Queda de 0,25% aos 108.42 pontos

MERCADO


Bolsa

O Ibovespa encerrou a segunda-feira com queda de 0,25% aos 108.424 pontos e giro financeiro de R$ 16,1 bilhões. Em dia de agenda relativamente fraca, destaque apenas para as projeções do Boletim Focus, que trouxeram sinalização de mudança em alguns indicadores importantes como PIB, inflação e juros. A intenção do governo em taxar os dividendos trouxe mais uma preocupação aos investidores, somada ao cenário internacional que segue pendendo mais para o negativo e afastando investidores estrangeiros s da B3, com retirada de recursos nos últimos pregões. Hoje a agenda econômica vem carregada de indicadores. Do lado doméstico, a inflação da construção civil (INCC) de novembro com alta de 0,15% e do lado dos EUA, destaque para os dados estoques de varejo e vendas de casas novas em outubro. As bolsas internacionais mostram queda na zona do euro nesta manhã, mesmo com os sinais de avanço nas negociações entre EUA e China na chamada fase 1. O presidente do Federal Reserve Jerome Powell disse que as taxas de juros podem permanecer estáveis, em razão do bom momento da economia americana.

Câmbio

Nesta reta final de novembro a bolsa mostra insegurança em relação ao noticiário interno e externo, o que levou a moeda americana ao pico de R$ 4,2270 com alta de 1,0% sobre os R$ 4,1952 no fechamento da segunda-feira.

Juros

A semana começou com juros em alta refletindo principalmente o mau humor dos investidores com mercados emergentes. A taxa do DI para jan/21 fechou em 4,65% de 4,649% no ajuste anterior. Para jan/25 a taxa marcou subiu de 6,451% para 6,54%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Minerva (BEEF3)
Empresa realizou ontem em São Paulo o “Minerva Day”

Depois de Nova York no dia 18 de novembro, a companhia realizou em São Paulo ontem (25/novembro) o seu evento anual “Minerva Day”. As perspectivas são muito promissoras, neste momento, olhando as exportações para o continente asiático, com destaque para a Indonésia e notadamente para a China, que teria permitido empresas estatais chinesas de importarem carne bovina proveniente da América do Sul sem aplicação de imposto de importação de 24%.
Nesse contexto, autoridades brasileiras e do Mercosul negociam isenções de impostos para importação com autoridades chinesas, que, sendo aprovadas, aumentariam sobremaneira a competitividade da carne bovina da América do Sul. Ressalte-se que Nova Zelândia e a Austrália já estão livres de tarifas.
A companhia continua com sua estratégia de desalavancagem financeira. Ao final de setembro de 2019, a posição de caixa da companhia era de R$ 3,6 bilhões, a Dívida Líquida somava R$ 6,1 bilhões, e a alavancagem financeira permaneceu estável em 3,8x o EBITDA, em base trimestral.
Observando para 2020 tão somente um crescimento orgânico de suas operações, a Receita Líquida deve alcançar R$ 18,5 bilhões. Considerando uma margem EBITDA de 11%, bastante factível, dado as condições de mercado, o EBITDA deve ultrapassar os R$ 2,0 bilhões, fazendo com que a alavancagem venha para 2,8x o EBITDA. Lembrando que o EBITDA dos últimos 12 meses terminados em set/19 totalizou R$ 1,6 bilhão, com margem EBITDA de 9,5%, 20 bps superior à margem reportada no mesmo período de 2018.
A Minerva permanece confiante com base nas boas perspectivas para 2019 e o próximo ano. De acordo com a Minerva, “os reflexos do surto de Febre Suína Africana, devem continuar beneficiando diretamente os produtores de carne bovina da América do Sul”.


Energisa (ENGI11)
Total de energia consumida subiu 2,8% em outubro e 4,4% no acumulado do ano

O volume consumido de energia no mercado consolidado cativo e livre da Energisa em outubro de 2019 foi de 3.147,1 GWh, com crescimento de 2,7% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Considerando o fornecimento não faturado, o volume eleva-se a 3.246,3 GWh, aumento de 2,8% na mesma base de comparação.
As classes residencial, rural e comercial foram as principais responsáveis pelo desempenho no mês. A classe residencial registrou expressiva variação no consumo (+5,2% ou 58,1 GWh), influenciada pelas altas temperaturas. A classe rural registrou crescimento de 6,8% (20,4 GWh) favorecida pela pecuária de corte e produção de grãos. A classe comercial obteve incremento de 3,1% ou 18,8 GWh, impulsionada principalmente pelas temperaturas acima da máxima histórica.
Consumo nos primeiros dez meses de 2019, no mercado cativo e livre somou 29.873,6 GWh), um aumento de 4,0% em relação ao mesmo período do ano anterior. Considerando o fornecimento não faturado, o volume registrado foi de 29.983,5 GWh, com crescimento de 4,4% na mesma base de comparação.


Alupar Investimento S.A. (ALUP11)
Aquisição de 1% da ETB para adquirir o controle com 51% neste ativo

A Alupar concluiu ontem (25/novembro) a aquisição de 1% da participação acionária da Empresa de Transmissão Baiana S.A. (“ETB”), adquirindo o controle, com 51% de participação neste ativo, o qual passa a ser consolidado 100% pela Alupar.
O montante pago por esta transação foi de R$ 1,3 milhão, equivalente a 2.230 ações, correspondente a 1% do capital integralizado pela Apollo 12 Participações S.A., corrigido pro rata die pela taxa de inflação medida pelo IPCA, acrescido de juros de 7,3% a.a., computado desde a data de integralização até o efetivo pagamento, conforme Acordo de Acionista firmado em 01/02/2018, entre as partes.


Biosev S.A., (BSEV3)
B3 autorizou a redução temporária de número de ações da companhia em livre circulação até 2020.

Em resposta ao pedido de extensão de prazo para recompor o percentual mínimo de ações em circulação (“Free Float”), formulado pela Biosev em 19.09.2019, a companhia recebeu da B3, em caráter extraordinário, autorização para redução temporária de seu Free Float.

A Biosev deverá manter, no mínimo, o Free Float atual de 5,99% de seu capital social até sua recomposição, a qual deverá ocorrer até, no máximo, o dia 31.12.2020.

Foi exigido ainda que a companhia reporte à B3, até, no máximo, o dia 30.09.2020, os esforços empreendidos para a recomposição do Free Float, comprovando (i) interações com assessores financeiros e bancos de investimento em busca de aconselhamento quanto às oportunidades de mercado; e (ii) reuniões com potenciais investidores estratégicos.


Marisa Lojas (AMAR3)
Oferta primária de ações pode chegar a R$ 654 milhões

Contando lotes extras, a oferta pode girar até R$ 654 milhões ao preço do fechamento de ontem, de R$ 10,65. Serão inicialmente 46.875.000 ações, mais lote adicional de até 20% (9.375.000) e suplementar de até 11% (5.208.333). O preço da ação na oferta será definido em procedimento de coleta de intenções (bookbulding) que teve início onem e se encerra no dia 4 de dezembro.

Nos 9M19, a empresa registrou prejuízo líquido de R$ 145,1 milhões, com prejuízo também no mesmo período de 2018 (R$ 131,2 milhões). A receita liquida cresceu apenas 1,4% nos 9M19 e o destaque negativo ficou para o aumento expressivo na despesa financeira líquida, consequência de um aumento na dívida liquida que somou R$ 743,9 milhões em setembro (1,8x o EBITDA de 12 meses).

A ação AMAR3 acumula valorização de 105,2% neste ano, com valor de mercado de R$ 2,2 bilhões.


Concessões rodoviárias
Dados também positivos em outubro

O tráfego total nas estradas brasileiras pedagiadas em outubro aumentou 6,3% comparado ao mesmo mês do ano passado, segundo os dados divulgados pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR). Em relação a setembro/19, o crescimento foi de 1,4%.
• Este crescimento foi consequência da recuperação da economia e da desaceleração dos preços dos combustíveis. Porém, os dados de novembro podem ser negativamente impactados pela alta do diesel e da gasolina no mês;
No acumulado dos primeiros dez meses de 2019, o tráfego teve uma elevação de 4,0%. Vale lembrar que os números de 2018 foram negativamente

 

Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.