Ibovespa acumulou valorização de 31,58% em 2019

MERCADO


Bolsa

O Ibovespa encerrou o último pregão de 2019 em queda de 0,76% aos 115.645 pontos, com giro financeiro de R$ 15,3 bilhões. Em dezembro, o Ibovespa acumulou valorização de 6,85% e ganhos de 31,58% em 2019, em dólar, a alta foi de 26,5%. As expectativas para 2020 seguem positivas para a B3. Neste primeiro dia útil do ano, as bolsas internacionais mostram alta no fechamento da China, com o anúncio de corte no compulsório para impulsionar a economia. Nos EUA, o presidente Donald Trump marcou a data (15/jan) para assinatura do acordo comercial (Fase 1) com a China. Com este cenário, as bolsas da zona do euro mostram alta generalizada, o que pode também ajudar a bolsa doméstica, neste começo de ano. Hoje a agenda econômica local traz o IPC-S com alta de 0,77% e a balança comercial de dezembro (no meio da tarde). No exterior, dados de menor relevância para os mercados, que deverão refletir os assuntos políticos.

Câmbio

A moeda americana encerrou 31/12/2019 cotada a R$ 4,0249 praticamente estável em relação à cotação do dia anterior (R$ 4,0231). O ambiente mais calmo do lado externo com a promessa de acordo entre EUA e China e o cenário positivo para a economia brasileira tiraram pressão sobre o real, que pode definir uma nova faixa de comportamento neste começo de ano.

Juros

Os juros futuros acomodaram numa faixa baixa sem pressão de indicadores macroeconômicos e tendem a permanecer neste patamar no curto prazo. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 fechou a sessão regular em 4,56% de 4,581% no ajuste anterior. Para o longo prazo, o DI para jan/25 terminou a segunda-feira em 6,43% ante 6,492% no ajuste anterior.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

BB Seguridade (BBSE3) 
Ex redução de capital em 10/jan

Na Assembleia Geral Extraordinária da companhia realizada em 30 de outubro de 2019 foi aprovada a redução do capital social da companhia. Decorrido o prazo de 60 dias para a oposição de credores, sem manifestação contrária, a referida redução do capital social será levada a registro na Junta Comercial, Industrial e Serviços do Distrito Federal.

Assim, em 30 de abril de 2020, a companhia pagará R$ 1,35 por ação aos seus acionistas, a título de restituição de capital, tendo direito ao recebimento os detentores de ações na data-base 09 de janeiro de 2020, sendo que as ações de emissão da companhia passarão a ser negociadas ex-redução no dia 10 de janeiro de 2020. O pagamento será efetivado no dia 30 de abril de 2020. Com base na cotação de R$ 37,70/ação o retorno esperado é de 3,6%.


Banco PAN (BPAN3) 
Ex JCP em 17/fev

O Conselho de Administração do Banco Pan aprovou o pagamento de juros sobre capital próprio (JCP) referente ao exercício de 2019, no valor de R$ 198 milhões, equivalente a R$ 0,164307700/ação, a ser pago até o dia 19 de fevereiro de 2020, com base na posição acionário do dia 14 do mesmo mês. As ações do banco serão negociadas ex-direito aos JCP a partir de 17 de fevereiro de 2020. Com base na cotação de R$ 10,60/ação o retorno líquido é de 1,3%.


JBS S.A. (JBSS3)
Encerramento do prazo de vigência do Acordo de Acionistas

A JBS comunicou que o prazo de vigência do acordo de acionistas celebrado entre J&F Participações S.A. e BNDES Participações S.A. – BNDESPAR foi encerrado em 31 de dezembro de 2019 e, portanto, deixou de produzir efeitos a partir desta data.

Entendemos que este movimento está em linha com a intenção do BNDESPAR de vender esta participação através de oferta subsequente de ações (follow on) em duas tranches, sendo a primeira prevista para o 1T20. O BNDESPAR tem 21,32% do capital total da JBS, equivalente a R$ 15,0 bilhões, ao preço de R$ 25,80/ação do dia 30/dez/19.


Marfrig S.A. (MRFG3) 
Aquisição/alienação de participação acionária

A Marfrig comunica que recebeu correspondência de seus acionistas controladores, a MMS Participações Ltda., o Sr. Marcos Antonio Molina dos Santos e a Sra. Marcia Aparecida Pascoal Marçal dos Santos, informando que em conjunto passaram a deter diretamente 284.551.717 ações ordinárias, o que representa participação de 40,0% do total das ações de emissão da Companhia.

Da mesma maneira, recebeu também, dos bancos JP Morgan Chase & Co. e Morgan Stanley notificações sobre aquisição de participação acionária relevante. O Banco JP Morgan, por intermédio de algumas de suas sociedades controladas, adquiriu um total de 54.137.273 ações ordinárias, atingindo participação relevante equivalente à 8,74% do total das ações de emissão da companhia. O Morgan Stanley, por meio de suas subsidiárias LLC atingiu participação relevante equivalente à 6,4% do total das ações de emissão da companhia.


Copel Energia (CPLE6) 
Contrato de gás UTE Araucária

A UEG Araucária Ltda – UEGA celebrou um contrato de suprimento de combustível com a Petrobras, com vigência entre 1º de janeiro e 20 de fevereiro de 2020, e que prevê o fornecimento de 2.150.000 metros cúbicos de gás natural por dia, sem obrigatoriedade de retirada, de modo que a UEGA permanecerá disponível ao Sistema Interligado Nacional – SIN e poderá ser despachada a critério do Operador Nacional do Sistema (ONS).

Concomitante, a UEGA assinou um termo aditivo ao contrato de Cessão de Créditos de Energia com a Petrobras, pelo mesmo prazo do contrato de gás, sendo assim que a usina poderá ser despachada mesmo fora da ordem de mérito, sendo que a Petrobras irá informar, semanalmente, se vai acionar a usina. A UEGA possui capacidade instalada de 484 MW e opera com a utilização de ciclo combinado.


Petrobras (PETR4)
Maiores informações sobre a venda de campos de petróleo e o acordo com a YPFB

A empresa divulgou dois comunicados no último dia útil do ano passado, dando maiores detalhes sobre a vendo do campo de Tartaruga Verde e acerca do Acordo de Transição com a YPFB.
• No primeiro comunicado, a Petrobras informou que o valor total recebido da Petronas pela venda de 50% dos direitos de exploração do campo de Tartaruga Verde e do Módulo III do campo de Espadarte foi de US$ 1.293,5 milhões;
• Finalmente, a empresa comunicou que assinou um Acordo de Transição, que estabelece as bases para a renegociação das condições comerciais relativas ao contrato


Petrobras Distribuidora (BRDT3) 
Recebimento da Eletrobras

A empresa informou após o último pregão, que recebeu R$ 36,6 milhões em dezembro/19, referente à 20ª parcela dos Instrumentos de Confissão de Dívida (ICDs) da Eletrobras.
• A Petrobras Distribuidora já recebeu um total de R$ 4.237,7 milhões desde a assinatura destes instrumentos em 2018;
• O recebimento deste valor é uma boa notícia para a empresa, com impacto direto no resultado do 4T19, dado que esta dívida já havia sido inteiramente provisionada.


Natura&Co (NTCO3) 
Aprovação para negociação de ADSS em NY

A Natura &Co conseguiu as aprovações da U.S. Securities and Exchange Comission (SEC) e da New York Stock Exchange (Nyse) para começar a negociar American Depositary Shares (ADSs) no mercado de ações norte-americano.

  • O código será NTCO.
  • Cada ADS representará duas ações ON da Natura.
  • A companhia espera que as negociações na Nyse comecem na próxima segunda-feira (06).

Na segunda-feira (30/12) a ação NTCO3 encerrou cotada a R$ 38,67.


Ferbasa (FESA4) 
Pequena redução no preço do Ferro Cromo para o 1T20

A empresa comunicou que o preço básico na Europa do Ferro Cromo Alto Carbono (produto mais significativo para suas vendas), foi definido para o 1T20 em US$ 1,01 por libra. Este valor representa uma redução de 1,0% em relação ao preço do trimestre anterior e é 9,8% menor que no 1T19.
• Apesar da queda ser pequena, esta é uma notícia negativa, que vai impactar a receita e a rentabilidade da empresa no próximo trimestre;
• No ano passado, os preços do Ferro Cromo Alto Carbono tiveram uma redução de 9,7% no 1T19, seguida da alta de 7,1% no 2T19 e baixas de 13,3% no 3T19 e 1,9% no 4T19.


 

Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Mapa de Oscilações

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.