Vale – Relatório de Análise

Aumento somente nas vendas de minério de ferro no 4T19

Pouco antes do início do pregão de hoje, a Vale divulgou seu Relatório de Produção e Vendas (RPV) do 4T19, mostrando aumento nas vendas de minério de ferro em relação ao 3T19.  Porém, os volumes vendidos dos outros produtos importantes da empresa (pelotas, cobre, níquel e carvão), tiveram quedas em suas vendas.  Considerando que o preço médio do minério no 4T19 caiu 3,2% em relação ao período anterior, os números divulgados hoje indicam um resultado operacional sem surpresas positivas no trimestre.  Além disso, a Vale já informou que vai contabilizar no 4T19 um impairment no valor de US$ 3,2 bilhões, que vai impactar de forma negativa o resultado final do período.  Porém, para 2020 a Vale deve elevar sua produção de minério em 45 milhões de toneladas, aproximadamente, o que permitirá um salto no faturamento.  Em pelotas, a empresa também deu perspectivas positivas para a produção em 2020.  Os resultados da Vale no 4T19 serão divulgados no dia 20 de fevereiro após o pregão, sendo que a teleconferência vai ocorrer no dia seguinte às 10 horas.

Produção após o acidente: O ano passado foi bastante difícil para a Vale.  O acidente em Brumadinho, ocorrido em janeiro, além das impagáveis perdas humanas, trouxe uma expressiva redução na produção de minério de ferro.  Em 2019, o volume produzido de minério somou 302 milhões de toneladas, menor em 83 milhões de ton. daquele verificado no ano anterior (-21,5%).  No 4T19, a produção de minério e pelotas caiu sensivelmente em relação ao trimestre anterior.  A comparação com o 4T18 não é a melhor, por conta do acidente em Brumadinho ocorrido no 1T19.  Assim, o volume de minério produzido no 4T19, sempre comparando ao 3T19, caiu 9,6%.  Isso ocorreu devido às paradas não programadas para manutenção realizadas nos britadores e usinas da Serra Norte em Carajás, além da suspensão da colocação de rejeitos nas barragens de Itabiruçu e Laranjeiras;

Vendas em tempos de redução da produção: Em 2019, o volume de minério de ferro e pelotas vendido pela Vale somou 312,5 milhões de toneladas, dentro da faixa estimada pela própria empresa (307 a 312 milhões de toneladas).  Esta queda se deve ao fechamento de minas (Vargem Grande, Fábrica, Brucutu, Timbopeba e Alegria), que ocorreu após o acidente em Brumadinho.  As vendas de minério no 4T19 aumentaram 5,2% em relação ao trimestre anterior, com a maior utilização de estoques, devido à redução na produção.  A participação de produtos premium nas vendas foi de 87% no 4T19, contra 86% no trimestre anterior.  O prêmio por qualidade aumentou de US$ 5,9 por tonelada no 3T19 para US$ 6,4/t no 4T19 (+8,5%);

Projeções para 2020: A Vale atualizou hoje suas projeções para a produção dos principais produtos.  A produção de minério e pelotas no 1T20 deve ficar entre 63 e 68 milhões de toneladas.  Para o ano, a Vale espera produzir na faixa entre 340 e 355 milhões de toneladas.  Considerando a média desta faixa de projeção (347,5 milhões de t.), a produção de 2020 pode ficar 13,9% acima do volume obtido em 2019 (+45,5 milhões de t.).  Este aumento no volume a ser produzido em 2020 decorre da volta à operação de várias minas ainda paralisadas, o que deve ocorrer durante o ano;

Impairment no 4T19: No final de novembro/2019, a Vale divulgou que vai contabilizar no 4T19 um impairment no valor de US$ 3,2 bilhões.  Esta redução do valor recuperável dos ativos decorre da revisão na produção de níquel e carvão.  É importante lembrar que a contabilização do impairment não tem efeito caixa.

Clique para acessar:

 

DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora.

As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.