Banco do Brasil – Relatório de Análise

Reunião sinaliza estabilidade de retorno e crescimento do lucro

O Banco do Brasil realizou sua Reunião Anual com analistas e Investidores, com destaque para os principais pontos de sua estratégia corporativa, que permanece sendo realizada em 6 pilares: (1) Foco na experiência do cliente; (2) Concentração no core business e nos negócios com sinergia; (3) Otimização de capital; (4) Rigoroso controle das despesas; (5) Banco mais Digital; e (6) a ampliação e rejuvenescimento da base de clientes. Este direcionamento conduziu o banco a um lucro líquido ajustado nos nove primeiros meses de 2019 de R$ 13,2 bilhões (ROAE de 17,5%) e a um Índice de Eficiência no período de 35,7%, o melhor de toda a história do banco. Para 2020 a expectativa inicial é de manutenção do atual nível de retorno. Seguimos com recomendação de COMPRA para BBAS3 e Preço Justo de R$ 62,00/ação.

Possível venda do BB. Em nosso modelo não trabalhamos com a privatização do banco e sim fortalecimento do seu modelo de negócio, foco nos ativos relativos ao seu escopo de atuação e desinvestimento de segmentos “não core”, como os já realizados com as participações na Neoenergia e no IRB Brasil RE. Num ambiente de grande competição, como estamos acompanhando atualmente, o resultado de 2020 (com crescimento de 10% sobre 2019), será capitaneado por recuperação de crédito e queda de inadimplência. O banco permanecerá mais ativo no Varejo com redução do crédito no atacado, através de um mix mais rentável que favoreça o crescimento da Margem Financeira, e por consequência, do resultado e uma precificação mais perto do real potencial do banco.

Impacto de medida sobre cheque especial. Um assunto que esteve mais presente na semana passada, para o qual ainda não existem cálculos exatos, mas o banco estima um impacto reduzido e embora exista a possibilidade de compensação do limite de juros com tarifas, “não quer dizer que o banco irá fazê-lo”. Em adição, atentar para o aumento da Contribuição Social sobre o lucro Líquido (CSLL) de 15% para 20%, que deve trazer um aumento da tributação, mas também um proporcional crescimento do estoque de créditos tributários e incremento de lucro. Desta maneira, é muito provável que o efeito nos créditos tributários anule o aumento da CSLL, sem impacto relevante no resultado.

Reforma Estatutária da CASSI e JCP. O Banco do Brasil informou que a proposta de reforma estatutária da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi) submetida aos seus associados, foi aprovada no processo de votação, realizado entre 18 e 28 de novembro. A proposta aprovada finalmente é a terceira colocada em votação pelo banco para equalizar o déficit do plano, que atende a funcionários da ativa, aposentados, e suas famílias. Com isso o banco estima um gasto proporcional de R$ 600 milhões com impacto nas despesas administrativas já neste 4º trimestre de 2019. Aprovado o pagamento em 30 de dezembro de 2019 de R$ 502,3 milhões (0,17617400289/ação) na forma de Juros sobre o Capital Próprio relativo ao 4T19. Os juros terão como base a posição acionária de 11 de dezembro, sendo as transferências de ações efetuadas “ex-juros” a partir de 12 de dezembro de 2019. O retorno líquido estimado é de 0,3%.

Clique para acessar:

DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora.

As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.