Mercado ganhou ânimo com o bom resultado do PIB do 3T19

MERCADO


Bolsa

O Ibovespa teve mais um dia de alta, encerrando a quarta-feira com valorização de 1,23% aos 110.301 pontos e giro financeiro de R$ 18,1 bilhões. O mercado ganhou ânimo com o bom resultado do PIB do 3T19 e perspectivas de melhora na atividade econômica, com a sinalização vinda das vendas da Black Friday. Hoje, a agenda econômica traz dados de vendas a varejo na zona do euro em outubro com queda de 0,6% no M/M e alta de 1,4% no A/A e mostra também dados de emprego e o PIB da região com alta de 0,2% no M/M e de 1,2% no A/A. Nos EUA, no destaque, a balança comercial de outubro e dados do mercado de trabalho. Esta agenda carregada pode influenciar os mercados lá de fora hoje. As bolsas internacionais operam em alta na zona do euro, positivas também no fechamento da Ásia. Os mercados mantêm a expectativa de um acordo – até o dia 15/12 – entre EUA e China, para a retirada de tarifas de importação sobre uma lista de produtos chineses. Se o acordo não vier, as bolsas podem sofrer queda na segunda quinzena de dezembro. Hoje as cotações do petróleo (Brent e WTI) mostram alta nos mercados internacionais. Nesse ambiente, o Ibovespa tem espaço para mais um dia de alta.

Câmbio

A moeda americana acomodou numa faixa acima de R$ 4,20 desde o dia 25/11 e ontem a cotação ficou em R$ 4,2071 de R$ 4,2048 no dia anterior. Não há uma expectativa de alteração significativa neste mercado no curto prazo, salvo alguma surpresa em relação às decisões políticas, sobretudo no exterior.

Juros

Os juros futuros voltaram a recuar ontem, reflexo dos sinais de retomada da economia. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 fechou com taxa de 4,68% ante 4,709% no ajuste da terça-feira e para jan/25 veio de 6,491% para 6,42%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

MRV Engenharia (MRVE3)
Pagamento de dividendos extraordinários de R$ 0,37 por ação

A companhia comunica o pagamento de dividendos extraordinários no montante total de R$ 327.896.570,77. Serão disponibilizados, na segunda distribuição dos dividendos extraordinários, o valor de R$ 163.948.285,39, sendo equivalente a aproximadamente R$ 0,370130645 por ação com base na posição acionária do dia 10 de dezembro de 2019.
As ações da Companhia serão negociadas ex-dividendos a partir de 11 de dezembro de 2019, inclusive. O pagamento dos dividendos no Brasil será realizado em moeda corrente nacional no dia 20 de dezembro de 2019.
Ontem a ação MRVE3 encerrou cotada a R$ 18,70 e o retorno para os acionistas com base nesta cotação será de 1,98%.


Marisa Lojas (AMAR3)
Preço da oferta de ações foi definido em R$ 10,0

Em fato relevante divulgado ontem, a companhia informou o preço aprovado de R$ 10,0 por ação na Oferta Restrita com a emissão de 51.5562.550 ações ordinárias, no montante de R$ 515.625.000,00.
O início de negociação das novas ações na B3 acontece no dia 06/12 (amanhã).
Ontem a ação AMAR3 encerrou cotada a R$ 10,85 acumulando valorização de 109,1% no ano.


Wiz (WIZS3)
A companhia realizou ontem o “Wiz Day 2019”

A empresa realizou ontem (4/dezembro) seu “Wiz Day 2019” com a presença dos principais executivos que falaram sobre suas respectivas unidades de negócios. Permanecemos positivos em relação ao “case” da companhia, que se destaca como fornecedora de soluções em serviços financeiros e corretagem de seguros.
Como visão a Wiz quer ser reconhecida “como a maior e melhor gestora de canais de distribuição de produtos financeiros e seguros do país”. Nesse contexto a companhia pretende “acelerar o seu valuation através de transações de M&A e um modelo de gestão escalável voltado para maximização de valor dos negócios incorporados”.
A Wiz tem registrado resultados crescentes, fruto de sua “expertise” e da exclusividade nos canais bancários da Caixa. Adicionalmente a companhia tem investido na diversificação como forma de sustentar o crescimento das receitas, dos resultados e dos ganhos de eficiência.
A companhia tem um histórico financeiro e operacional de sucesso, suportado por parcerias estratégicas e administrado por uma equipe qualificada e com ampla experiência de mercado. São quatro grande áreas: (1) Financeiro, Jurídico e Compliance; (2) Relações com o Mercado e M&A; (3) Gente e Gestão; e Marketing e (4) Tecnologia, que dão suporte as suas Unidades de Negócio.
Dentre as unidades, destaque para a Bancassurance que respondeu nos 9M19 por 71% da Receita Bruta da companhia; seguido da Wiz BPO com 12%, Wiz Parceiros com 8%, Wiz Corporate com 6% e Outras (Wiz B2U e Wiz Saúde) com 3%. Ressalte-se a importante sinergia entre os negócios e o seu modelo de gestão escalável que permite o foco em eficiência operacional, entrega de resultados e a avaliação e implementação, quando for o caso, de novos negócios.


Cielo S.A. (CIEL3)
Assinatura de Aditamento ao Acordo de Acionistas

A companhia comunicou ao mercado que, após a aprovação dos órgãos reguladores, supervisores e fiscalizadores, conforme legislação aplicável, foi concluída a cisão parcial do patrimônio do BB Banco de Investimento S.A. (“BB BI”), correspondente à participação acionária detida pelo BB BI na Cielo, e a transferência da parcela cindida para a BB Elo Cartões Participações S.A. (“BB Elo”).
O BB BI e a BB Elo são subsidiárias integrais do Banco do Brasil S.A. Em decorrência da conclusão da Operação, foi firmado ontem (4/dezembro) o Aditamento Quarto ao Acordo de Acionistas da Cielo entre Columbus Holding S.A. (entidade pertencente ao grupo Bradesco S.A.) e a BB Elo, como nova acionista da companhia, sucedendo o BB BI nos mesmos direitos e obrigações anteriormente detidos.


Eletrobras (ELET3, ELET6)
Adesão de 1.300 funcionários ao PDC

A companhia comunica que encerrou ontem (4/dezembro) o Segundo Plano de Demissão Consensual 2019 (“PDC”), com a adesão de 1.300 empregados, que deverão deixar a empresa até 31 de dezembro de 2019.
Com este número de desligamentos, a Eletrobras atinge 97,6% da meta estabelecida no dissídio do Acordo Coletivo de Trabalho 2019/2020, homologada pelo TST – Tribunal Superior do Trabalho, de ter no máximo 12.500 empregados em seu quadro efetivo, em 1º de janeiro de 2020. A companhia destaca que “o desligamento destes 1.300 empregados proporcionará uma economia estimada de R$ 490 milhões ao ano, com payback de 18 meses”.
Vemos como positivo esse movimento de readequação de quadros e o percentual de adesão, em linha com o estimado. Em adição a companhia comunica que, “para o alcance da meta final do quadro de referência, em 1º de maio de 2020, que é de 12.088 empregados, nos termos homologados pelo TST, serão desligados até a referida data, mais 444 empregados”.


JBS (JBSS3)
Investimentos de R$ 8,0 bilhões nas operações no Brasil nos próximos 5 anos

De acordo com declarações do CEO Global da JBS, Gilberto Tomazoni, a companhia planeja investir R$ 8,0 bilhões em suas operações no Brasil entre os anos de 2020 e 2024. Esse montante não inclue eventuais aquisições e serão destinados à modernização e construção de novas unidades para ampliação de capacidade de produção com foco em aves e suínos, bovinos e negócios correlacionados.
Adicionalmente serão investidos mais R$ 5 bilhões para os parceiros da companhia que fornecem matéria-prima, os produtores e integradores, lembrando quem esses números estão contemplados no Plano Estratégico de Investimentos da companhia. O “funding” para estes investimentos virá da geração de caixa da empresa e de terceiros, através de dívida ou do mercado de capitais.


Banco BMG S.A. (BMGB4)

Após IPO, Flávio Pentagna Guimarães permanece com 38,5 milhões de ações preferenciais do BMG

O BMG comunica que, em 28 de novembro de 2019, recebeu correspondência do Sr. Flávio Pentagna Guimarães, acionista controlador do banco, informando que, no âmbito da oferta pública de distribuição primária e secundária de ações preferenciais de emissão do BMG, após confirmação do não exercício do lote suplementar e conforme anúncio de encerramento da referida oferta divulgado em 27 de novembro de 2019, vendeu 16.491.755 ações preferenciais referentes a oferta secundária, ficando com um total de 38.508.245 de ações preferenciais de emissão do banco, representativas de 18,93% do total das ações preferenciais de sua emissão.


Ultrapar (UGPA3)

Investimentos programados para 2019

Após o pregão de ontem, a empresa divulgou seu plano de investimentos para 2020, que somará R$ 1.771 milhões, valor apenas 0,5% maior que o programado para 2019. Entre janeiro e setembro/2019, a Ultrapar investiu R$ 1,1 bilhão (R$ 472 milhões no 3T19), indicando que o montante previsto para o ano não será executado.
• Em 2019, devem ser aumentados os investimentos na Ipiranga, Ultragaz e Ultracargo, reduzindo sensivelmente os valores das inversões na Oxiteno e Extrafarma;
Neste momento de margens mais baixas na maioria de suas controladas, é importante ver a Ultrapar sendo conservadora nos seus investimentos.


Petrobras (PETR4)

Reunião com analistas e investidores em Nova York

A empresa realizou ontem em Nova York o “Petrobras Day”, tendo como foco principal seu Plano Estratégico 2020-2024. Os principais dados deste Plano já haviam sido divulgados na semana passada, mas foi uma boa oportunidade para aprofundar o entendimento dos números.
• As metas constantes do Plano nos pareceram muito positivas e o foco está na elevação da rentabilidade e o aumento da remuneração aos acionistas;
• Produção: A meta para 2020 é uma média de 2,7 milhões de barris ao dia (mbpd), semelhante à de 2019;
• Dívida bruta: As expectativas são de uma redução de US$ 88 bilhões ao final de 2019 (foi US$ 89,9 bilhões no 3T19), caindo para US$ 60 bilhões em dez/2021;
• Política de dividendos: A nova política prevê o pagamento de 60% da diferença entre o Fluxo de Caixa Operacional e os investimentos. Isso vai acontecer quando a dívida bruta estiver igual ou menor que US$ 60 bilhões, o que deve ocorrer a partir de 2021. Até lá os dividendos devem ser de US$ 2 bilhões relativos aos resultados de 2019 (R$ 0,64 por ação – considerando a taxa de câmbio atual) e US$ 3 bilhões (R$ 0,97 por ação) em 2020 e 2021.


 

Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.