Ibovespa cai 1,36% em dia de vencimento de índices

MERCADO


Bolsa
O Ibovespa caiu ontem (1,36%) aos 78.831 pontos, com giro financeiro de R$ 97,4 bilhões, em dia de vencimento de opções e do Ibovespa futuro. Pesou sobre o mercado a queda das bolsas americanas com a divulgação de dados ruins (já esperados) do Livro Bege do Fed, com -8,7% nas vendas no varejo em março e -,5,4% na produção industrial. Hoje a agenda econômica traz dados da zona euro, Estados Unidos e o IPC-S no Brasil, mas o ponto principal é o anúncio de medidas pelo presidente Donald Trump para a abertura da economia americana. A pressão para a retomada é grande também no Brasil. As bolsas internacionais operam em alta, mesmo rumo seguido pelos futuros de NY. Na Ásia o fechamento foi em baixa. O Ibovespa poderá acompanhar os mercados lá de fora, com investidores atentos a sinais de flexibilização para a retomada gradual das atividades industriais e comerciais no Brasil.

Câmbio
A moeda americana voltou a subir ontem (1,47%) de R$ 5,1635 para R$ 5,2393. O fortalecimento do dólar refletiu os indicadores fracos divulgados nos EUA e as preocupações dominantes com o coronavírus.

Juros
Os juros futuros seguem em queda com o aumento das apostas em mais uma redução na taxa Selic na próxima reunião do Copom. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 encerrou estável em 3,045%, mas para jan/27 houve queda de 7,252% para de 7,12%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

MRV Engenharia (MRVE3)
Prévia operacional do 1T20 mostra alta de 27,9% nas vendas liquida sobre o 1T19

A Companhia mostrou um bom desempenho de vendas no 1T20 com a comercialização de lançamentos realizados no final de 2019, somando R$ 1,673 bilhão de vendas líquidas. Em relação ao 4T19 o crescimento foi de 21,1%.

Destaque para a redução nos distratos, menor volume da companhia para um 1º trimestre, com redução de 27,8% e 55,4% em relação ao 1T19 e 1T18 respectivamente.

A ação MRVE3 encerrou cotada a R$ 11,44 com queda de 37,6% no ano. O valor de mercado da companhia é de R$ 6,47 bilhões (1,23x o VPA).


M Dias Branco S.A. (MDIA3)
Emissão de R$ 200 milhões em Notas promissórias

O Conselho de Administração aprovou ontem (15/abril) a 1ª emissão de notas promissórias comerciais da companhia, em série única, perfazendo o montante total de R$ 200,0 milhões, pelo prazo de 180 dias contados da data de emissão e o pagamento da remuneração (DI + 3,13%).

A remuneração será devida (i) na data de vencimento das Notas Comerciais; (ii) na data de resgate das Notas Comerciais decorrente de resgate antecipado; ou (iii) na data liquidação antecipada, o que ocorrer primeiro, juntamente com o pagamento do valor nominal unitário.

Os recursos líquidos obtidos por meio da Emissão serão destinados integralmente para reforço de caixa da companhia.


EDP Energias do Brasil S.A. (ENBR3)
O volume de energia distribuída caiu 5,1% no 1T20

A EDP divulgou ontem (15/abril) suas informações referentes ao mercado de energia elétrica do 1T20 dos segmentos de atuação da companhia, na comparação com igual trimestre de 2019.

No atual cenário, em relação ao volume das distribuidoras, a companhia destaca que “ainda não foi possível verificar impactos significativos no 1T20, entretanto, espera redução do volume de energia distribuída no 2T20, uma vez que nos 10 primeiros dias de abril já houve queda comparável à redução verificada no Brasil”.

Distribuição. O volume de energia distribuída apresentou queda de 5,1% no trimestre para 6,2 milhões de MWh , sendo -0,8% na EDP São Paulo e -11,3% na EDP Espírito Santo. Do total da energia distribuída, os consumidores livres responderam por 44% e queda de 3,0% no trimestre. O mercado cativo, equivalente a 56% do total da energia distribuída, apresentou queda de 6,7%.

De acordo com a companhia, a queda no trimestre “é resultante das condições climáticas que apresentaram temperaturas mais amenas, bem como do número de dias médios faturados e de efeitos pontuais em grandes clientes”. A companhia destaca ainda o aumento de 2,1% no número de clientes entre os trimestres comparáveis, sendo de +2,6% na EDP São Paulo e +1,4% na EDP Espírito Santo.


RD Raia Drogasil (RADL3)
Aprovada emissão de R$ 300 milhões em NPCs

O Conselho de Administração da Raia Drogasil aprovou a realização de sua 1ª emissão de Notas Promissórias Comerciais com valor de R$ 300 milhões, para distribuição pública com esforços restritos.

A empresa encerrou 2019 com uma dívida líquida de R$ 923,4 milhões contra R$ 735,0 milhões em 2018. A Dívida Líquida Ajustada sobre EBITDA foi 0,7x, (0,1x maior que em 2018) em função do investimento significativo realizado no ano, sobretudo em logística. A captação atual não pesa sobre a alavancagem da empresa.

A ação RADL3 encerrou ontem cotada a R$ 102,21 com queda de 8,3% no ano.


Petrobras (PETR4)
Paralisação de plataformas em águas rasas

Na noite de ontem, a área de imprensa da empresa detalhou a informação já concedida ao mercado no dia 26/março (comentado em nosso Boletim no mesmo dia), acerca da paralisação de 62 plataformas em campos de águas rasas localizados nas bacias de Campos, Sergipe, Potiguar e Ceará.

· Segundo a Petrobras, estas plataformas têm custos de produção maiores que os atuais preços do petróleo. A parada dessas unidades corresponde a um corte de produção de 23 mil barris de petróleo por dia;

· A paralisação destas plataformas estava dentro de um conjunto de medidas adotadas pela Petrobras para combater os efeitos da crise atual. Foram medidas duras, que vão reduzir a produção, mas coerentes com o presente momento.


Tenda (TEND3)
Prévia operacional do 1T20 mostra alta de 8,0% nas vendas liquidas

As vendas líquidas totalizaram R$ 439,7 milhões no 1T20, aumento de 8,0% a/a e redução de 28,6% t/t. Os lançamentos despencaram com o início da pandemia. No 1T20, a Tenda lançou apenas 4 empreendimentos, totalizando R$ 165,6 milhões em VGV, redução de 57,1% e de 80,2% na comparação com o VGV lançado no 1T19 e no 4T19, respectivamente.

A ação TEND3 encerrou ontem cotada a R$ 22,17, queda de 26,6% no ano.


Neoenergia (NEOE3)
Alta de 0,1% no volume de energia distribuída no 1T20

A Neoenergia divulgou ontem (15/abril) suas prévias do 1T20. O volume total de energia distribuída pelas empresas do grupo somou 17.423 GWh com crescimento de 0,1% ante igual trimestre de 2019, e considera a energia distribuída nos mercados cativos e livre e as perdas incorridas no período.

De acordo com a companhia, “a maior base de clientes foi amenizada por temperaturas mais baixas, maior volume de chuvas e redução no consumo na última semana de março em função do Covid-19.

No segmento de geração, a Neoenergia somou 1.006 GWh no 1T20, com alta de 61,5% em relação ao mesmo período do ano passado, explicado pela diferença de dias de parada de operação para manutenção, entre os trimestres.


 

Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.