Boletim Diário – 31 de Agosto 2018

MERCADO

Bolsa
Na reta final do mês de agosto, a piora do noticiário no exterior com vários pontos de desafios para a economia global e do lado doméstico, a corrida ontem foi a moeda americana. O Ibovespa encerrou o dia em queda de 2,53% aos 76.404 pontos, com giro financeiro de R$ 9,8 bilhões. Os pontos de destaque foram: a piora da crise na Argentina, as ameaças de imposição de novas tarifas entre China e Estados Unidos, a discussão sobre o Brexit na Europa e o comportamento das principais commodities. Estes assuntos seguem no radar dos investidores que aumentar a aversão ao risco. Hoje agenda econômica traz em destaque, a taxa de desemprego na Europa estável em 8,2% (julho) e o PIB brasileiro do 2T18 com alta de 0,10% (A/A) e 0,2% no (T/T). As bolsas internacionais mostram queda no fechamento da Ásia e na zona do Euro. Este ambiente pesado somado à proximidade do final de semana, com a decisão sobre o caso Lula que será julgado hoje à tarde pelo TSE. O petróleo opera em baixa hoje, nos contratos para novembro. Tudo isso, poderá determinar mais um dia tenso no mercado financeiro, neste último pregão de agosto.

Câmbio
Em dia de forte alta, com pressão compradora sobre o dólar, a moeda americana encerrou a quinta-feira com alta de 0,84% aos R$ 4,1541 no mercado à vista. A puxada só não mais forte devido à atuação do Banco Central. Além do fator doméstico, o noticiário internacional vem aumentando a insegurança dos investidores.

Juros
A pressão sobre o câmbio e bolsa se deu também no mercado de juros futuros, que já vem assumindo uma postura mais defensiva em relação aos indicadores macroeconômicos. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 subiu de 8,45% para 8,80% no final do dia e para jan/25 a taxa passou de 12,01% para 12,30%.



ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Rumo Logística (RAIL3)
Prorrogação da concessão da Malha Paulista por mais 30 anos. 

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou a prorrogação antecipada por mais 30 anos da concessão da Malha Paulista administrada pela Rumo Logística. A concessão agora vai até 2058.

  • A ferrovia da Rumo vai de Santa Fé do Sul (SP), quase na divisa com o Estado do Mato Grosso do Sul, até o porto de Santos.
  • Os investimentos previstos são da ordem de R$ 4,7 bilhões para a duplicação desta malha além de melhora em equipamentos e instalações.

Petrobras (PETR4)
Novo Preço do diesel e volta à operação na Replan

A Agência Nacional de Petróleo (ANP) publicou ontem o novo preço de referência para o diesel, após o congelamento de 90 dias que foi decidido pelo governo para encerrar a greve dos caminhoneiros.

  • O estabelecimento do novo preço do diesel é uma notícia é positiva para Petrobras, por trazê-los para patamares mais próximos do nível internacional;
  • Os novos preços são definidos por região do país, tendo sofrido uma correção entre 10,5% (Região Sudeste) e 14,4% para a Região Centro-Oeste;
  • Outra notícia positiva para a Petrobras dada ontem foi a retomada da produção na Refinaria de Paulínia, afetada por um acidente no último dia 20.

Eletrobras (ELET6)
A companhia vendeu ontem as distribuidoras Eletroacre, Ceron e Boa Vista.

Em leilão realizado ontem (30) na B3 a Energisa arrematou a Eletroacre e a Ceron e consórcio capitaneado pela Oliveira Energia ficou com a Boa Vista. Sem a presença de outros grupos não houve disputa, com estas duas companhias se revezando nas propostas. Juntas, as duas empresas terão de fazer investimentos de R$ 1,5 bilhão nos próximos cinco anos, sendo que R$ 668 milhões terão de ser aportados imediatamente.

  • Vimos como positivo o resultado do leilão, em linha com a estratégia firmada pela Eletrobras de desinvestimento no segmento de distribuição, até então deficitário. A venda objetiva a redução da sua alavancagem financeira e de suas controladas. Com a privatização, a companhia vai transferir R$ 2,8 bilhões em passivos para os vencedores.
  • Para possibilitar a privatização das distribuidoras, a Aneel flexibilizou certos parâmetros regulatórios. Na prática, a agência aumentou os limites de perdas não técnicas (por furtos de energia) e também a cobertura tarifária das despesas operacionais (PMSO).
  • Ressalte-se que a Eletrobras já vendeu cinco distribuidoras. Além do leilão de ontem, se desfez da Celg (Goiás) privatizada em 2016 e Cepisa (Piauí) no mês passado. Faltam ainda Amazonas Energia e Ceal (Alagoas), que o governo pretende leiloar nos próximos meses.

Setor de Papel e Celulose
Queda de 6,9% nas vendas de papelão ondulado em julho.

Os dados divulgados pela Associação brasileira de Papelão Ondulado (ABPO) mostraram que as expedições de caixas, acessórios e chapas de papelão ondulado caíram 6,9% em julho, frente ao mês imediatamente anterior, já descontados os ajustes sazonais.

  • Em junho, o volume expedido havia se recuperado da forte queda de maio, em função da greve dos caminhoneiros, e agora em julho, somou 310,897 mil toneladas, que desconsiderando o ajuste sazonal equivale a uma queda de 4,15%.
  • Quando comparado ao mesmo período do ano anterior, o volume expedido em julho registrou alta de 4,81% e levando em consideração a expedição por dia útil, houve crescimento de 4,8%, dado que em julho houve o mesmo houve o mesmo número de dias úteis em 2018 e 2017 de 26 dias úteis.
  • Com o desempenho registrado em julho, as expedições somam crescimento de 2,25% no acumulado do ano, com 2,029 milhões de toneladas.
  • A ABPO prevê crescimento de 2,8% para as expedições de caixas, acessórios e chapas de papelão ondulado em 2018.

Clique para acessar o Boletim Diário Completo:

Boletim Diário – PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações


Mapa de Posições Alugadas




DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. 
As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.