Ibovespa cai 1,52%, mas encerra novembro com valorização expressiva de 15,90%

MERCADO


Bolsa
O último pregão de novembro foi de realização de lucros com o Ibovespa recuando 1,52% no fechamento. Mesmo assim o desempenho de novembro foi surpreendente com alta de 15,90%, marcando 108.893 pontos. O giro financeiro foi elevado, somando R$ 51,4 bilhões (R$ 45,6 bilhões no à vista). O primeiro pregão de dezembro mostra recuperação das bolsas no exterior, com alta firme na Europa e nos futuros de NY, em dia de agenda econômica carregada com indicadores da zona do euro, Estados Unidos e Brasil. Atenção para a balança comercial de novembro no Brasil, que deve novamente mostrar forte desempenho. No exterior as dificuldades de acordo entre os grandes players da Opep, no mercado de petróleo seguem no radar. Destaque para o aumento de casos de Covid-19 no Brasil e o retrocesso em para prevenir maior disseminação da doença. Passadas a eleições, as expectativas dos investidores domésticos ficam em torno das propostas de reformas no Brasil, que podem ditar o rumo do mercado nas próximas semanas.

Câmbio
A moeda americana encerrou novembro cotada a R$ 5,3583 de R$ 5,3369 na sexta-feira, alta de 0,40%. Em 30 de outubro a cotação fechou em R$ 5,7444, resultando numa queda de 6,72% no mês de novembro. Sem uma alteração significativa no cenário fiscal e econômico, a moeda deverás seguir operando numa faixa estreita em dezembro

Juros
Os juros futuros para jan/22 fecharam com taxa de 3,310% de 3,275% no ajuste de sexta-feira e para jan/27 a taxa passou de 7,494% para 7,55%. Este mercado segue menos influenciado pelos dados de curto prazo e acompanhando as tendências para o médio prazo.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Petrobras (PETR4)
Petrobras Day

A empresa realizou ontem uma teleconferência com analistas, repassando todas as áreas da empresa, mas principalmente focando no Plano Estratégico 2021-2024 recentemente divulgado. Nossa impressão é de que a empresa está apresentando metas consistentes, possíveis de serem atingidas, mesmo que modestas. Vemos a empresa em boa direção, com expectativas de crescimento dos resultados, sempre dependendo da evolução da cotação do petróleo, como acontece em todas as petrolíferas.

· Fontes e Usos para o período 2021-2024: A empresa detalhou este ponto e temos um total de US$ 150 bilhões, sendo que as Fontes serão de geração de caixa (após impostos) entre US$ 115-125 bilhões e recursos com a venda de ativos ficando entre US$ 25-35 bilhões. Os Usos serão para os investimentos US$ 40-50 bilhões, dividendos US$ 30-35 bilhões, amortização de dívidas e US$ 30-35 bilhões, amortizações de arrendamentos de US$ 30-35 bilhões e, finalmente, despesas financeiras com valor entre US$ 5-10 bilhões;

· Desinvestimentos: Com uma meta de vender entre US$ 25-35 bilhões, a Petrobras na área de Exploração e Produção tem 209 ativos à venda, no Downstream (refino e outros) oito refinarias, mais a Braskem, ativos na Colômbia, PBio, BSBios e as ações remanescentes da BR Distribuidora. Além disso, em Gás e Energia, são mais 6 grupos de empresas;

· Fluxo de Caixa Operacional (FCO) para 2021: A Petrobras apresentou uma interessante tabela, correlacionando o preço do petróleo e o câmbio para obtenção do FCO. Considerando faixas razoáveis de cotação do Brent em US$ 50/barril e taxa de câmbio em R$ 5,40/US$, temos um FCO de US$ 22,9 bilhões estimado para 2021, que seria 10,5% menor que o obtido em 2019.


JBS (JBSS3)
Aquisição dos Ativos de Margarina e Maionese da Bunge no Brasil

A Seara Alimentos Ltda controlada da JBS S.A. concluiu em 30 de novembro, a aquisição dos ativos de margarina e maionese da Bunge Alimentos S.A. (“Bunge”) no Brasil. A aquisição inclui três unidades produtivas localizadas em Gaspar (SC), São Paulo (SP) e Suape (PE).

A aquisição das unidades produtivas e de diversas marcas, entre elas Delícia, Primor e Gradina fortalece a posição da Seara no mercado de margarinas no Brasil, além de otimizar a sua plataforma de distribuição.

Conforme destacado no Fato Relevante “a aquisição está em linha com a estratégia da companhia de expandir seu portfólio de produtos de marca e maior valor agregado”.


Eletrobras (ELET3, ELET6)
Transferência de Ativos para a Ômega Geração por R$ 618,1 milhões

A Eletrobras concluiu em 30 de novembro a transferência da totalidade da participação que detinha em duas Sociedades de Propósito Específico (“SPE”) a Omega Geração S.A. por R$ 618,1 milhões.

Os empreendimentos foram objeto de licitação feita pela estatal no ano passado: 78% do capital social da Eólica Santa Vitória do Palmar Holding S.A. (Lote 1); e 99,99% do capital social das SPEs Hermenegildo I S.A., Hermenegildo II S.A., Hermenegildo III S.A. e Chuí IX S.A. (Lote 2).

Pela venda, a Eletrobras recebeu pelo Lote 1, o valor atualizado de R$ 472,4 milhões; e R$ 145,7 milhões para o Lote 2, podendo, este último, ser acrescido em até 15% dependendo da geração futura de energia.

A venda já havia sido aprovada pelo CADE em 03 de setembro de 2020, e representa uma das iniciativas vinculadas ao Plano Diretor de Negócios e Gestão 2020/2024 da Eletrobras.


Cteep – Transmissão Paulista (TRPL4)
Conselho aprova emissão de R$ 1,6 bilhão em debêntures

O Conselho de Administração da Cteep aprovou em reunião realizada no dia 19 de novembro de 2020 a 9ª emissão de debêntures, não conversíveis em ações, no valor total de R$ 1,6 bilhão.

A operação, que contará com esforços restritos, será realizada em duas séries, cada uma de R$ 800 milhões. A primeira série terá vencimento de oito anos e a segunda de 23 anos e seis meses.

A remuneração oferecida pelos papéis da primeira série será composta pela Taxa DI mais um prêmio de 2,83% ao ano. Já a remuneração da segunda série corresponderá a maior taxa entre a taxa interna de retorno do Tesouro IPCA + juros semestrais, com vencimento em 2035, acrescida de 1,45% ao ano, ou 5,30% ao ano em conjunto com a remuneração da primeira série.

Ao final do 3T20 a dívida líquida da companhia era de R$ 2,2 bilhões, equivalente a 0,9x o EBITDA ajustado com um custo médio de 6,0% ano ano. O prazo médio da dívida consolidada ao final de set/20 era de 3,7 anos.


Multiplan (MULT3)
Aprovação de novo programa de recompra de ações

Ontem, o Conselho de Administração da Multiplan aprovou um novo programa de recompra de até 7,5 milhões de ações. A recompra para permanência em Tesouraria, segundo fato relevante divulgado ontem pela companhia, terá o prazo máximo de 18 meses, encerrando em 1º de junho de 2022.

A ação MULT3 encerrou ontem cotada a R$ 22,67 e acumula queda de 31,2% no ano e seu valor de mercado é de R$ 13,5 bilhões. Ao preço atual a recompra representa um investimento de R$ 170 milhões.


Petrobras Distribuidora (BRDT3)
Recebimento de dívida da Eletrobras

Na noite de ontem, a empresa informou que recebeu a 31ª parcela dos Instrumentos de Confissão de Dívida (ICDs) da Eletrobras no valor de R$ 34,6 milhões.

· A Petrobras (BR) Distribuidora já recebeu um total de R$ 4.629,7 milhões desde a assinatura dos ICDs em 2018;

· O recebimento desta parcela é uma boa notícia para a BR Distribuidora, com impacto direto no resultado do 4T20, dado que esta dívida já havia sido inteiramente provisionada.


Carrefour Brasil (CRFB3)
Aquisição de 3 lojas da rede Makro

O Grupo Carrefour Brasil anunciou ontem a conclusão da aquisição de três lojas próprias e dois postos de combustíveis da rede Makro, localizadas no Rio de Janeiro, Santa Catarina e Bahia. Pelo acordo, ontem mesmo, a companhia efetuou o pagamento de R$ 289,620 milhões ao Makro.  As demais lojas serão transferidas após regularização de documentos junto aos cartórios.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.