Ibovespa registra forte recuperação na semana com alta de 7,42%

MERCADO


Bolsa
A semana passada foi marcou alta surpreendente nos mercados globais diante da ascensão de Joe Biden na reta final da eleição presidencial. O Ibovespa pegou carona neste movimento e subiu 7,42% na semana se recuperando da queda forte na semana anterior.  Na sexta-feira a bolsa subiu 0,17%, chegando a 100.925 pontos com giro financeiro de R$ 31,7 bilhões (R$ 17,2 bilhões no mercado à vista). Passada a eleição nos EUA o Brasil se prepara para a eleição de prefeitos no próximo final de semana e somente após a eleição, é esperada uma iniciativa do governo e Congresso sobre a pauta de projetos emperrada, com a promessa de retomada da agenda de reformas na próxima semana. Os mercados passarão a acompanhar de perto os próximos passos da política americana e local. A definição do Senado americano acontecerá em janeiro/21 e o pacote de estímulo que ficou travado até a eleição, deverá voltar à pauta e os mercados deverão precificar tudo isso nos próximos meses. A agenda econômica traz o IPC-S e o Boletim Focus e nos EUA, dados pouco relevantes.  O foco fica mesmo no comportamento dos mercados após o resultado oficial da eleição nos EUA. Lá fora a reação segue bastante positiva nas bolsas.

Câmbio
A moeda americana teve mais um dia de queda passando de R$ 5,5397 para R$ 5,3775 (- 2,92%) em dia de apetite ao risco por parte dos investidores numa semana norteada pela disputa presidencial nos EUA. Na semana a queda do dólar foi de 6,39% com otimismo dos investidores.

Juros
Na sexta-feira os juros futuros operaram em alta na parte da manhã, mas cederam na segunda metade do dia com o noticiário intraday. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/22 fechou em 3,31%, ante 3,455% na quinta-feira e para jan/27 a taxa passou de 7,424% para 7,25%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

M Dias Branco (MDIA3)
Forte 3T20 mostra melhora operacional, um resultado financeiro positivo e ganho não recorrente de créditos tributários 

A M Dias Branco registrou no 3T20 um lucro líquido de R$ 265,4 milhões, com crescimento de 97,3% em relação a igual trimestre do ano anterior, reflexo do crescimento de volumes, incremento da margem operacional, melhora do resultado financeiro, aliado ao efeito não recorrente de créditos tributários extemporâneos. Mesmo excluído esse efeito não recorrente o lucro cresceu 28,0% entre os trimestres comparáveis.

No 3T20, em base anual, o volume de vendas cresceu 27,0% que, aliado a alta de 3,1% nos preços médios, resultou no crescimento de 30,9% da receita líquida. Os custos evoluíram 35,9% entre os trimestres comparáveis por maior pressão das matérias primas referenciadas em dólar e consequente acréscimo de 2,5pp na representatividade sobre a receita líquida. Destaque para o aumento de 19,1pp no índice de utilização da capacidade instalada, proporcionando maior diluição dos custos e das despesas fixas.

Esses aspectos, aliado ao aumento de outras receitas operacionais em função principalmente de créditos extemporâneos decorrente da exclusão de ICMS da base de cálculo do PIS e da COFINS, resultaram na alta de 74,4% do EBITDA e forte crescimento da margem EBITDA, que passou de 12,1% no 3T19 para 16,2% no 3T20.

Mais um resultado trimestral consistente, acima do esperado, que refletiu a estratégia de crescimento nos mercados de atuação, a criação de novas categorias e o fortalecimento das exportações. Seguimos com recomendação de COMPRA e Preço Justo de R$ 45,00/ação.


Tegma (TGMA3)
Lucro líquido de R$ 39,9 milhões no 3T20 acumulando R$ 44,9 milhões de ganho em 9 meses

O resultado líquido do 3T20 foi de R$ 29,9 milhões foi 67,2% inferior ao do 3T19 (17,0% inferior sem considerar os impactos do crédito tributário do 3T19), mas mostra uma reversão em relação ao prejuízo de R$ 4,4 milhões do 2T20. A pandemia afetou fortemente as operações da companhia mas os prejuízos foram amenizados pelo corte de custos e despesas realizado durante o segundo trimestre e pelo controle dos mesmos ao longo do 3T20.

Em setembro a posição liquida de caixa somava R$ 54,3 milhões vs um caixa líquido de R$ 62,5 milhões em 30 de junho de 2020.

A receita liquida somou R$ 289,2 milhões no 3T20 e R$ 699,1 milhões em 9 meses, mostrando boa recuperação, ainda que inferior aos números anteriores à pandemia, o que é normal, considerando os efeitos sobre o setor. A margem bruta do 3T20 foi de 22,4%, superior à margem do 3T19 (20,8%).  O EBITDA do 3T20 foi de R$ 55,3 milhões (R$ 100,9 milhões nos 9M20), também voltando à normalidade.


Anima Educação (ANIM3)
Lucro líquido de R$ 1,8 milhão no 3T20 e prejuízo líquido de R$ 8,0 milhões no acumulado do ano

O setor de educação foi um dos mais penalizados pela pandemia e pelo retardamento de decisões do governo em relação ao setor. A Anima vem num processo de expansão orgânica e fazendo aquisições, mesmo num ambiente ainda carregado de incertezas para a economia e para a educação no Brasil.

O processo de captação de alunos indicou a inclusão de 14,6 mil novos alunos à base da Anima que chegou a 119,3 mil matrículas, crescimento de 5,8%. Houve também uma melhora no ticket médio da companhia.

Se considerado o lucro líquido ajustado, o resultado de 9 meses foi de R$ 77,1 milhões com margem de 7,4%. Este resultado foi alcançado mesmo com o aumento das despesas financeiras e da depreciação resultante de investimentos em tecnologia.

A ação ANIM3 encerrou a sexta-feira cotada a R$ 32,22 com valorização de 8,2% no ano.


SLC Agrícola (SLCE3)
Prejuízo Líquido de R$ 35,7 milhões no 3T20

A SLC Agrícola registrou no 3T20 um Prejuízo Líquido de R$ 35,7 milhões, acumulando no 9M20 um lucro de R$ 316,8 milhões e alta de 39,9% ante igual período do ano anterior. O principal fator que contribuiu para a queda no 3T20 foi a dinâmica de contabilização dos Ativos Biológicos.

Já o crescimento no acumulado do ano refletiu (i) o aumento de R$ 42,0 milhões no Resultado Bruto das culturas faturadas (excluindo impactos dos Ativos Biológicos), em função de maiores volumes e melhores preços (na soja e no milho) e (ii) a dinâmica de contabilização dos Ativos Biológicos, que prevê Resultado Bruto superior para o algodão na safra 2019/20 frente ao estimado para a safra 2018/19, o que já está implícito no lucro acumulado do ano.

Considerando a geração de caixa no período, assim como o lucro tributável, a Administração da SLC Agrícola aprovou na sexta-feira (06/11) o pagamento de R$ 37,1 milhões a título de Juros sobre Capital Próprio, correspondente a R$ 0,19813998 por ação ordinária. O pagamento será feito no dia 16/12, com data de corte de 13/11 e negociação ex-juros a partir de 16 de novembro de 2020. O retorno líquido é de 0,63%. Seguimos com recomendação de COMPRA para SLCE3.


CCR (CCRO3)
O tráfego nas estradas está voltando à normalidade

Divulgados na noite da última sexta-feira, os dados operacionais da empresa, mostraram a melhoria desde o relaxamento das medidas de distanciamento social para o tráfego nas rodovias. Os números de mobilidade e nos aeroportos ainda mostram uma forte redução na comparação com o mesmo período de 2019.

· Divulgados na noite da última sexta-feira, os dados operacionais da empresa, mostraram a melhoria desde o relaxamento das medidas de distanciamento social para o tráfego nas rodovias. Os números de mobilidade e nos aeroportos ainda mostram uma forte redução na comparação com o mesmo período de 2019;

· O tráfego consolidado da CCR (sem a ViaSul) entre os dias 30 de outubro e 5 de novembro, em relação a igual período do ano passado, mostrou uma diminuição de 1,4%, com reduções de 1,0% na movimentação dos veículos de passeio e 1,8% nos comerciais;

· Estes dados indicam que a CCR pode apresentar melhores resultados no 3T20, que serão divulgados nesta semana (11/ novembro – quarta-feira) e também durante o 4T20.


Petrobras (PETR4)
Finalização da venda do campo de Baúna

Após o último pregão, a empresa informou que concluiu a venda de sua participação (100%) no campo de Baúna para a Karoon Petróleo & Gás Ltda por US$ 199,9 milhões, já quitados, mais uma US$ 40 milhões que serão pagos em 18 prestações mensais. Além disso, a Petrobras receberá US$ 286 milhões até 2026, dependendo de certas condições.

· O fechamento de operações, dentro do Plano de Desinvestimentos, é sempre uma boa notícia para a Petrobras. Estas vendas de ativos reduzem investimentos e a dívida, o que é positivo para a rentabilidade da empresa;

· O campo de Baúna, localizado em águas rasas da Bacia de Santos, produz atualmente cerca de 16 mil barris de petróleo por dia usando a FPSO Cidade de Itajaí.


Indústria automobilística
Recuperação da produção continuou em outubro

Conforme os dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), a produção em outubro somou 236,5 mil unidades, 18,0% menos que em igual mês de 2019. No entanto, na comparação com setembro/20, houve um crescimento de 7,4% no total produzido em outubro, continuando a recuperação após os fechamentos das montadoras durante o 2T20.

· Entre janeiro e outubro de 2020, a produção brasileira de veículos somou 1,5 milhão de unidades, volume 38,9% inferior ao verificado em igual período de 2019;

· O volume produzido pela indústria automobilística é um importante indicador antecedente para o faturamento dos fabricantes de veículos e autopeças (Marcopolo, Randon e Tupy), assim como para as vendas no mercado interno das siderúrgicas (Usiminas, CSN e Gerdau);

· As vendas (licenciamentos) de veículos novos nacionais em setembro foram de 196,0 mil unidades, 14,1% menos que no mesmo mês de 2019. No acumulado de dez meses em 2020, as vendas tiveram uma diminuição de 30,4%, alcançando 1,4 milhão de unidades. Em relação ao mês anterior, as vendas em outubro aumentaram 4,0%.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.