Ibovespa cai 1,67% em dia de realização de lucros e cautela nas bolsas de NY

MERCADO


Bolsa
O Ibovespa vem oscilando nesta semana e ontem o movimento foi de baixa, (1,67%) recuando para 121.933 pontos. Após uma última semana bastante positiva, investidores optam pela realização de lucros, aproveitando a esticada principalmente das ações de commodities. O volume financeiro somou R$ 29,9 bilhões (R$ 26,3 bilhões no à vista) em dia de vencimento de opções sobre o índice. Do lado doméstico nenhuma notícia importante nos últimos dias. Do lado externo, a segunda derrota do presidente Trump com pedido de impeachment –  um marco na história política dos EUA, – agora vai para o Senado e deverá repercutir nos próximos dias, na reta final da passagem de governo. Um novo pacote de estímulos é esperado assim que Joe Biden assumir o cargo. As bolsas internacionais operam em alta na Europa e os futuros de NY também indicam alta, mesmo com o ambiente doméstico ruim nos EUA. O petróleo mostra queda nesta quinta-feira, dia de agenda econômica concentrada em indicadores americanos.

Câmbio
Após a esticada da segunda-feira, o dólar teve o segundo recuo ontem, caindo de R$ 5,3208 para R$ 5,3075 (- 0,25%). A moeda segue refletindo o fluxo de estrangeiros na bolsa e o resultado de captações externas.

Juros
Os juros futuros reagiram a uma expectativa de alta de indicadores macroeconômicos e aos vários entraves na economia doméstica neste começo de ano. O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/22 saltou de 3,155% para 3,255% e para jan/27 a taxa passou de 7,114% a 7,28%. O Tesouro deverá realizar mais um leilão de títulos nesta quinta-feira, que pode influenciar este mercado.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Petrobras Distribuidora (BRDT3)
Venda de empresas de energia

A empresa anunciou na manhã de ontem, que assinou um Memorando de Entendimentos com a New Fortress Energy Inc. e a CCETC Brasil Holding Ltda para a venda da Pecém Energia S/A e Energética Camaçari Muricy II S/A. O preço e outras condições da operação ainda serão discutidos entre as partes.

· A Petrobras (BR) Distribuidora vem negociando ativos fora do seu foco de negócios, portanto, esta notícia é positiva por se inserir nos objetivos da empresa;

· As duas empresas que serão vendidas são veículos de propósito específico ainda em fase pré-operacional. Elas vão implantar os Projetos Pecém II e Muricy II, que são usinas termelétricas vencedoras do Leilão de Energia Nova nº 002/2006, promovido pela ANEEL, que concedeu os contratos de compra de energia de 15 anos.


BTG Pactual (BPAC11)
Banco fará emissão primária de ações que pode chegar a R$ 2,5 bilhões

O Banco BTG Pactual anunciou uma oferta pública primária com esforços restritos de 22.222.222 ações ordinárias e 44.444.444 ações preferenciais.

A oferta será realizada no Brasil, em mercado de balcão não organizado, sob a coordenação do Banco BTG Pactual (Coordenador Líder), Banco Bradesco BBI, Banco Itaú BBA, Banco Morgan Stanley e Banco Santander, todos coordenadores da oferta.

Tomando por base o preço de fechamento nesta quarta-feira (13/01) de R$ 45,60/ação para BPAC3 e R$ 23,11/ação para BPAC5 o montante alcança R$ 2,0 bilhões. Dependendo da demanda, a oferta poderá ser acrescida em até 25%, podendo chegar a R$ 2,5 bilhões.

Conforme destacado “os recursos líquidos serão utilizados no curso normal dos negócios do banco, para acelerar iniciativas estratégicas e o crescimento da área de negócios de varejo digital e para manter fortes indicadores de capital e liquidez”.


MRV Engenharia (MRVE3)
Aprovação de R$ 100 milhões em dividendos extraordinários (R$ 0,2070 por ação)

O Conselho de Administração da MRV Engenharia aprovou ontem (13/01) a distribuição de R$ 100 milhões em dividendos extraordinários à conta de lucros do exercício de 2019. O valor corresponde a um total de R$ 0,2070 por ação.

”              Terão direito ao provento os acionistas com posição em 18 de janeiro.

”              As ações passarão a ser negociadas “ex-dividendos” a partir de 19 de janeiro.

”              O valor será pago em 28 de janeiro.

Ontem a ação MRVE3 encerrou cotada a R$ 20,21 com alta de 6,6% no ano. Com base nesta cotação o retorno para os acionistas é de 1,02%.


Sul América (SULA11)
Conselho aprova a 8ª emissão de debêntures simples no valor total de R$ 700 milhões

O Conselho de Administração da companhia aprovou ontem (13/01) a realização da 8ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em 2 (duas) séries. A Emissão será composta por 700.000 Debêntures, com valor nominal unitário de R$ 1.000,00, perfazendo o valor total da Emissão de R$ 700,0 milhões.

As Debêntures da primeira série e as Debêntures da segunda série terão vencimento em 1º de fevereiro de 2024 e 1º de fevereiro de 2026, respectivamente.

As Debêntures serão objeto de oferta pública, com esforços restritos de colocação (“Instrução CVM 476”) e serão destinadas exclusivamente a investidores profissionais.

Os juros remuneratórios das debêntures da primeira série e das debêntures da segunda série serão definidos conforme procedimento de coleta de intenções de investimento (procedimento de bookbuilding).

Os recursos líquidos obtidos pela companhia com a Emissão serão integralmente utilizados para reforço e adequação dos níveis de liquidez disponíveis à companhia, bem como para fins corporativos diversos.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.