Ibovespa recua 0,25% após sequência de altas

MERCADO


Bolsa
A quarta-feira foi de acomodação no Ibovespa com baixa de 0,25% no fechamento aos 104.809 pontos e giro financeiro de R$ 35,5 bilhões e R$ 28,9 bilhões no à vista, mais um dia de volume elevado. A recente puxada na bolsa nos últimos pregões chamou realização em papéis de peso no índice, mas os investidores seguem atentos às notícias sobre as vacinas e aguardando posicionamento do governo e Congresso na semana que vem, sobre a pauta fundamental para definir o rumo da economia em 2021. Hoje a agenda econômica traz dados de produção industrial na zona do euro e indicadores do mercado americano, que não têm peso sobre os mercados. No mercado de petróleo, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) está considerando estender os atuais cortes de 7,7 milhões de barris por dia (bpd) na produção de petróleo por três a seis meses. Hoje a cotação da commodity opera em baixa. Lá fora as bolsas pesam na Europa, nesta manhã e os futuros de NY também indicam queda, o que pode pesar sobre o Ibovespa.

Câmbio
O dólar recuou de R$ 5,4120 para R$ 5,4001 (-0,22%). A moeda americana tem mostrado volatilidade nos últimos dias e o fluxo de entrada de capital aumentou recentemente, inclusive para a bolsa.

Juros
As preocupações com o cenário fiscal no Brasil segue influenciando a curva de juros futuros com investidores enxergando mais fragilidade em relação à capacidade do governo em cumprir os vencimentos futuros.  A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/22 encerrou a sessão em 3,39% de 3,305% ontem no ajuste. O DI para jan/27, subiu de 7,244%) para 7,48%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

CCR (CCRO3)
Recuperação dos resultados no 3T20

Na noite de ontem, a empresa divulgou seu resultado do 3T20 mostrando recuperação no tráfego, na receita, rentabilidade operacional e no lucro em relação ao trimestre anterior. Porém, na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, observa-se ainda um longo caminho para o retorno à rentabilidade que CCR já teve.

  • No 3T20, a CCR obteve um lucro de R$ 118 milhões (R$ 0,06 por ação), 65,2% menos que no mesmo período do ano passado, mas revertendo o prejuízo de R$ 142 milhões do 2T20;
  • No 3T20, o tráfego nas nove concessões rodoviárias administradas pela CCR foi de 253,8 milhões de veículos equivalentes, 1,6% menor que no 3T19. Esta redução foi ocasionada pelas medidas de distanciamento social usadas para o combate da pandemia de Covid-19. Porém, na comparação com o 2T20, houve uma forte recuperação no tráfego, que cresceu 28,1%;
  • As medidas de distanciamento social, destinadas a combater a pandemia, impactaram todos os negócios da CCR. A receita de pedágio no trimestre foi de R$ 1,8 bilhão, 2,1% menos que no 3T19. Foram piores os desempenhos nas receitas de Aeroportos (-43,6%) e Mobilidade (-16,9%). Com isso, a receita líquida consolidada pró-forma no 3T20 (R$ 2,3 bilhões) ficou 10,2% menor que 3T19.

Enauta (ENAT3)
Resultado fraco no 3T20 e redução nas projeções de produção

Após o último pregão, a empresa divulgou seus números do 3T20 que apresentaram queda nas vendas, receita e rentabilidade em relação ao trimestre anterior ou com o 3T19. Na comparação com o trimestre anterior, é importante lembrar que naquele período foram contabilizados ganhos não recorrentes de R$ 183 milhões.

  • No 3T20, a Enauta lucrou R$ 39 milhões (R$ 0,15 por ação), 69,7% menor que no 2T20 e 6,0% abaixo do mesmo trimestre do ano passado;
  • Também ontem, a empresa reduziu mais uma vez sua expectativa de produção no Campo de Atlanta. A Enauta espera agora que em 2020 a produção seja de 20 mil barris ao dia, ao invés do anteriormente esperado de 23 mil b/d. Em 2021, a expectativa foi diminuída de 18 mil b/d para 16 mil b/d.

Via Varejo (VVAR3)
Lucro líquido de R$ 590 milhões no 3T20 mostra a eficiência alcançada durante a pandemia. Nos 9M20, o lucro foi de R$ 667milhões

A companhia encerrou o 3T20 com lucro líquido de R$ 590 milhões contra um prejuízo de R$ 346 milhões no mesmo período de 2019 e apresentou também uma reversão no resultado operacional de R$ 208 milhões no 3T19 para lucro de R$ 100 milhões no 3T20.  O resultado liquido não recorrente do 3T20 foi um lucro de R$ 490 milhões, ante prejuízo de R$ 138 milhões na mesma base de comparação.

 No acumulado de 9 meses, o resultado líquido passou de um prejuízo de R$ 558 milhões em 2019 para um lucro de R$ 667 milhões neste ano. Este bom desempenho reflete o forte crescimento nas operações de e-commerce, maior alavancagem operacional com evolução da receita e diluição de despesas.


MRV Engenharia (MRVE3)
Lucro líquido de R$ 164 milhões no 3T20 e R$ 449 milhões em 9 meses, um bom desempenho

A MRV registrou bom desempenho operacional e financeiro no 3T20 e no acumulado de 9 meses, com os seguintes destaques:

  • Recorde de Vendas Líquidas pelo terceiro trimestre consecutivo, totalizando R$ 1,97 bilhão e 12.183 unidades, um acréscimo de 41,1% frente ao 3T19 e de 8,3% no comparativo com o 2T20;
  • Maior receita operacional líquida da história da companhia, atingindo R$ 1,76 bilhão no 3T20, aumento de 12,2% no comparativo com o 3T19;
  • Maior geração de caixa da história da companhia, atingindo R$ 306 milhões no 3T20;
  • Aumento de 26,6% no lucro líquido no comparativo com o 2T20, atingindo R$ 158 milhões;
  • Retomada dos Lançamentos, alcançando um total de R$ 1,87 bilhão, equivalente a 11.106 unidades, um incremento de 15,0% em relação ao 3T19 e de 99,0% no comparativo com o 2T20;
  • Aumento na Velocidade de Vendas (VSO – Vendas sobre Oferta), alcançando 21,2%, a maior marca desde 1T14, equivalente a um aumento de 6,3 p.p. no comparativo com o 3T19 e de 1,5 p.p. frente o 2T20.
  • No final de setembro a dívida liquida somava R$ 733 milhões, redução de 2,6% em 12 meses, equivalente a 13,3% do patrimônio líquido

Taesa (TAEE11)
Lucro líquido de R$ 274,1 milhões no 3T20 (+76,6% sobre o 3T19)

O resultado líquida da Taesa foi favorecido pela alta do IGP-M e pela consolidação de de novos ativos e projetos da companhia.  A empresa destacou no seu release de resultados que o maior índice macroeconômico registrado no acumulado do trimestre, de 6,67%, refletiu em um aumento de R$ 297 milhões na receita de correção monetária e de R$ 127 milhões no resultado de equivalência patrimonial. Somente o Resultado de Equivalência Patrimonial totalizou R$ 207,4 milhões entre julho em setembro, 158,5% maior que o reportado um ano antes.

Dividendos – Ontem (11/11) o Conselho de Administração da Taesa aprovou mais um pagamento de dividendos intercalares de R$ 410,8 milhões equivalentes e R$ 415,4 milhões a título de JCP totalizando R$ 0,4539 por ação.


Locaweb (LWSA3)
Lucro líquido de R$ 7,8 milhões no 3T20 (+30,6% s/ o 3T19)

No 3T20, o lucro líquido somou R$ 7,8 milhões, um crescimento de 30,6% sobre os R$ 6 milhões do 3T19. No critério ajustado, o lucro líquido ficou em R$ 12,5 milhões, alta de 30,4% sobre 2019.

A Locaweb encerrou setembro com posição de caixa positiva de R$ 378,2 milhões. Sobre a dívida bruta que soma R$ 71,1 milhões não existe exposição cambial.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.