Ibovespa sobe 1,51% e o dólar recua para R$ 5,3893

MERCADO


Bolsa
O Ibovespa encerrou a sexta-feira com alta de 1,51% aos 102.143 pontos, com giro financeiro de R$ 23,4 bilhões (R$ 21,2 bilhões no à vista). Em meio aos fatos que pesaram sobre os mercados nos pregões anteriores, os investidores aproveitaram a sinalização passada pelo presidente do Fed para os juros americanos para irem às compras, com as blue chips puxando o índice. Na sexta-feira as bolsas de NY fecharam em alta novamente. Hoje, fechamento de mês, além do Boletim Focus a agenda econômica traz, os resultados primário e nominal do setor público, o coeficiente Dívida pública/PIB e a balança comercial da semana passada. No exterior, nenhum dado importante para hoje. As bolsas internacionais abrem a semana com predomínio de alta na zona do euro, com as cotações do petróleo mostrando alta firme neste começo de manhã.

Câmbio
A moeda americana recuou forte na sexta-feira, de R$ 5,5695 para R$ 5,3893 (-3,23%). Na semana a queda foi de 4,12% com o dólar cotado a R$ 5,6210 no fechamento da semana anterior.

Juros
Os juros futuros fecharam o dia em queda firme com a decisão do Conselho Monetário Nacional (CMN), na quinta-feira, de autorizar o repasse de R$ 325 bilhões do lucro do Banco Central para o Tesouro, o que deve dar maior conforto nas emissões de dívida. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/22 fechou em 2,82%, de 2,873% no dia anterior e para jan/27 a taxa caiu de 6,963% para 6,78%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

EDP Energias do Brasil S.A. (ENBR3)
Lucro de R$ 237 milhões no 2T20 acima do esperado

A EDP Energias do Brasil registrou no 2T20 um lucro líquido de R$ 237 milhões, acima do esperado, com crescimento de 25% em relação ao 2T19, acumulando no 1S20 um lucro líquido de R$ 508 milhões, 5% superior a igual período do ano anterior. Esta melhora no trimestre refletiu a melhora do resultado operacional, financeiro e de equivalência patrimonial; parcialmente compensado por maior volume de IR/CS por incremento do lucro tributável.

Em base consolidada a receita líquida do 2T20 ante o 2T19 caiu 2,8% para R$ 2,6 bilhões. O EBITDA cresceu 5,5% e somou R$ 586 milhões, sensibilizado pela redução de 5,9% dos gastos não gerenciáveis que alcançaram R$ 1,7 bilhão, ampliando o crescimento da margem bruta para 3% entre os trimestres comparáveis. Já os gastos gerenciáveis caíram 19,9% no período para R$ 880 milhões.

Cotadas a R$ 17,53/ação (valor de mercado de R$ 10,6 bilhões) a ação ENBR3 registra queda de 18,3% este ano. O preço Justo de R$ 22,00/ação traz um potencial de alta de 25,5%.

O conselho de Administração da EDP Energias do Brasil, aprovou a criação de uma política de distribuição de dividendos e de juros sob capital próprio, bem como outras práticas para geração de valor aos acionistas, como programas de recompra de ações de própria emissão. Esta orientação é válida a partir da Assembleia Geral Ordinária que aprovar as contas do exercício social de 2020, sendo considerado para tanto, o maior entre os seguintes valores: 25% do lucro líquido; 50% do lucro líquido ajustado; ou R$ 1,00 por ação. O conselho estabeleceu também “o compromisso de manter a dívida líquida/EBITDA ajustado da EDP Brasil entre os 2,5x a 3,0x, com o limite mínimo de 2,0x”.


IRB Brasil RE (IRBR3)
Prejuízo líquido de R$ 685,1 milhões no 2T20

O IRB Brasil RE registrou no 2T20 um prejuízo líquido de R$ 685,1 milhões, um resultado abaixo do esperado, revertendo o já reduzido lucro de R$ 13,9 milhões do 1T20, explicado principalmente por forte aumento das despesas com sinistros e o efeito da desvalorização cambial. No 2T19 a companhia havia reportado um lucro de R$ 397,5 milhões.

Os ajustes devem ainda sensibilizar os números da companhia neste segundo semestre. A insuficiência de liquidez passou de R$ 2,1 bilhões em março de 2020 para R$ 3,4 bilhões em junho de 2020, afetada negativamente pelo prejuízo no trimestre. Dentre os planos da companhia para restabelecer os índices de liquidez regulatória envolvem, além do aumento de capital de R$ 2,3 bilhões, a realização de recebíveis, operações estruturadas e a venda de ativos não financeiros.

A companhia renovou todos os contratos considerados relevantes, de modo a garantir a eficiência e a qualidade dos serviços prestados. Ao final do semestre foi iniciada a ampla depuração de portfólio, visando eliminar negócios com margens negativas ou setores cujos riscos assumidos sejam notadamente superiores aos prêmios recebidos.

O foco é crescer com margem em detrimento da velocidade. Desta maneira, esperam-se impactos na sinistralidade ainda no 2º semestre de 2020 e consequente melhora no resultado de underwriting no longo prazo. Nesse contexto, uma melhor precificação para o papel virá a partir da efetiva retomada dos resultados e do progresso percebido pelo mercado a partir das ações sinalizadas.

Ao final de junho de 2020 o patrimônio líquido da companhia somava R$ 2,88 bilhões e se compara a R$ 3,56 bilhões de março de 2020. Na sexta-feira (28/agosto) a ação IRBR3 fechou cotada a R$ 7,50/ação (2,43x o seu valor patrimonial), com queda de 78,8% este ano.


Renova Energia S.A. (RNEW11)
Prejuízo de R$ 51,5 milhões no 2T20

A Renova Energia – Em Recuperação Judicial, reportou seus resultados referentes ao 2T20, um prejuízo líquido de R$ 51,5 milhões que se compara ao prejuízo de R$ 426,5 milhões de igual trimestre do ano anterior, com queda de 87,9% explicada, principalmente, pela redução dos custos gerenciáveis; a reversão de provisão das despesas administrativas; o melhor resultado de equivalência patrimonial, e ao impairment registrado no 2T19.

A ação RNEW11 registra queda de 24,0% este ano para R$ 9,16/ação.


Banco do Brasil (BBAS3)
Distribuição de JCP referente ao 3T20. Ex em 14/09

O Conselho Diretor do Banco do Brasil, em reunião realizada dia 24/08/2020, aprovou o valor de R$ 293,4 milhões (R$ 0,10286281871/ação) sob a forma de Juros sobre o Capital Próprio (JCP), relativos ao terceiro trimestre de 2020. Os JCP serão pagos em 30/09/2020 e terão como base a posição acionária de 11/09/2020, sendo as transferências de ações a partir de 14/09/2020 efetuadas “ex” JCP. O retorno líquido com base na cotação de R$ 33,39/ação é de 0,26%.

Seguimos com recomendação de COMPRA para BBAS3 com Preço Justo de R$ 47,00/ação.


Sabesp (SBSP3)
Resgate de Títulos com vencimento em 2020

A Sabesp enviou na sexta-feira (28/08), notificação de resgate antecipado aos detentores dos títulos 6,250% Notes due 2020, em dólares norte-americanos, com vencimento em 2020. O resgate será no montante de US$ 350,0 milhões, equivalente ao valor total das Notas existentes, excluindo juros capitalizados, que também serão pagos na data da liquidação, que ocorrerá em 30 de setembro de 2020. O resgate será realizado com recursos do caixa da companhia e está em linha com sua estratégia de redução da exposição cambial.

Seguimos com recomendação de COMPRA para SBSP3 e Preço Justo de R$ 63,00/ação.


Ferbasa (FESA4)
Pagamento de proventos

Na última sexta-feira, após o pregão, a empresa informou que seu Conselho de Administração aprovou a distribuição de juros sobre o capital (JCP) no valor de R$ 13,7 milhões.

· O valor do JCP por ação, após a incidência do Imposto de Renda será de R$ 0,12834416995 para as ações ordinárias e R$ 0,14117858694 para as preferenciais;

· O pagamento será realizado no dia 22 de setembro com base nas posições acionárias de 4 de setembro. O valor liquido a ser pago para FESA4 permite um retorno de 0,8%. Vale lembrar que a Ferbasa tem a prática de pagar proventos trimestralmente.


CCR (CCRO3)
Pequena redução no volume de tráfego na semana

Como tem feito desde o início das medidas tomadas para o combate da pandemia da Covid-19, a empresa divulgou na última sexta-feira seus dados operacionais dos sete dias encerrados em 27 de agosto (quinta-feira passada), mostrando uma pequena piora no tráfego, mas melhores dados para mobilidade e aeroportos.

· O tráfego nas concessões rodoviárias da CCR (sem a ViaSul) entre os dias 21 e 27 de agosto, comparado ao mesmo período de 2019, apresentou queda de 6,0% no total, com a diminuição de 20,3% no tráfego dos veículos de passeio, mas aumento de 5,3% nos comerciais. O número do tráfego total foi pior que na semana anterior, quando ocorreu uma redução de 5,3%;

· Os dados de mobilidade e dos aeroportos foram melhores que na semana passada. Em mobilidade, ocorreu uma redução de 57,9% na movimentação de passageiros entre 21 e 27 de agosto, enquanto no período anterior houve queda de 58,6%. Em aeroportos, o número foi negativo nesta semana em 82,5%, melhor que os 83,5% do período imediatamente anterior.


Siderurgia
EUA anunciam redução da cota de importação de aços semiacabados

Durante o final de semana, o Ministério das Relações Exteriores informou que o governo dos Estados Unidos reduziu a cota isenta de impostos para exportações de aços semiacabados do Brasil, no 4T20, de 350 mil toneladas para 60 mil t. As negociações sobre esta decisão serão retomadas em dezembro próximo.

· Esta cota, decidida em 2018, estabelece que o Brasil pode exportar até 3,5 milhões de toneladas sem pagar a tarifa, sendo 1,05 milhões de t. nos três primeiros trimestres e 350 mil t. no último. O que exceder a este volume paga uma tarifa de 25%;

· Esta é uma notícia negativa para as siderúrgicas nacionais, neste momento em que o consumo interno de aço é baixo. Porém, é necessário averiguar com cada empresa qual a perda efetiva.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.