Bolsa cai 2,24% com aversão ao risco

MERCADO


Bolsa
Na sexta-feira, o Ibovespa devolveu parte da valorização do mês, encerrando com queda de 2,24% aos 93.834 pontos e giro financeiro de R$ 23,3 bilhões (R$ 20,8 bilhões no à vista).  Na semana, o peso maior veio do exterior, com o aumento de casos de coronavírus e pesquisas da corrida eleitoral mostrando perda de terreno do lado do presidente Donald Trump, que aposta na reabertura da economia como melhor alternativa no momento. Hoje a agenda econômica tem como destaque o IGP-M de junho com alta de 1,56% no M/M e de 7,31% no A/A, o resultado primário do governo e ainda a criação de empregos formais, esperada na semana passada, além do Boletim Focus. Nos EUA, vendas de casas pendentes. A semana começa com o petróleo em queda (WTI e Brent) e o temor de uma nova aceleração dos casos de contaminação com destaque para Estados Unidos, Brasil em India. São mais de 10 milhões de casos confirmados no mundo e mais de 500 mil mortes. A contaminação acelerou na Índia, nas últimas semanas e nos EUA o estado do Texas, é o mais crítico. Os americanos começam a pressionar Trump, de maneira mais incisiva. No Brasil, atenção para o projeto do teto do juros, que pode ser votado no Senado na quarta-feira. As bolsas fecharam em queda na Ásia. Esta percepção de risco pode pesar sobre outros mercados, inclusive a B3.

Câmbio
Em meio a uma tendência de maior risco, o dólar voltou a subir na sexta-feira, de R$ 5,3424 para R$ 5,4844 (+2,66%).

Juros
Os juros futuros seguem numa faixa baixa, pela pouca exposição a problemas externos. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/22 fechou nos mesmos 2,97% do ajuste a quinta-feira e para jan/27 encerrou com taxa em 6,81%, de 6,753%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Energisa (ENGI11)
Consumo caiu 5,7% em maio puxado pelos segmentos comercial e industrial

A distribuidora de energia elétrica Energisa informou em 26 de junho que em maio, registrou queda de 5,7% para 2.845,2 GW, no consumo consolidado de energia elétrica, nos mercados, cativo e livre, em comparação ao mesmo período do ano anterior. Esta redução foi puxada pelos segmentos comercial e industrial, tendo em vista a retração da demanda causada pela pandemia do novo coronavírus.

O consumo da classe residencial cresceu 3,9% (para 43,5 Gwh). A classe rural registrou incremento de 6,1% no período (16,1 Gwh). A classe comercial, por sua vez, apresentou queda de 20,6% no mês (123,6 GWh). A empresa destaca que, sensibilizada pelas medidas restritivas, com shoppings e lojas fechadas, todas as distribuidoras do grupo apresentaram recuo nesta classe de consumo.

Ressalte-se ainda a queda de 9,3% no consumo da classe industrial (57,6 Gwh). Contudo, o resultado da indústria foi melhor que o observado em abril (quando houve queda de 16,4%), tendo em vista que parte das fábricas voltaram a funcionar a partir de maio.

No comparativo dos cinco primeiros meses de 2020, ante o mesmo período de 2019, o consumo de energia elétrica no mercado cativo e livre (14.968,7 GWh) apresentou queda de 0,4%.


Copasa (CSMG3)
Solicita inclusão do reajuste da Cemig no cálculo de suas tarifas

A companhia protocolou em 26 de junho junto à Agência Reguladora dos Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário de Minas Gerais (ARSAE-MG), solicitação para a revisão do cálculo do reajuste tarifário da COPASA MG para o fim de incluir o índice de reajuste tarifário de energia elétrica, aprovado para a Cemig.

Em 25/06/2020 a Aneel reajustou as tarifas da Cemig em 4,27%.


Eletrobras (ELET3, ELET6)
Conselho aprova conversão de AFAC de R$ 850 milhões em ações da controlada Eletronuclear e a capitalização de R$ 1,035 bilhão

O Conselho de Administração da companhia, em 26 de junho, aprovou: (i) a conversão de contratos de Adiantamento para Futuro Aumento de Capital (“AFAC”), em novas ações da Eletronuclear no valor total de R$ 850,0 milhões; e (ii) a capitalização de contratos de financiamento nos quais a Eletrobras é credora, no montante de R$ 1,035 bilhão.

Lembrando que no dia anterior (25/jun) a companhia tomou conhecimento pela imprensa que a força-tarefa da Operação Lava Jata da Polícia Federal iniciou a Operação “Fiat Lux” que, segundo noticiado, envolve supostas fraudes na Eletronuclear, controlada da Eletrobras. A companhia tem “colaborado integralmente” com todas as ações do Ministério Público Federal envolvendo a sua subsidiária.


ENGIE Brasil Energia (EBE3)
Termelétrica e 4 SPES poderão suspender por 6 meses pagamentos ao BNDES

O conselho de administração da Engie Brasil Energia (EBE) aprovou a celebração de aditivos, por quatro centrais eólicas de sua propriedade e uma usina termelétrica, que permitirão que as empresas suspendam por seis meses os pagamentos de principal e juros compensatórios de dois empréstimos contraídos por elas junto ao BNDES.

As beneficiadas pelos aditivos são as centrais eólicas Santa Mônica, Ouro Verde, Estrela e Cacimbas, administradas através de sociedades de propósito específico (SPE) e a Usina Termelétrica Pampa Sul, subsidiária direta da EBE.

Os dois empréstimos contraídos pelas usinas junto ao BNDES foram contratados em agosto de 2016 e abril de 2018, respectivamente. A ata da reunião do conselho não especifica os valores envolvidos nos aditivos.

Os montantes que tiverem os pagamentos temporariamente suspensos serão capitalizados no saldo devedor dos respectivos créditos. O prazo total de cada financiamento será mantido, assim como a taxa de juros. Não haverá a incidência de juros moratórios, e as sociedades envolvidas não poderão distribuir dividendos e juros sobre capital próprio neste ano além do mínimo previsto em lei.


Petrobras (PETR4)
Comunicados importantes

A empresa divulgou dois comunicados importantes após o último pregão, sendo o primeiro acerca do recebimento de recursos do acordo de leniência com o Grupo Technip e o outro avisando sobre o início do processo de desinvestimento do Polo Urucu.

· No primeiro comunicado, a Petrobras informou que recebeu R$ 265 milhões, referente a segunda parcela do acordo de leniência da Technip Brasil e Flexibras (empresas do Grupo Technip). Este valor foi devido à empresa, que foi vitima

em crimes investigados pela Operação Lava Jato. A primeira parcela (R$ 313 milhões) foi recebida em junho de 2019. Com esta parcela, houve a totalização dos pagamentos deste acordo, no valor total de R$ 578 milhões;

· Esta é uma boa notícia para a Petrobras, que já recebeu R$ 4,5 bilhões em recursos devolvidos em decorrência de acordos de colaboração, leniência e repatriações, sendo R$ 1,2 bilhão nos últimos 12 meses;

· A empresa informou, no segundo comunicado, o início do processo de desinvestimentos (divulgação do teaser) da sua participação em um conjunto de concessões terrestres denominadas Polo Urucu, localizadas na Bacia de Solimões.


CCR (CCRO3)
Melhora expressiva nos números de tráfego e mobilidade urbana

A empresa divulgou na última sexta-feira a seus dados operacionais dos sete dias encerrados em 25 de junho (quinta-feira), mostrando melhoria nos dados de tráfego das concessões rodoviárias e também no segmento de mobilidade urbana, comparado ao período anterior.

· O tráfego nas concessões rodoviárias da CCR (sem a ViaSul) entre os dias 19 e 25 de junho, comparado ao mesmo período de 2019, apresentaram queda de 10,4% no total, com diminuição de 35,6% no tráfego dos veículos de passeio, mas aumento de 14,4% nos comerciais. Este número foi melhor que na semana anterior, quando houve uma redução total de 16,1%;

· Os dados de mobilidade foram bem melhores nesta semana, com pequena alteração nos aeroportos. Em mobilidade, houve queda de 59,5% na movimentação de passageiros entre 19 a 25 de junho, comparado ao mesmo período de 2019, número melhor que no período anterior (-68,5%). Em aeroportos, o número foi negativo nesta semana em 92,3%, ligeiramente melhor que os 93,0% do período anterior.


Natura&Co (NTCO3)
Subscrição de ações soma R$ 1,995 bilhão (99,76% do total da emissão

A Natura &Co informa que 62.347.090 ações disponibilizadas em seu aumento de capital foram subscritas, totalizando R$ 1.995.106.880 em recursos. As sobras (0,24%), ou 152.910 ações, serão leiloadas na B3 hoje (29), às 16h15. O preço das ações, de R$ 32 por papel, será o mesmo utilizado como referência no aumento de capital.

Na sexta-feira a ação NTCO3 encerrou cotada a R$ 39,90 com alta de 3,2 no ano.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.