Ibovespa acumula alta de 3,76% na semana com ganho de 2,15% na sexta-feira

MERCADO


Bolsa
O Ibovespa encerrou a sexta-feira com alta de 2,16% acumulando valorização de 3,76% na semana e 11,46% no mês. O volume negociado continua elevado, com R$ 33,6 bilhões no total e R$ 27,0 bilhões no à vista. Ajudaram os mercados, a sinalização de definição do quadro político nos EUA, a despeito do aumento dos problemas gerados pela Covid-19. As bolsas de NY em alta e o Ibovespa seguiu o mesmo rumo, refletindo também expectativa positiva em relação a decisões importantes para esta semana, se o governo e o Congresso, cumprirem a agenda. A agenda econômica desta segunda-feira vem fraca com atenção apenas para a pesquisa econômica para a Europa e do lado doméstico, o IPC-S da FGV, o IGP-10 a balança comercial semanal e o Boletim Focus. As bolsas internacionais operam em alta generalizada na zona do euro e no Japão a alta é ainda mais expressiva com a divulgação de um PIB intermediário robusto. Nas últimas declarações, o presidente Donald Trump parece aceitar a derrota na disputa com Biden e caminhar para a transição de governo, mas o presidente ainda prepara novas sanções contra a China antes de deixar o governo. Hoje o petróleo opera em alta e pode também ser mais um fator a influenciar o mercado. Do lado doméstico, a expectativa nas decisões do governo e Congresso, neste pós eleições.

Câmbio
A moeda americana subiu de R$ 5,4584 para R$ 5,462 com alta de 0,08% em dia de bolsa forte.

Juros
A sexta-feira 13 foi de queda para os juros futuros com a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/22 fechando em 3,34%, de 3,385% na quinta-feira. O DI para janeiro de 2027 fechou com taxa de 7,46%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Cosan S.A. (CSAN3)
EBITDA ajustado de R$ 1,7 bilhão (+6%), em função da recuperação da economia e o reflexo nas operações

A Cosan S.A. registrou no 3T20 um lucro líquido de R$ 304 milhões, que se compara ao lucro líquido de R$ 819 milhões de igual trimestre de 2019, impactado pelo efeito negativo da marcação a mercado das ações da Rumo, menor rendimento de aplicações financeiras, e a redução no lucro líquido da Raízen Energia e da Compass.  Nesse contexto ressalte-se para o consumo de caixa proforma de R$ 1,5 bilhão, refletindo a amortização de dívidas na Raízen e participação da Cosan no follow on realizado pela Rumo S.A. Em base ajustada o lucro líquido reduz-se a R$ 273 milhões (-44%).

Destaque para o EBITDA de R$ 1,9 bilhão no 3T20 e em base ajustada, de R$ 1,7 bilhão – com crescimento de 6,2% em relação ao 3T19, potencializado pela recuperação das operações afetadas pela crise no trimestre anterior. Ao preço de R$ 78,44/ação, correspondente a um valor de mercado de R$ 30,9 bilhões, a ação CSAN3 registra alta de 15,2% este ano.

A Cosan S.A. registrou no 3T20 uma Receita Líquida de R$ 17,5 bilhões, 6,9% inferior ao 3T19. Nesta base de comparação a companhia reportou um EBITDA de R$ 1,9 bilhão (-12,4%), mas que já refletiu a retomada parcial da atividade econômica. Em base ajustada o EBITDA somou R$ 1,7 bilhão, 6,2% superior a R$ 1,6 bilhão reportados em igual trimestre do ano anterior.

Os investimentos no 3T20 somaram R$ 723 milhões, pouco acima do 3T19 (R$ 681 milhões). A dívida líquida cresceu 23% em base anual para R$ 15,9 bilhões. A alavancagem proforma elevou-se de 2,4x no 2T20 para 2,7x no 3T20, explicado pela combinação do maior saldo de dívida líquida e menor EBITDA (últ.12m), em função principalmente dos impactos da crise nos resultados do trimestre anterior.


Cemig S.A. (CMIG4)
Lucro líquido de R$ 545,4 milhões no 3T20 ante o prejuízo líquido de R$ 281,8 milhões do 3T19

A Cemig registrou um lucro líquido de R$ 545,4 milhões no 3T20 que se compara ao prejuízo líquido de R$ 281,8 milhões do 3T19 um resultado construído pelo crescimento de 5% da receita líquida consolidada e a melhora do resultado operacional (+24% em base ajustada), com +3,3pp na margem EBITDA ajustada para 20,9%. Essa melhora refletiu principalmente a gradual recuperação da economia responsável por aproximadamente “41% do EBITDA ajustado em base trimestral”.

Ao preço de R$ 11,32/ação, equivalente a um valor de mercado de R$ 17,2 bilhões, a ação CMIG4 registra queda de 12,1% este ano. O Preço Justo de R$ 13,85/ação (mercado) traz um potencial de alta de 22,3%.

A receita líquida aumentou 4,9% entre os trimestres comparáveis para R$ 6,4 bilhões. Ressalte-se o aumento de 1,4% na energia distribuída pela Cemig Distribuição (Cemig D) no 3T20 em relação ao 3T19 e a reversão de PDD do Estado de Minas Gerais no montante de R$ 231 milhões no 3T20 devido ao requerimento protocolado pela companhia junto à Secretaria de Estado da Fazenda de Minas Gerais para compensação utilizando créditos tributários relativos ao ICMS, o qual foi deferido.

Redução de custos de PMSO, que apresentaram queda de 4,7% quando desconsiderada a despesa de PLR, que foi maior em função do lucro apresentado no 3T20, em comparação a uma reversão de PLR no 3T19 por conta do prejuízo apresentado no período. Reconhecimento a valor de mercado do investimento na Light no 3T20, com impacto negativo da remensuração no valor R$ 136 milhões, correspondendo a um valor líquido de tributos de R$ 90 milhões.


CCR (CCRO3)
Todos os segmentos melhorando

Após o último pregão, a empresa divulgou seus dados operacionais do período entre 6 e 12 de novembro, mostrando a paulatina melhora em todos seus segmentos de atuação (administração de rodovias, mobilidade urbana e aeroportos), que foram muito afetados pelas medidas de distanciamento social usadas para o combate à pandemia de Covid-19.
• Estes dados indicam que a CCR poderá continuar obtendo melhores resultados, assim como ocorreu no 3T20, que foi divulgado na semana passada.;
• O tráfego consolidado da CCR (sem a ViaSul) entre os dias 6 e 12 de novembro, comparado a igual período do ano passado, mostrou um aumento 2,3%, com queda de 5,5% na movimentação dos veículos de passeio, mais que compensada pelo aumento de 8,5% nos pesados;
• A movimentação nos aeroportos e nas cidades melhorou entre 6 e 12 de novembro. Na CCR Mobilidade, o número de passageiros transportados caiu 48,0%, número bem melhor que no período anterior, quando a queda foi de 54,5%. Na CCR Aeroportos, a contração no período foi de 59,1%, também menor que no anterior (-62,2%).


JHSF (JHSF3)
Encerramento de programa de recompra de ações

A JHSF anunciou na sexta-feira o encerramento do seu programa de recompra de ações, aprovado no último mês de agosto, que previa a aquisição de até 28 milhões de papéis da empresa. No fim, foram adquiridas 2,8 milhões de ações, 10% do total estimado, as quais permanecem em tesouraria.

Na sexta-feira a ação JHSF3 encerrou cotada a R$ 7,59 com alta de 8,4% no ano. O valor de mercado da companhia é de R$R 5,2 bilhões.


Energisa (ENGI11)
 OPA para aquisição de ações da subsidiária Rede Energia

Cumprindo determinação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Energisa registrou pedido para oferta pública de aquisições de ações (OPA) para um aumento de participação no capital social da controlada Rede Energia referente à venda de 67,642 milhões de ações da Rede pelo Bndespar.

A Energisa contratou a Modal DTVM para intermediar a oferta, que será de R$ 9,40 por ação da Rede, acima do laudo de avaliação (R$ 7,98/ação). A Energisa destaca ainda que a OPA só poderá ser efetivamente lançada pela companhia, na forma de edital, após a conclusão desta análise e o deferimento do seu registro.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.