Ibovespa cai 1,66% com sentimento negativo em relação à economia global

MERCADO


Bolsa
Ontem o mau humor tomou conta dos mercados com o Ibovespa caindo 1,66% aos 94.377 pontos e giro financeiro de R$ 25,9 bilhões (R$ 23,3 bilhões no à vista). Foram vários os motivos para o recuo das bolsas: a) a projeção do FMI para o desempenho da economia global e piorando a expectativa em relação ao Brasil; b) o sentimento é que o cenário é pior que o estimado recentemente pelas grandes economias e que exigirá maior esforço financeiro para enfrentar os estragos causados pela pandemia. Os EUA devem liberar US$ 1 trilhão em recursos par sua economia. O número de contaminações divulgado ontem nos EUA foi a quarto maior em novos casos de Covid-19 registrados em 24 horas, (mais de 34 mil casos), com o vírus voltando com força nos estados do Texas, Flórida e Califórnia. Especialistas da OMS mostram pessimismo. Os fatores acima derrubaram as bolsas americana, pesando sobre outros mercados. A agenda econômica desta quinta-feira vem bastante carregada com destaque para i IPC-Fipe semanal com alta de 0,30%, o relatório trimestral de inflação, o custo da construção civil em junho e a inflação IPCA-15. Nos EUA, sai o PIB trimestral, pedidos de bens duráveis, estoques de produtos e pedidos de seguro desemprego. As bolsas da zona do euro mostram recuperação modesta, com os mercados atentos à pandemia.  Hoje, o petróleo opera com ligeira queda nesta manhã, para o tipos WTI e Brent.

Câmbio
Ontem a moeda americana voltou a subir com o aumento da tensão nos mercados fechando cotado a R$ 5,3465 de R$ 5,1514 no dia anterior (+3,79%).

Juros
Ontem a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/22 fechou em 3,07%, de 3,012% ontem na terça-feira e a do DI jan/27, passou de 6,803% para 6,93%. O dia foi de aversão ao risco, com investidores buscando proteção.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Marcopolo (POMO4)
Recuperação de créditos fiscais

A empresa informou ontem, que sua controlada San Marino Ônibus Ltda obteve decisão favorável, com trânsito em julgado, em ação judicial que pleiteava a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e da Cofins, relativo aos anos de 2003 a 2020.
• O valor estimado para os créditos é de R$ 71,9 milhões e deverá ser contabilizado nas demonstrações financeiras do 2T20. O aproveitamento dos créditos dependerá de habilitação via procedimento administrativo perante a Receita Federal;
• Esta é uma notícia positiva para a Marcopolo, que poderá abater impostos federais com estes créditos, melhorando seu fluxo de caixa e lucro líquido.


Usiminas (USIM5)
Reestruturação da Usiminas Mecânica

Após o pregão de ontem, a empresa comunicou a decisão do seu Conselho de Administração de reestruturar as atividades desenvolvidas por sua subsidiária Usiminas Mecânica S/A (UMSA).
• Com esta medida, as operações da UMSA serão desenvolvidas apenas para prestar serviços para as empresas do grupo. A Usiminas justificou a medida pela forte redução dos resultados da UMSA nos últimos anos;
• Em 2019, a UMSA apresentou um EBITDA ajustado negativo de R$ 15,9 milhões e no 1T20 a perda foi de R$ 10,3 milhões;
• Acreditamos que o fechamento parcial desta unidade é uma má notícia, porque significa que a Usiminas não acredita que as encomendas de bens de capital voltarão em um prazo razoável.


Petrobras (PETR4)
Entrega das ofertas na RLAM e extensão do prazo para a Sete Brasil

Após o pregão de ontem, a empresa fez dois comunicados, sendo o primeiro acerca da data para propostas na venda da Landulpho Alves (RLAM) e o outro informando a extensão do prazo nas negociações com a Sete Brasil.
• No primeiro comunicado, para esclarecer notícias veiculadas na mídia, a Petrobras informou que serão recebidas hoje (25/junho) as propostas vinculantes referentes à venda da RLAM;
• No segundo comunicado, a Petrobras informou que estendeu o prazo limite, que era em 30/junho, para o cumprimento de certas condições precedentes previstas no acordo com a Sete Brasil. O novo prazo é de 30/setembro/2020.


ENGIE Brasil Energia (EGIE3)
Lucro líquido de R$ 512 milhões no 1T20

A ENGIE Brasil Energia (EBE) publicou ontem (24/jun) seus resultados referentes ao 1T20, com um lucro líquido de R$ 512,0 milhões, que representou queda de 9,5% ante o lucro líquido de R$ 565,5 milhões em igual trimestre do ano passado, explicado principalmente por piora do resultado financeiro, em função do aumento do endividamento; parcialmente compensado por melhora do resultado operacional medido pelo EBITDA.

A EBE registrou receita operacional líquida de R$ 2,6 bilhões no 1T20, com crescimento de 10,9% (R$ 255,8 milhões) em relação ao 1T19, reflexo do aumento de preços e volumes, melhor resultado de trading de energia e do segmento de transmissão. O EBITDA no 1T20 somou R$ 1,3 bilhão, aumento de 9,8% (R$ 119,1 milhões) em comparação ao 1T19. A margem Ebitda foi de 51,3% no 1T20, com redução de 0,6 p.p. na mesma base de comparação.

Ao final de março de 2020 a dívida líquida da companhia somava R$ 11,1 bilhões com incremento de 33,2% em relação a dívida líquida de R$ 8,3 bilhões do 1T19. O índice dívida líquida/Ebitda permeceu em 2,1x. Ainda assim, por conservadorismo, decidiu rolar os vencimentos de curto prazo. Para a preservação de seu caixa, que terminou o 1T20 em R$ 4,2 bilhões, a empresa buscou a captação de novos recursos, rolagem de dívidas, adoção do stand-still do BNDES para certas subsidiárias e a negociação com clientes.


Porto Seguro S.A. (PSSA3)
 JCP relativos ao 1S20 de R$ 0,5968/ação.  Ex em 30/06

O Conselho de Administração da companhia aprovou ontem (24/junho) a distribuição de Juros sobre o capital próprio (JCP) relativos ao primeiro semestre de 2020, no valor de R$ 192,2 milhões.

O valor bruto dos JCP corresponde R$ 0,59679777/ação, desconsideradas as ações em tesouraria.

Serão consideradas a posição em 29 de junho de 2020, sendo que, a partir de 30 de junho de 2020 as ações da companhia serão negociadas ex-direito aos referidos JCP.

A data de pagamento dos JCP será fixada na Assembleia Geral Ordinária da companhia, a realizar-se até 30 de abril de 2021.

Com base na cotação de R$ 52,85/ação o retorno líquido é de 1,13%.


Cielo S.A. (CIEL3)
Aprovação de Programa de Recompra de Ações

O Conselho de Administração da Cielo reunido ontem (24/junho) aprovou a abertura de novo Programa de Recompra de Ações, por meio do qual a Diretoria foi autorizada a adquirir até 2.595.332 ações ordinárias, de sua própria emissão.

A aquisição tem como objetivo fazer frente aos compromissos assumidos pela companhia no âmbito dos programas de remuneração, retenção e incentivo de seus colaboradores e administradores.

O prazo de vigência será de 25 de junho de 2020 a 03 de julho de 2020.

Ao preço de R$ 4,70/ação o montante autorizado da recompra alcança R$ 12,2 milhões que se compara a um volume médio diário negociado de R$ 305,6 milhões.


Sanepar (SAPR11)
Continuidade as medidas para reduzir os impactos do novo coronavírus

Em complemento ao Fato Relevante de 23 de março de 2020, que tratou das ações visando minimizar impactos à população ocasionado pela pandemia do Covid-19, a Sanepar prorrogou a cobrança de contas de água e esgoto, para os clientes cadastrados na Tarifa Social, pelo período de 90 dias, contados a partir de 24 de junho de 2020.

A forma de equacionamento deste adiamento seguirá as regras comerciais da companhia, inclusive com a possibilidade de parcelamento pelos clientes.

O valor mensal faturado na categoria Tarifa Social é da ordem de R$ 2,8 milhões ao mês


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.