamento deste programa, que visa a redução dos custos gerenciáveis e o aprimoramento da eficiência operacional da companhia.


Minerva S.A. (BEEF3)
Ratings elevados pela Fitch

A Minerva informou que ontem (7/10) teve sua nota de risco atribuída pela Fitch Ratings elevada para “BB” na escala internacional e para “AA” na escala nacional, com perspectiva estável.

Segundo o relatório publicado pela Fitch “a elevação da classificação de rating da companhia reflete seu reduzido nível de alavancagem e sólido perfil dos negócios, como efeito da consistente geração de caixa livre e forte posição de liquidez”.


Tim (TIMP3)
Conselho aprova JCP de R$ 0,20654/ação. Ex-juros em 20/10

O Conselho de Administração da TIM aprovou nesta quarta-feira a distribuição de Juros sobre o Capital Próprio (JCP) no valor total de R$ 500 milhões, o equivalente a R$ 0,20654 por ação ordinária.

·       O valor será pago de acordo com a posição acionária do dia 19 de outubro, e a partir do dia 20, os papéis passam a ser negociados ex-juros.

·       O crédito será feito aos acionistas a partir de 30 de novembro. Com base na cotação de R$ 13,15/ação o retorno líquido é de 1,3%.


Vale (VALE3)
Conclusão da venda de participação na PT Vale Indonésia

Pouco antes do início do pregão de ontem, a empresa informou que finalizou a venda de 20,0% da PT Vale Indonesia, em conjunto com a Sumitomo Metal Mining Co. Ltd (SMM), para a PT Indonesia Asahan Aluminium (Inalum). O valor da operação foi de US$ 278 milhões.

· Nesta operação, a PT Vale Indonésia vendeu 14,9% de sua participação e a SMM outros 5,1%, totalizando os 20,0% negociados. Após esta venda, a empresa brasileira terá uma participação de 44,3% na PT Vale Indonésia;

· Esta venda estava prevista em contrato negociado entre a Vale o governo da Indonésia em 1996, que é válido até dezembro de 2025. Neste contrato, a Vale foi obrigada a vender 20% de seus negócios naquele país para investidores indonésios e com isso sua licença para operar seria prorrogada para além de 2025. O comprador (Inalum) é uma empresa estatal indonésia, focada no setor de mineração.


Braskem (BRKM5)
Impacto nas operações com invasão de hackers

Durante o pregão de ontem, a empresa informou que sofreu uma invasão aos seus sistemas de informação, impactando suas operações.

· Esta foi uma informação negativa, principalmente por coincidir com um momento de recuperação nas vendas da Braskem. No dia anterior, a empresa havia informado que o crescimento da demanda no mercado brasileiro permitiu vendas de 365 mil toneladas de resinas em setembro, que foi um volume recorde. Além disso, nas unidades da América do Norte, o aumento na demanda por polipropileno levou a taxa de utilização das unidades para percentuais semelhantes aos atingidos antes da pandemia;

· Vale lembrar que os problemas trazidos pela pandemia e novas provisões para perdas no evento geológico de Alagoas, levaram a grandes perdas no primeiro semestre de 2020. O prejuízo acumulado da Braskem no 1S20 somou R$ 6,1 bilhões, contra ganhos de R$ 1,5 bilhão em igual período de 2019.


Indústria automobilística
Produção em setembro cresceu 13,9% comparado a agosto

Segundo os dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), a produção no Brasil em setembro/20 somou 208,8 mil unidades, volume 11,0% menor que em igual mês do ano passado. Porém, comparado a agosto, houve um crescimento de 13,9% no total produzido em setembro.

· A produção nacional de veículos, que foi muito afetada pela parada das fábricas em abril e maio, continua em processo de recuperação. A produção ainda não retomou completamente, mas a cada mês ocorre uma elevação;

· As vendas (licenciamentos) de veículos novos nacionais em setembro foram de 188,5 mil unidades, 10,2% menos que no mesmo mês de 2019. No acumulado entre janeiro e setembro, o volume de vendas mostrou uma redução de 32,5%, alcançando 1,2 milhão de unidades. No entanto, comparado a agosto/20, houve um crescimento de 4,4% nas vendas totais em setembro.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.