Ibovespa começa abril com realização e queda de 1,18%

MERCADO


Bolsa
O primeiro pregão de abril foi de realização de lucros, após um bom resultado da bolsa no mês de março mesmo diante dos problemas amplamente conhecidos. O Ibovespa encerrou a quinta-feira em baixa de 1,18%, a 115.253 pontos.  O giro financeiro foi de R$ 31,9 bilhões (R$ 24,6 bilhões). A agenda econômica traz o IPC_Fipe de março com alta de 0,71% (abaixo da expectativa) e sai ainda o IPC-S FGV nesta manhã. Nos EUA, saem indicadores de preços (março), pedidos de fábrica, bens duráveis, etc, fevereiro). Ainda nos EUA, a proposta do presidente Biden de investimento de US$ 2,3 trilhões em infraestrutura no país, enfrenta resistência nos dois partidos (democratas e republicanos). Não será fácil emplacar o plano de investimentos apresentado pelo presidente Biden e os mercados deverão refletir esta discussão, à frente, ao mesmo tempo em que a China segue em crescimento acelerado. Neste começo de segunda-feira, as bolsas internacionais operam em alta na Europa e tiveram dia positivo também na Ásia. O petróleo (WTI e Brent) opera em baixa neste começo de semana depois que líderes da OPEP decidiram aumentar a produção. Encerrada a safra de resultados corporativos, deverão predominar as notícias políticas neste mês sobre a B3, com destaque para o Orçamento para 2021 que segue travado.

Câmbio
Com a bolsa pesada no primeiro pregão de abril, investidores buscaram proteção no dólar, que passou de R$ 5,6344 para R$ 5,7103 (+1,35%).

Juros
O mercado de juros marcou alta nas taxas refletindo insegurança com os problemas na economia doméstica. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/22 passou de 4,605% na quarta-feira para 4,625% no fechamento da semana e o DI para já/27 encerou o dia com taxa de 8,79% ante 8,704% no dia anterior.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Minerva S.A. (BEEF3)
Liquidação da recompra antecipada de títulos com vencimento em 2026

A Minerva informou que, em 29/03/2021, ocorreu a liquidação da oferta de recompra antecipada de títulos com vencimento em 2026 representativos de dívida emitidos no exterior pela sua subsidiária Minerva Luxembourg S.A. com taxa de juros de 6,50%.

·        O valor principal agregado dos títulos liquidados na oferta foi de US$ 912,2 milhões ou 75,81% dos títulos em circulação.

·        Adicionalmente, a companhia anunciou em 31 de março que pretende resgatar todas e quaisquer Notas 2026 que permaneçam em circulação em 30 de abril de 2021. Esse resgate será feito através da opção make-whole.

·        Essa iniciativa, em conjunto com a recente emissão das Notas 2031 que permitiu uma redução de mais de 200 bps no custo anual dessa dívida, se traduz na redução do nível de despesa financeira, e objetiva alongar o perfil de endividamento, reduzir a dívida bruta e o custo da estrutura de capital da companhia.

·        Seguimos com recomendação de COMPRA e Preço Justo de R$ 14,00/ação, que traz um potencial de alta de 37,3%.


M Dias Branco (MDIA3)
Política de Remuneração aos Acionistas

A Política de Remuneração aos Acionistas, em vigor a partir de 1º de janeiro de 2021, prevê o percentual alvo de 60% do lucro líquido ajustado relativo ao exercício de referência. A distribuição será realizada em 5 pagamentos anuais, sendo 4 pagamentos trimestrais de R$ 0,05/ação cada e 1 pagamento anual referente ao valor residual após aprovação pela Assembleia Geral que deliberará sobre as demonstrações financeiras do exercício em referência.

A companhia irá pagar em 22 de abril de 2021 o JCP bruto de R$ 0,05/ação referente ao 1T21. Será considerada a data de 7 de abril sendo as ações negociadas “ex” juros a partir de 8 de abril de 2021. O retorno líquido estimado é de 0,15%.


Vale (VALE3)
Recompra de ações

Na noite da última quinta-feira, a empresa informou que foi aprovada por seu Conselho de Administração a recompra de 270 milhões de ações e/ou ADRs, equivalentes a 5,3% do número total de ações em circulação. O programa terá duração de 12 meses.

· Esta é uma boa notícia para os acionistas da Vale, dado que este programa eleva a demanda pelas ações em um momento que a empresa deve apresentar bons resultados;

· A Vale também enfatizou que este programa de recompra não compete com a política de dividendos, na qual a empresa pretende continuar a distribuir mais que o mínimo estabelecido.


Petrobras (PETR4)
Aumento nas vendas de diesel

Após o último pregão, a empresa enviou comunicado para informar que suas vendas de diesel em março atingiram 791 mil barris por dia, volume 35% maior que no mesmo mês de 2020. Este volume é 4,9% acima do verificado no 4T20.

· O incremento nas vendas do principal produto da empresa (diesel), é uma boa notícia para a Petrobras. A receita das vendas de diesel representou 36,8% do total de derivados comercializados no mercado interno durante o 4T20;

· O bom número das vendas foi alcançado, mesmo tendo ocorrido em março três paradas para manutenção nas refinarias da Petrobras. No mês, o fator de utilização das refinarias foi de 80,2%, contra uma média de 82% durante o 4T20..


Braskem (BRKM5)
Parada para manutenção no Polo Petroquímico do Grande ABC

A empresa vai realizar uma parada para manutenção nas unidades de Químicos e Polietilenos do Polo Petroquímico do Grande ABC em São Paulo.

· A Braskem realizará também a modernização do sistema elétrico, que atende à central petroquímica da unidade, levando a maior eficiência no uso da energia com redução dos custos. Além disso, haverá uma redução de 11,4% no consumo de água e de 6,3% nas emissões de CO2;

· Uma operação de manutenção, que vai levar a redução dos custos e menor impacto no meio ambiente é uma notícia positiva para a Braskem.


Mineração
Um salto nas receitas de exportação em março

Segundo os dados fornecidos pela Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais (SECINT), as exportações brasileiras de minério de ferro em março foram de 28,4 milhões de toneladas, quantidade 34,0% maior que no mesmo mês de 2020. O volume médio diário exportado em março foi 6,7% acima do verificado em fevereiro.

· A receita das exportações em março foi de US$ 3,6 bilhões, 164,1% mais elevada que no mesmo mês do ano passado. A soma dos fortes incrementos dos preços médios (97,2%) e da quantidade, permitiu este salto na receita. No 1T21, a receita aumentou 128,0%, comparada ao 1T20, em função do crescimento do volume já comentado, mas principalmente pelo salto de 86,4% nos preços de venda;

· Este forte aumento das vendas para o exterior no 1T21 é uma boa notícia, indicando melhores resultados para os segmentos de minério de ferro da Vale, CSN e Usiminas.parte da produção de níquel da VNC.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.