Vale – Relatório de Análise

Produção fraca no 1T20 e redução nas projeções para o ano 

Após o pregão da última sexta-feira, a empresa divulgou seu Relatório Trimestral de Produção e Vendas do 1T20, mostrando um fraco desempenho. Na produção, houve diminuição expressiva em ferrosos (minério de ferro e pelotas), mas crescimento nos metais básicos (níquel e cobre). As vendas no trimestre mostraram quedas em todos os produtos na comparação com o 1T19. No mesmo relatório, a Vale também informou que diminuiu os guidances de produção para 2020, considerando que podem ocorrer maiores impactos negativos derivados da pandemia da Covid-19. No caso do minério, a mudança nas expectativas do ano foi da faixa de 340-355 milhões de toneladas para 310-330 milhões de t. A diferença negativa entre os pontos médios das duas faixas é de 7,9% ou 27,5 milhões de toneladas. O declínio nas vendas no trimestre e o corte nos guidances vão impactar negativamente as expectativas da ação. Porém, é importante frisar que nesta crise teremos pouquíssimos vencedores e a Vale nos parece daquelas empresas que vão sofrer menos. Estamos revisando nossas projeções para a Vale.

Números ruins: A produção no 1T20 foi fraca nos minerais ferrosos na comparação com o mesmo período de 2019. O volume produzido de minério de ferro ficou em 59,6 milhões, 18,2% abaixo do 1T19. As principais razões para esta contração foram perdas na operação de 4,5 milhões de toneladas no Sistema Norte e 2,1 milhões t. no Sistema Sudeste., somadas à menor compra de terceiros (-1,8 milhão de t.). Estas reduções totalizaram 8,4 milhões de t., que se não tivessem ocorrido, teriam permitido a produção ficar no ponto mínimo do guidance fornecido pela Vale (63 milhões de t.);

Contração das vendas: No 1T20, o volume de vendas dos principais produtos foi bem fraco. Em minério de ferro, foram vendidas 51,7 milhões de toneladas, 6,8% menos que no 1T19. No entanto, a queda das vendas de minério da Vale foi menor que do total das exportações brasileiras do produto, que tiveram um encolhimento de 16,2% no 1T20, mas com diminuição de receita em apenas 2,5%, devido aos maiores preços. Portanto, a receita da Vale no 1T20 em minério deve crescer, dado que o preço médio das exportações brasileiras aumentou 16,3%, percentual bem maior que o declínio nas vendas da empresa;

Redução nas projeções para 2020: A Vale anunciou também um expressivo corte no guidance de produção para este ano, que reflete os problemas esperados com a pandemia, seja na demanda ou na própria produção.Em minério de ferro, a expectativa de produção em 2020 caiu da faixa de 340-355 milhões de toneladas para 310-330 milhões de t;
Nos metais básicos, as expectativas de produção em 2020 também foram reduzidas. Para o níquel, houve uma redução da faixa de 200-210 mil toneladas para 180-195 mil t. A contração das médias das faixas foi de 8,5%. No caso do cobre, a queda foi de 7,5% entre a expectativa anterior de 400 mil e o ponto médio da faixa atual de 360-380 mil t.

Clique para acessar:

 

DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora.

As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.