Após abrir em alta, Ibovespa perde força e fecha em queda de 1,8% com temor de forte recessão global

MERCADO


Bolsa
Na sexta-feira a bolsa abriu em alta alinhada com as congêneres no exterior, mas perdeu força junto com o aprofundamento da queda das bolsas americanas depois que a União Europeia disse que a recessão deste ano pode ser tão ruim quanto a de 2009. Contribuiu para a piora o alerta de que a economia americana pode cair forte no segundo trimestre na comparação anual. O Ibovespa fechou com queda de 1,85% aos 67.069 pontos. O giro financeiro somou R$ 33,4 bilhões. A agenda, focada no mercado interno, traz a Pesquisa Focus do Banco Central. Hoje mais cedo, bolsas mundiais em queda e futuros americanos em baixa com dificuldade de aprovação de estímulo pelo Senado. A semana começa tensa, com poucos indicadores e nova votação do pacote de estímulo nos EUA.

Câmbio
O dólar operou grande parte da sexta-feira abaixo de R$ 5,00 respondendo basicamente aos programas dos governos centrais, notadamente nos EUA através do Fed. O momento porém impõe cautela e os impactos na atividade econômica seguem no radar do mercado. No final a moeda americana era negociada com queda de 0,6% a R$ 5,0631.

Juros
Nos juros, taxas mais longas fecharam em alta, refletindo ainda o aumento da percepção de risco, mas com liquidez especialmente fraca nessa parte da curva. A taxa do DI Jan 21 subiu de forma mais destacada, porém o volume foi baixo. Ao final a taxa do DI Janeiro 21 era negociado a 3,96% (+2,5 pontos) e o DI Janeiro 25 a 8,1% (+12 pontos).


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Cemig (CMIG4)
Renova aceitou a proposta vinculante para aquisição de Alto Sertão III

A Cemig informou que sua coligada, Renova Energia S.A. (RNEW11) através do seu Conselho de Administração, aprovou em 20 de março de 2020, a aceitação da oferta vinculante realizada pela ARC Capital Ltda., em conjunto, com a G5 Administradora de Recursos Ltda., e da XP Vista Asset Management Ltda. de financiamento para a conclusão das obras do Complexo Eólico Alto Sertão III – Fase A, bem como para as despesas operacionais correntes da companhia.

Vemos como positivo. De acordo com os termos da Oferta Vinculante, a Renova concederá um prazo de 30 dias de exclusividade contados da presente data que servirá para a negociação satisfatória dos documentos da operação entre as partes.


Copasa (CSMG3)
JCP referente ao 1T20; Ex em 25/março

O Conselho de Administração da Copasa, reunido na sexta-feira (20) aprovou a remuneração aos acionistas referente ao 1T20, na forma de Juros sobre o Capital Próprio, no valor bruto de R$ 45,5 milhões, equivalente a R$ 0,3597155687/ação.

A data de crédito será em 25.03.2020 ficando as ações “ex-JCP” no dia seguinte, 26.03.2020. A data de pagamento será em até 60 dias. O retorno líquido é de 0,8%.

Dividendos Extraordinários. O Conselho de Administração da companhia, deliberou que, em relação à eventual distribuição do Dividendos Extraordinários, o assunto será discutido e deliberado em até 90 dias após a aprovação das Demonstrações Financeiras de 2019, tendo em vista o atual cenário de incertezas econômicas e sociais, decorrente da pandemia do Covid 19.


MRV Engenharia e Participações S.A. (MRVE3)
Programa de Recompra de Ações

O conselho de administração da companhia aprovou o programa de recompra de até 15 milhões de ações, equivalente a 5,1% das ações em circulação. O prazo máximo é de até 18 meses, até 15 de setembro de 2021.

Se recompradas na totalidade, ao preço de fechamento de R$ 11,56/ação, o montante alcança R$ 173,4 milhões, equivalente a 1,3 dias de negociação.


Usiminas (USIM5) 
Efeitos da Covid-19

Na noite da última sexta-feira, a empresa divulgou uma primeira avaliação dos efeitos do surto da Covid-19 em seus negócios.

· Segundo a Usiminas, até o momento não existe impacto significativo em suas atividades. Porém, considerando os anúncios de paralisação das fábricas feitos por empresas do setor automotivo, principalmente, a empresa espera uma queda em suas vendas nos próximos meses;

· Consideramos como positiva a atitude da Usiminas em informar ao mercado sobre seus negócios neste momento de crise, mesmo que a notícia não seja das melhores.

 


CCR (CCRO3) –
Dados operacionais do 1T20

Durante o final de semana, a empresa informou seus dados operacionais no trimestre corrente. Os números já mostram o período após o aumento das restrições de movimentação, em função da pandemia do Coronavírus, com forte impacto no segmento de mobilidade e aeroportos, mas pequeno em concessões rodoviárias.

· Esta divulgação de informações da CCR sobre os impactos iniciais da pandemia em seus negócios é muito positiva. O melhor antídoto para o pânico que tem tomado os mercados é a informação;

· Os números das principais concessionárias de rodovias da CCR mostraram dados positivos, considerando o momento que vivemos. No trimestre até o dia 19/março (última quinta-feira) mostra números muito positivos, com o tráfego total da CCR crescendo 2,9%, sem considerar a ViaSul, cuja cobrança de pedágio foi iniciada em fevereiro de 2019;

· Em mobilidade e aeroportos já ocorreram os principais efeitos negativos da pandemia. Na CCR Mobilidade o número de passageiros transportados no trimestre (até 19/março) aumentou 8,4%, mas no período de 13 a 19 março, houve uma queda de 26,0%. Na CCR Aeroportos, a queda no período recente foi de 26,0%, apesar do aumento de 6,4% no trimestre.


Boletim Focus
Nesta semana destaque para redução da inflação, PIB e alta do câmbio em 2020. Para o próximo ano, queda da inflação e alta do câmbio

Dentre as alterações contidas no Boletim Focus divulgado hoje (23), referente a 20 de março, destaque para a redução do IPCA (2ª consecutiva), do PIB (6ª consecutiva), com alta do câmbio, tomando por base 2020. Para 2021 ressalte-se a redução da expectativa para a inflação e elevação do câmbio.

Destaques do Boletim Focus para 2020:

IPCA: 3,04%;

IPCA (atualização dos últimos 5 dias): 2,90%;

PIB: 1,48%;

Taxa de câmbio: R$ 4,50

Meta Selic: 3,75%


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Análises Gráficas >>> 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.