Ibovespa encerra dezembro com valorização de 9,30% aos 119,5 mil pontos

MERCADO


Bolsa
Após quatro sessões em alta, o Ibovespa encerrou o último pregão de 2020 com desvalorização de 0,33% aos 119.528 pontos, com giro financeiro de R$ 32,5 bilhões (R$ 22,8 bilhões no à vista). Foram muitos os fatos que influenciaram o mercado no mês de dezembro, que marcou alta de 9,30%. Hoje, primeiro dia útil de 2021, as bolsas internacionais mostram alta firme na Europa e nos futuros de NY com apetite ao risco em dia de alta nos preços das commodities, com destaque para o petróleo que sobe firme neste começo de semana. A OPEP sinaliza que pode aumentar gradualmente e produção de petróleo nos próximos meses, diante da expectativa de melhora na economia global em 2021. A chegada das vacinas ao mercado traz de volta o otimismo de retomada das economias. A agenda econômica traz o IPC-S, o Boletim Focus e a balança comercial semanal e no exterior nenhum dado importante para hoje.

Câmbio
A moeda americana encerrou 2020 cotada a R$ 5,1935 ante R$ 5,1926 no dia anterior, praticamente estável, com alta de 0,02%. No final de novembro a cotação estava em R$ 5,3583. Em 2020, dentro de uma cesta de 34 moedas, a depreciação do real só não foi maior do que a do peso argentino. O dólar se firmou numa faixa estreita sem sinalizar grandes flutuações no curto prazo.

Juros
O mercado de juros futuros, segue sem grandes surpresas, com a curva de longo prazo marcando 2,860% para jan/22 e 6,413% para jan/27. Com a taxa Selic no seu nível mais baixo, os juros tendem a permanecer numa faixa de acomodação neste começo de ano.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Itaú Unibanco (ITUB4)
Reorganização societária da participação do Conglomerado Itaú no capital da XP Inc

O Conselho de Administração do Itaú Unibanco convocou Assembleia Geral Extraordinária (AGE), a se realizar no dia 31 de janeiro de 2021, para deliberar sobre a proposta de reorganização societária com vistas à segregação da linha de negócio do Conglomerado Itaú Unibanco referente à participação no capital da XP Inc. (XP), companhia sediada nas Ilhas Cayman e listada na Nasdaq.

Essa participação é composta por 226.523.304 ações de emissão da XP, equivalentes, na data base de 30 de setembro de 2020, a 41,05% do capital desta, para uma nova sociedade (“Newco”).

A Newco será constituída na data de realização da AGE, mediante operações de cisão envolvendo o banco, nos termos e condições previstos no protocolo e justificação da operação, cujo único ativo será o investimento na XP.

O percentual do capital da XP que passará a ser detido pela Newco após a Operação representa 40,52%, tendo em vista a recente capitalização da XP.

O valor contábil líquido da Parcela Cindida é de R$ 8,59 bilhões, na data base de 30 de setembro de 2020, composta exclusivamente pela participação societária no capital social da XP correspondente a 226.523.304 ações de sua emissão.

O objetivo da operação é a segregação na Newco da linha de negócio representada pelo investimento do Conglomerado Itaú Unibanco na XP, de modo que os acionistas do banco também passem a ser acionistas da Newco, sendo titulares da mesma quantidade, espécie e proporção das ações por eles detidas no banco.


Banco ABC Brasil S.A. (ABCB4)
Aumento de Capital com possibilidade de utilização de JCP

O Conselho de Administração do ABC Brasil aprovou em 30 de dezembro de 2020, o aumento do capital social no valor de até R$ 62,475 milhões mediante emissão de até 5.199.251 novas ações, sendo 2.650.341 ações ordinárias e 2.548.910 ações preferenciais, com a utilização de crédito dos juros sobre capital próprio (JCP) deliberados na mesma data ou em moeda corrente nacional.

·        Os acionistas poderão exercer o direito de preferência na subscrição de ações na proporção de 2,392110346% sobre a posição acionária que possuírem em 06/01/2021, inclusive, no prazo que se inicia em 07/01/2021 e termina em 05/02/2021.

·        As ações adquiridas a partir de 07/01/2021, inclusive, não farão jus ao direito de preferência (negociação ex-subscrição).

·        O preço de emissão é de R$ 12,016152797 por ação ordinária e preferencial, equivalente a um deságio de 23,3% em relação à cotação de R$ 15,67/ação da quarta-feira (30/12).

·        A data base da posição acionária que será considerada para o pagamento do JCP (dia 06/01/2021) será a mesma data base que será considerada para o direito de preferência na subscrição (dia 06/01/2021).

·        Os Juros sobre Capital Próprio são referentes ao 2º semestre de 2020, no valor bruto de R$ 0,338164306 por ação. O retorno líquido sobre a cotação de R$ 15,67 para a ação ABCB4 é de 1,83%.


Sul América S.A. (SULA11)
Conselho aprova JCP de R$ 0,1576/Unit. Ex em 07/01

O Conselho de Administração da companhia aprovou em 30.12.2020, o pagamento de Juros sobre Capital Próprio (JCP) no montante total bruto de R$ 60,0 milhões, correspondente a R$ 0,1575999346898870 por unit.

Farão jus aos JCP os acionistas detentores de ações em 06.01.2021. Sendo assim, a partir de 07.01.2021, inclusive, as units serão negociadas “ex-direito” aos JCP.

O pagamento será feito em 18.01.2021.

Com base na cotação de R$ 44,35/Unit o retorno líquido é de 0,3%.


Banco BTG Pactual S.A. (BPAC11)
Conselho aprovou JCP de R$ 0,6226/Unit. Ex em 07/01

O Conselho de Administração do BTG aprovou a distribuição de Juros sobre o Capital Próprio (JCP) no valor bruto de R$ 0,622625304 por unit.

Será considerada a data de 06 de janeiro de 2021, sendo as ações negociadas “ex-direitos” a partir de 07 de janeiro de 2021, inclusive.

O pagamento dos juros sobre capital próprio ocorrerá em data a ser comunicada oportunamente.

Com base na cotação de R$ 94,00/Unit o retorno líquido é de 0,56%.


Hapvida (HAPV3)
Aprovação de JCP no valor de R$ 0,0251 por ação. Ex-JCP em 08/01

O conselho de administração da Hapvida aprovou o pagamento de Juros sobre Capital Próprio (JCP) referente aos resultados de 2020, no valor de R$ 93,360 milhões, ou R$ 0,0251 por ação.

O valor será pago de acordo com a posição acionária do dia 07 de janeiro, e a partir do dia 08, a ação passa a ser negociada ex-juros.
O crédito aos acionistas será feito em 30 de abril de 2021.

A ação HAPV3 encerrou o ano cotada a R$ 15,28 com valorização de 20,0% no ano. O provento representa um retorno de apenas 0,16%.


Braskem (BRKM5)
Acordos para extinção de Ações Civis Públicas em Maceió

Após o último pregão, a empresa informou que assinou dois acordos para extinguir ações civis públicas referentes à compensação dos moradores e reparação socioambiental do evento geológico ocorrido em Maceió – AL.

· A Braskem estimou preliminarmente que as ações adicionais decorrentes destes acordos assinados em 30 de dezembro de 2020 são de R$ 1,2 bilhão. Este valor se soma aos R$ 7,9 bilhões já provisionados até o final do 3T20. A empresa não afirmou, mas possivelmente estes R$ 1,2 bilhão serão provisionados no resultado do 4T20. Vale lembrar que em novembro passado, a Braskem comunicou que pode vir a ter custos de R$ 3 bilhões, referentes ao fechamento de mais poços de sal em Maceió;

· Apesar de significar uma nova provisão, com impacto negativo no resultado e saída expressiva de caixa no futuro, a assinatura destes acordos é positiva para a Braskem, mitigando riscos perdas maiores no futuro.


Petrobras Distribuidora (BRDT3)
Recebimento da Eletrobras de parcela da dívida

Na noite de 30/dezembro, a empresa informou que recebeu a 32ª parcela dos Instrumentos de Confissão de Dívida (ICDs) da Eletrobras no valor de R$ 34,5 milhões. A Petrobras (BR) Distribuidora já recebeu um total de R$ 4.664,2 milhões desde a assinatura dos ICDs em 2018.

· O recebimento desta parcela é uma boa notícia para a BR Distribuidora, com impacto direto no resultado do 4T20, dado que esta dívida já havia sido inteiramente provisionada;

· Os ICDs foram assinados em abril/2018, entre a Petrobras Distribuidora e a Eletrobras, juntamente com algumas de suas controladas (Eletrobras Amazonas, Eletrobras Roraima, Eletrobras Rondônia e Eletrobras Acre), para o pagamento de débitos com valor de R$ 4,6 bilhões. Estas dívidas são decorrentes do fornecimento de combustíveis para a geração de energia.


Petrobras (PETR4)
Transferência de participações em empresas da Sete Brasil

A empresa informou que transferiu no dia 30/dezembro participações de 15% para o Grupo da Sete Brasil, que sua subsidiária Petrobras Netherlands B.V. detinha em sete sociedades holandesas de propósito específico. Estas sociedades já são controladas pelo próprio Grupo da Sete Brasil.

· O valor recebido pela Petrobras foi simbólico de sete euros pelas participações;

· Esta venda tem importância em desvincular a empresa de investimentos em sondas, que geraram elevados prejuízos para os donos da Sete Brasil, inclusive para a Petrobras.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.