Ibovespa sobe 1,96% acompanhando as bolsas internacionais

MERCADO


Bolsa
A quinta-feira foi de alta no Ibovespa (+1,96%) fechando em 114.984 pontos com giro financeiro de R$ 45,3 bilhões (R$ 35,2 bilhões no mercado à vista). A sanção do pacote americano de US$ 1,9 trilhão pelo presidente Biden encerra uma demorada negociação para o incentivo à população dos EUA. Além disso, o país vem conseguindo acelerar o processo de vacinação da população contra o vírus, gerando otimismo quanto à retomada da economia em prazo mais curto. Biden colocou a data de 04 de julho, como meta para a normalização da economia americana. No Brasil, infelizmente as previsões são pessimistas em relação ao combate ao vírus, e os números da economia serão, mais uma vez, afetados neste primeiro semestre. Hoje a agenda econômica vem carregada com destaque para a recuperação da produção industrial na Europa em janeiro, vendas no varejo brasileiro em janeiro e indicadores de preços de alimentos nos EUA. Após dias bastante positivos lá fora, os mercados mostram cautela no encerramento da semana. Hoje as bolsas recuam na Europa e nos futuros dos EUA e o petróleo também mostra ligeira queda nesta manhã.

Câmbio
Em mais um dia de recuo importante, ajudado por um leilão de US$ 1 bilhão do Banco Central e queda no exterior, o dólar passou de R$ 5,6721 para R$ 5,5396 (-2,34%). O aumento no apetite ao risco levou à pressão de venda de dólares.

Juros
Os juros também tiveram dia de acomodação nas taxas mais longas do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI). Para jan/22 a taxa passou de 4,046% para 4,11% e na ponta mais longa, para jan/27 a taxa encerrou a quinta-feira em 7,88% de 8,024%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Tenda (TEND3)
Lucro líquido de R$ 72 milhões no 4T20, (-5.6%). No ano o resultado foi de R$ 200,3 milhões (-24%)

A Tenda registrou queda no resultado líquido do 4T20 e no ano, impactada pela pandemia, que provocou paradas temporárias das obras, com perda de produtividade, refletindo também os aumentos nos custos de construção no período.

No 4T20, a receita liquida somou R$ 685,9 milhões (+26,3%, sobre o 4T19) e no ano, totalizou R$ 2,282 bilhões, evolução de 17%, puxada pelo aumento das vendas. A margem bruta ajustada da companhia ficou em 31,5% no trimestre, queda de 1,9 ponto porcentual. E no ano, chegou a 32,2%, retração de 2,8 pontos. O Ebitda consolidado somou R$ 110,2 milhões no trimestre, alta de 10,3%, e R$ 330,0 milhões no ano, queda de 6,6%.

A empresa teve uma redução de 25,8% na posição de caixa líquido, fechando no ano com R$ 148 milhões.

 Houve melhora do lado operacional com aumento de lançamentos e vendas. A empresa divulgou guidance de margem bruta (32%) e vendas liquidas de R$ 3,0 bilhões, ambos na máximo da previsão.


Energisa (ENGI11)
Lucro Líquido de R$ 192 milhões no 4T20 e R$ 1,6 bilhão em 2020

A Energisa registrou no 4T20 um lucro líquido de R$ 192 milhões com queda de 45,6% em relação ao 4T19 (R$ 353 milhões). Ressalte-se o efeito negativo e não caixa da marcação a mercado do bônus de subscrição atrelado à 7ª emissão da Energisa S.A no valor de R$ 393,9 milhões; e o efeito positivo de reversão de perdas para controvérsia relativa à alienação de ativos de geração em 2014, no valor de R$ 88,5 milhões.

Um resultado no 4T20 que mesmo assim, apresentou incremento de 15,7% na receita bruta e aumento de R$ 16,1% no EBITDA ajustado. No acumulado de 2020 o lucro líquido cresceu 205% para R$ 1,6 bilhão.

Cotada a R$ 44,10 (valor de mercado de R$ 20,0 bilhões) as Units da companhia registram queda de 15,8% este ano. O preço Justo de R$ 58,00/Unit traz um potencial de alta de 31,5%.

Com base no resultado o Conselho de administração aprovou distribuição de dividendos intercalares de R$ 399,2 milhões, equivalente a R$ 1,10/Unit. As ações ficam Ex dia 20 de março. O retorno esperado é de 2,5%.


Ecorodovias (ECOR3)
Avanço na reorganização societária

A empresa informou na noite de ontem, que ocorreu o Primeiro Fechamento previsto no Contrato de Dissociação anunciado em julho de 2020.

·       Esta é uma boa notícia para a Ecorodovias, que no momento tem um endividamento elevado, dificultando a aquisição de novas concessões;

·       Implementando o Primeiro Fechamento, a Igli realizou um aporte de R$ 880,9 milhões na Primav.  Com isso, a Primav transferiu para a Igli 232,5 milhões de ações da Ecorodovias e 135,9 milhões de ações da Concessionária do Monotrilho Linha 18 Bronze S/A (Vem ABC);

·       Um dos objetivos desta reorganização do controle da Ecorodovias é facilitar uma captação, estimada em R$ 1,8 bilhão, através da emissão de ações, na qual a Igli já se comprometeu a investir até R$ 1,2 bilhão.  Esta captação deve ocorrer até o final de 2021.


Petrobras Distribuidora (BRDT3)
Conclusão da venda de duas usinas termelétricas 

Após o pregão de ontem, a empresa informou que concluiu a venda da totalidade de sua participação nas empresas Pecém Energia S/A e Energética Camaçari Muricy II S/A para a New Fortress Energy Inc. e a CCETC Brasil Holding Ltda.

·       Acreditamos que a conclusão desta operação é uma notícia positiva para a Petrobras (BR) Distribuidora, por gerar caixa e evitar um investimento fora dos objetivos da empresa;

·       Quando foi assinado o Contrato de Compra e Venda, a BR Distribuidora informou que o valor desta operação era de R$ 50 milhões, ajustados pelo IPCA, sendo R$ 21,2 milhões quitados no fechamento da operação e R$ 28,8 milhões a serem pagos em cinco dias úteis após o início das operações comerciais das empresas negociadas.


Copel (CPLE6)
AGE aprova desdobramento de 1 ação para 10 ações. Ex hoje (12/03)

AGE da Copel aprovou nesta quinta-feira (11/03), dentre outras matérias, o desdobramento de ações da companhia, sem alteração do capital social, na proporção de 1 (uma) ação para 10 (dez) ações.

•             Desse modo, a cada 1 (uma) ação de emissão da companhia, serão creditadas 9 (nove) novas ações de mesma classe e espécie.

•             As ações serão negociadas ex-desdobramento a partir de 12 de março de 2021 (inclusive), e as ações resultantes do desdobramento serão creditadas aos acionistas em 16 de março de 2021.

Ontem (11/03) a ação CPLE6 fechou cotada a R$ 61,36/ação (valor de mercado de R$ 16,8 bilhões) com queda de 18,1% este ano. Na abertura do mercado hoje, a cotação “ex” teórica será de R$ 6,14/ação que se compara ao Preço Justo de R$ 7,50/ação (após desdobro).

Destaques

O capital social da companhia permanecerá no montante de R$ 10,8 bilhões e passará a ser representado por 2.736.553.750 ações, sem valor nominal, sendo 1.450.310.800 ações ordinárias e 1.286.242.950 ações preferenciais. Deste total de ações preferenciais, 3.267.520 são ações preferenciais classe “A” e 1.282.975.430 são ações preferenciais classe “B”.

Outras matérias aprovadas: Reforma do Estatuto Social, Avanços em Governança Corporativa, Migração para o Nível 2 da B3 e o Programa de Units.

Programa de Units. Inclui:

•             Desdobramento de ações na proporção de 1 para 10 (as ações serão negociadas exdesdobramento a partir do dia 12 de março de 2021;

•             Possibilidade de conversão de ações na razão de 1 ON para 1 PNB (e vice-versa);

•             Formação de Units compostas por 5 ações de emissão da Companhia, sendo 1 ON (CPLE3) e 4 PNB (CPLE6);


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.