Alta foi de 0,95% em Novembro

MERCADO


Bolsa

O último pregão de novembro foi de liquidez reduzida, com R$ 14,2 bilhões de giro financeiro e queda de 0,05% com o índice fechando aos 108.233 pontos. No mês a alta foi de 0,95%. A queda forte nas cotações do petróleo pesou sobre as ações da Petrobras, segurando o índice. Contrário ao comportamento da sexta-feira, as cotações do petróleo mostram boa recuperação nesta segunda-feira. O mês de dezembro abre com uma agenda econômica mais carregada de dados domésticos, que além das projeções do Boletim Focus, traz, o IPC-S com alta de 0,49% e no meio da tarde a balança comercial de novembro. Do lado externo as bolsas mostram alta no andamento dos mercados na zona do euro e no fechamento da Ásia, com dados do setor de manufatura na China, acima das expectativas, melhorando as expectativas em relação à economia global. Esta melhora no humor das bolsas internacionais pode ajudar o Ibovespa começar o mês do lado positivo.

Câmbio

A moeda americana passou a semana passada cotada acima dos R$ 4,20 encerrando o mês aos R$ 4,2371, sem uma sinalização de recuo no curto prazo.

Juros

Os juros tiveram seu comportamento influenciado pela variação do dólar na semana, mas na sexta-feira o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 fechou com taxa de 4,700% de 4,689% na quinta-feira. Para jan/25. O DI fechou em 6,52% de 6,541%, praticamente estável.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Minerva S.A. (BEEF3)
Unidade de Araguaína habilitada para exportar para a Rússia

O Serviço de Fiscalização Veterinária e Fitossanitária da Rússia (Rosselkhoznadzor) autorizou em 29 de novembro de 2019, a exportação de carne bovina através da unidade de Araguaína (TO), que possui capacidade diária de abate de 800 cabeças de gado.
Com mais essa habilitação, a companhia passa a ter 3 unidades autorizadas a exportar ao país via Divisão Brasil, com uma capacidade total de 4.300 cabeças/dia.
A Rússia é um importante cliente para as exportações da companhia, tanto via Brasil, quanto via Athena Foods (através das unidades do Paraguai, Argentina e Colômbia). Com base nos resultados da Minerva nos últimos doze meses encerrados em 30 de setembro 2019, a Rússia respondeu por 13% das exportações consolidadas.


WIZ S.A. (WIZS3)
Aquisição de 80% do capital da Money Ex Plataform Tecnologia, por R$ 2 milhões mais dividendos.

A WIZ celebrou em 29 de novembro de 2019, Contrato de Compra e Venda de Ações e outras Avenças com a Money Ex Participações Ltda., por meio do qual a companhia adquiriu 9.412 ações emitidas pela Money Ex Plataform Tecnologia S.A., representativas de 80% de seu capital social, anteriormente de titularidade da Holding.

Em contraprestação à aquisição das Ações, a companhia se comprometeu a realizar o pagamento de uma parcela (i) fixa correspondente a R$ 2,0 milhões (já realizado) e (ii) variável correspondente a 50% do valor total de todos e quaisquer dividendos que venham a ser recebidos pela companhia decorrente de sua participação na GR1D Finance, líquido dos tributos aplicáveis.


M. Dias Branco S.A. (MDIA3)
Eleito novo Vice-Presidente de Investimentos e Controladoria

O Conselho de Administração, conforme anteriormente sinalizado para o mercado, tomou ciência na sexta-feira (29/novembro), do pedido de renúncia formulado pelo Sr. Geraldo Luciano Mattos Júnior, e elegeu o Sr. Gustavo Lopes Theodozio, como Vice-Presidente de Investimentos e Controladoria, abrangendo as funções de Diretor de Relações com Investidores, e que tomará posse dos referidos cargos em 02 de dezembro de 2019.


Eletrobras (ELET3, ELET6)
Revogada liminar que suspendia assembleia da Eletrosul e CGTEE

Em complemento ao Comunicado ao Mercado divulgado em 30 de agosto de 2019, a Eletrobras informou que foi revogada a liminar concedida pela 2ª Vara Federal de Florianópolis, que suspendeu as Assembleias Gerais Extraordinárias de Acionistas das subsidiárias Eletrosul Centrais Elétricas S.A. (“Eletrosul”) e Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (“CGTEE”), para incorporação da Eletrosul pela CGTEE.


Banco BMG S.A. (BMGB4)
Banco vende 30% da seguradora para a Generali por até R$ 89 milhões

O Banco BMG, através de sua controlada BMG Participações em Negócios Ltda. celebrou Contrato de Compra e Venda de Ações com a Assicurazioni Generali S.p.A., por meio do qual a BMG Participações se comprometeu a alienar à Generali 30% do capital social da BMG Seguros S.A. A BMG Participações permanecerá titular de ações que representam 70% do capital social da BMG Seguros.

O valor atribuído a 100% das ações da BMG Seguros, para fins da Transação, foi de R$ 297 milhões, sendo que o preço de venda da participação na BMG Seguros será composto por (i) um montante pré-definido no valor de R$ 54 milhões, a serem liquidados financeiramente em até 3 anos; e (ii) uma parcela contingente, ao final do 6º ano após a conclusão da Transação, no montante de até R$ 35 milhões, condicionada ao atingimento de metas operacionais acordadas entre as partes.


Notre Dame Intermédica (GNDI3)
Aprovada uma oferta pública de ações que pode chegar a R$ 3,5 bilhões, somente a emissão primária.

Oferta primária: emissão de 65.000.000 ações ordinárias.

Oferta secundária: distribuição pública secundária de 22.750.000 ações ordinárias de emissão da Companhia e de titularidade do Alkes II – Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia

Destinação dos recursos: Os recursos líquidos oriundos da parcela primária da Oferta serão destinados para:

  • pagamento do preço de aquisição do grupo Clinipam pelo Hospital Intermédica Jacarepaguá Ltda., sociedade controlada indiretamente pela Companhia;
  • pagamento do saldo devedor das debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, com garantia adicional fidejussória, referentes à 3ª emissão da BCBF Participações S.A., subsidiária da Companhia; e
  • capitalização e investimento nas subsidiárias operacionais da Companhia, visando ao reforço da capacidade de solvência e fortalecimento de sua posição de liquidez.

VALE (VALE3)
Retomada nas operações da Ferrous

A empresa informou, após o fechamento do último pregão, que retomaria as operações de concentração na unidade de Viga, da recém adquirida Ferrous Resources do Brasil.
• A retomada é decorrente da regularização dos documentos relativos ao alvará do município de Jeceaba-MG, onde está localizada esta pequena unidade, que retomará uma produção de 330 mil toneladas ao mês (4,0 milhões de toneladas – anualizado). A operação desta unidade foi paralisada em agosto de 2019;
• Esta é uma boa notícia para a Vale, apesar da pequena dimensão da unidade.


CCR (CCRO3)
Suspensão da redução na tarifa de pedágio da MSVia

Na noite da última sexta-feira, a empresa informou que o Tribunal Regional Federal da 1ª Região suspendeu os efeitos da deliberação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que havia determinado a redução em 53,94%, da tarifa básica de pedágio de todas as praças instaladas na BR-163/MS.
• Este trecho da rodovia é administrado pela Concessionária de Rodovia Sul-Matogrossense S.A. (MSVia), controlada da CCR;
• A redução na tarifa foi comunicada ao mercado na semana passada;
• Esta notícia é positiva para a CCR, mas a batalha jurídica acerca de questões desta concessão já é conhecida e deve perdurar por um longo período. Desde 2017, a MSVia tenta junto à ANTT a revisão do contrato e de suas obrigações de investimentos nesta rodovia.


Petrobras Distribuidora (BRDT3)
Pagamento de proventos

O Conselho de Administração da empresa aprovou a distribuição de juros sobre o capital próprio no valor total de R$ 540,3 milhões (R$ 0,463792462084373 por ação – antes do Imposto de Renda).
• O pagamento deste provento será realizado no dia 30 de junho de 2020, com base nas posições acionárias de 4 de dezembro/2019. A partir do dia 5/dezembro (próxima quinta-feira), BRDT3 passará a ser negociada “ex-JCP”;
• Este provento é equivalente a um retorno de 1,6% para os detentores de BRDT3, considerando sua cotação de fechamento no último pregão.


Usiminas (USIM5)
Aumento dos preços e outras expectativas

A empresa enviou um comunicado ao mercado, reiterando alguns pontos discutidos em sua reunião com analistas na semana passada.
• Há uma expectativa positiva para a demanda de aço no próximo ano, principalmente nos segmentos de Construção Civil e Distribuição;
• A Usiminas pretende elevar seus preços para o segmento de Distribuição em 5% ainda no 4T19 e outro aumento de 5% será implementado no 1T20.
• A Usiminas está tendo um ano difícil, com redução nas vendas, quedas nas margens e no lucro. Nos primeiros nove meses do ano, o volume de aço vendido caiu 2,5%, com reduções de 19,2% no EBITDA ajustado e 74,5% no lucro líquido. Como as outras empresas do setor, a Usiminas tem perspectivas otimistas para 2020.


Boletim Focus de 02/12:
Resumo das expectativas de mercado

Os dados a seguir tem como base a leitura anterior da última segunda-feira.

IPCA para 2019: Alta de 3,46% para 3,52%. Para 2020 a projeção segue 3,60%;

PIB: Estável, com crescimento esperado de 0,99%. Para 2020, crescimento de 2,21%;

Taxa Selic: Mantida em 4,50% para 2019 e mesmo percentual para 2020;

IGP-M: Alta de 5k41% na semana anterior para 5,52% nesta semana. Para 2020, projeção de 4,07%;

Produção industrial % de crescimento): Sem alteração em relação à semana passada, indicando queda de 0,70% e para 2020 a expectativa é de crescimento de 2,20%;

Conta Corrente (US$ bilhões): Projeção de déficit de US$ 37,0 bilhões ante US$ 36,75 bilhões da semana passada e para 2020 mais um déficit de US$ 40,0 bilhões;

Investimento direto no País (US$ bilhões): Caiu de US$ 77,0 bilhões na semana passada para US$ 75,0 bilhões neste boletim. Para 2020 a projeção é de uma entrada de US$ 80 bilhões.

Dívida Líquida do Setor Público (% do PIB): Estável em 56,70% e para 2020 projetada uma alta para 58,30%.

Resultado Primário (% do PIB): Estável em 1,20% nesta semana e para 2020 projetado em -1,10% do PIB.

Resultado Nominal (% do PIB): Estável em relação á semana anterior, negativo em 6,10% e para 2020, também negativo em 55,89%.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.