Ibovespa sobe 0,97% na sexta-feira, mas interrompe sequência de três altas semanais

MERCADO


Bolsa
O Ibovespa encerrou a sexta-feira com alta de 0,97% aos 120.530 pontos, o que não impediu a perda de 0,48% na semana. Mesmo assim, o mês de abril segue com bom desempenho (alta acumulada de 3,34%) em meio a tantos obstáculos, na política e na economia. O giro financeiro do dia foi de R$ 31,4 bilhões (R$ 24,6 bilhões à vista). Do lado doméstico, o presidente Bolsonaro sancionou o Orçamento de 2021 com corte de R$ 19,8 bilhões, e o bloqueio de recursos para o cumprimento do teto de gastos e nos EUA os mercados absorveram bem a notícia de aumento de impostos sobre ganho de capital para a alta renda. Caminhando para o fechamento de abril, a semana tem agenda carregada de indicadores domésticos e no exterior e a avaliação dos analistas em relação aos primeiros resultados do 1T21. A volta da flexibilização para a retomada de atividades em alguns setores, pode dar novo ânimo aos mercados, ainda que sem efeito importante no curto prazo.  Esta última semana de abril vem carregada de notícias e indicadores econômicos. Hoje a agenda mostra, o IPC-Fipe semanal com alta de 0,51% ante uma expectativa (média) de 0,57% do mercado. Temos também o Boletim Focus, o saldo de investimento estrangeiro direto e no meio da tarde o saldo da balança comercial semanal. As bolsas internacionais (Europa) operam perto da estabilidade e o petróleo mostra queda neste começo de segunda-feira.

Câmbio
O dólar encerrou a sexta-feira com alta de 0,54%, de R$ 5,4469 para R$ 5,4764, mas na semana a moeda recuou 2,00% de R$ 5,5880 no dia 16/04. Com menor pressão interna, a expectativa é de uma acomodação das cotações numa faixa mais estreita, nesta última semana de abril.

Juros

Os juros futuros voltaram a cair com o alivio no câmbio e o encerramento de mais um desafio político. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/22 recuou de 4,641% para 4,615%. O DI para jan/27 foi de 8,424% para 8,34%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Hypera Pharma (HYPE3)
Bom desempenho no 1T21

No 1T21, a Hypera registrou bom desempenho nos diversos segmentos de negócio tanto no orgânico quanto na contribuição das novas aquisições. A companhia mostrou forte evolução também nos segmentos de Similares e Genéricos, Produtos de Prescrição e em Consumer Health.

A receita líquida cresceu 43,7% somando R$ 1,17 bilhão, reflexo do portfólio de medicamentos adquirido da Takeda e da família Buscopan e pelo crescimento orgânico de 11,5% do sell-out acima do crescimento do mercado. Se excluída a contribuição para a receita do do portfólio de medicamentos adquirido da Takeda e da família Buscopan, o crescimento alcançou 16,3%, mesmo assim um bom desempenho.

A Hypera anunciou para 2021 guidance de receita líquida, de aproximadamente R$ 5,9 bilhões, EBITDA das Operações Continuadas e de R$ 2,0 bilhões, e lucro líquido das Operações Continuadas, próximo de R$ 1,5 bilhão. Segundo a empresa, o guidance referente ao EBITDA das Operações Continuadas não considerou saldo para a linha de Outras Receitas/Despesas Operacionais Líquidas.

No 1T21, a Companhia declarou Juros Sobre Capital Próprio de R$ 194,8 milhões referentes ao 1T21 (R$ 0,31/ação), um crescimento de 5% sobre o montante declarado no 1T20. A teleconferência de resultados acontecerá hoje.


Copel (CPLE6)
1º Programa de UNITs é Homologado pelo Conselho de Administração

O Conselho de Administração homologou na sexta-feira (23/04) a conversão de ações e a formação de certificados de depósito de ações (UNITs) no âmbito do 1º Programa de Conversão de Ações e Formação de Certificados de Depósito de Ações.

  • Conforme informado, durante o período de solicitação, os acionistas não controladores pediram (i) a conversão de 362.580.947 ações ON em PNB; a conversão de 139.520 ações PNA  em ações PNB; a conversão de 82.330.391 ações PNB em ações ON; e (ii) a formação de 248.134.108 UNITs.
  • Adicionalmente, o Estado do Paraná, na qualidade de acionista controlador, requereu (i) a conversão de 115.969.784 ações ON em PNB; e (ii) a formação de 28.992.446 UNITs. Após as conversões, o Estado mantém sua participação de 31,1% no capital total da companhia, sendo 5,3% em UNITs.

Nesse contexto, o Conselho de Administração da Copel aprovou (i) a homologação do capital social, totalmente subscrito e integralizado, no montante de R$ 10,8 bilhões que, depois da conversão de ações, passa a ser representado por 2.736.553.750 ações, sem valor nominal, sendo 1.054.090.460 ações ordinárias, 3.128.000 ações PNA e 1.679.335.290 ações PNB; e (ii) a formação total de 277.126.554 UNITs.

  • O Conselho de Administração também estabeleceu que as UNITs serão formadas, emitidas e creditadas aos acionistas nesta segunda-feira, dia 26 de abril de 2021.

Banco Bradesco S.A. (BBDC4)
Aprovado novo programa de recompra de ações

O Conselho de Administração do Bradesco revogou na sexta-feira (23/04) o programa de recompra de ações de própria emissão para permanência em tesouraria e posterior alienação ou cancelamento, atualmente vigente, aprovado em 23.12.2020, que autorizava a aquisição de até 15.000.000 de ações.

  • Na mesma reunião o Conselho instituiu um novo programa de recompra que autoriza a Diretoria a adquirir, no período de 26.4.2021 a 26.4.2022, até 97.190.795 ações nominativas-escriturais, sendo até 48.705.792 ações ordinárias e até 48.485.003 ações preferenciais.
  • O total de ações aprovado para recompra representa 1% do total das ações em circulação, as quais serão, oportunamente, canceladas.
  • Serão utilizados recursos existentes em “Reservas de Lucros – Estatutária”, disponíveis para investimentos.

Se recompradas na totalidade o montante alcança R$ 2,15 bilhões. Seguimos com recomendação de COMPRA para BBDC4.


Taesa (TAEE11)
Conselho aprova a emissão de R$ 750 milhões em debêntures

O Conselho de administração da Taesa aprovou a 10ª emissão de debêntures simples não conversíveis em ações, em duas séries.

  • A 1ª série soma R$ 650 milhões com vencimento em 7 anos, com remuneração a taxa DI + 1,70%.
  • A 2ª série totaliza R$ 100 milhões com vencimento em 15 anos a remuneração atrelada aos títulos NTN-B 2035 + 0,6% ao ano ou 3,95% aa.

Os recursos líquidos captados através da 1ª série serão utilizados para gestão ordinária dos negócios da companhia. Os recursos da 2ª série para o reembolso de gastos, despesas e/ou dívidas relacionadas ao projeto Ivaí e Projetos SPT – desenvolvidos pela São Pedro Transmissora de Energia Elétrica.


CCR (CCRO3)
Semana com piora no tráfego, mas melhoria nos outros negócios e aumento na tarifa da RodoNorte

Os dados operacionais da empresa, divulgados após o último pregão, referentes ao período de 16 a 22 de abril mostraram retração no tráfego rodoviário na semana, mas números melhores nos negócios de Mobilidade e Aeroportos, comparado a 2019.

  • Entre os dias 16 a 22 de abril/2021, o tráfego comparável da CCR (sem a ViaSul) apresentou uma diminuição de 6,6%, comparado à mesma época de 2019.  Esta redução ocorreu devido à queda de 33,4% na movimentação dos veículos de passeio, não compensada pelo aumento de 24,2% nos comerciais.  Na semana anterior, o tráfego comparável havia caído 2,7%;
  • A movimentação nas rodovias administradas pela CCR (incluindo ViaSul) no acumulado do ano (até o dia 22 de abril) cresceu 4,7%, por conta do aumento de 19,1% no tráfego dos veículos comerciais, negativamente impactado pela queda de 11,1% nos de passeio;
  • A CCR também comunicou na última sexta-feira, que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região autorizou o reajuste nas tarifas da sua controlada Concessionária de Rodovias Integradas S.A. (RodoNorte).  A decisão ocorreu, apesar dos argumentos contrários do poder concedente (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Estado do Paraná – Agepar).  A correção será de 8,0024%, já valendo desde o dia 24/abril.  Em 2020, a receita bruta da RodoNorte (R$ 851 milhões) foi equivalente a 12,3% do total arrecadado pela CCR com pedágio em suas nove concessões rodoviárias.  Dessa forma, esta é uma boa notícia para a empresa.

Se preferir, baixe em PDF:

Ibovespa sobe 0,97% na sexta-feira, mas interrompe sequência de três altas semanais

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.