Ibovespa marca queda e moeda americana encerra com maior cotação histórica do Plano Real

MERCADO


Bolsa

Em dia de vencimento de opções sobre ações, o Ibovespa chegou a ensaiar uma alta ontem, mas acabou o dia com queda de 0,27% aos 106.269 pontos. O giro total no dia foi de R$ 27,1 bilhões, sendo R$ 16,4 no mercado à vista, R$ 9,0 bilhões no exercício de opções e o saldo em outras operações. Hoje as bolsas internacionais mostram alta generalizada, no fechamento da Ásia, no andamento na zona do euro – com alta nas vendas de veículos na região, em outubro – e nos futuros de NY, reflexo também do otimismo em relação às negociações entre EUA e China. A agenda econômica traz o IPC-Fipe semanal com alta de 0,26% abaixo da expectativa de 0,32% (média Bloomberg) e a 2ª prévia do IGP-M com queda de 0,01%. O petróleo WTI e Brent operam em queda no mercado internacional nesta manhã. A agenda completa com outros indicadores da zona do euro e EUA, que não devem influenciar os mercados que já precificam outros assuntos do dia, lembrando que amanhã é feriado local, o que pode reduzir o movimento financeiro na semana, com investidores atentos aos fatores externos.

Câmbio

A moeda americana teve mais uma puxada ontem encerrando o dia a R$ 4,2092 (cotação histórica do Plano Real) contra R$ 4,1893 quinta-feira. O pico anterior aconteceu em set/18, antes das eleições presidenciais. Hoje o BC prepara um leilão de swap cambial reverso de U$S 600 milhões.

Juros

Os fatores externos com pressão do dólar sobre o real vèm refletindo também no mercado de juros que ontem chegou a operar em queda, mas no fechamento as taxas marcaram alta. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 encerrou em 4,68% de 4,639% no ajuste de quinta-feira e para jan/25 a taxa passou de 6,331% para 6,36%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Klabin (KLBN11)
Pagamento antecipado de financiamento junto ao BNDES no montante de R$ 2,4 bilhões

Ontem, a companhia comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral a realização do pagamento antecipado de financiamento que detinha junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (“BNDES”) no montante de R$ 2,4 bilhões. O financiamento foi contratado em 2014 como parte do funding do Projeto Puma I, tinha custo financeiro acima do custo médio da Companhia e prazo médio de apenas 31 meses.

No 3T19, a Klabin registrou lucro líquido de 207,4 milhões ante um lucro de R$ 103,8 milhões no 3T18 e no acumulado de 9M19 o resultado foi positivo em R4 83,5 milhões contra um prejuízo líquido de R$ 726,2 milhões nos 9M18.

A ação KLBN11 encerrou ontem cotada a R$ 17,60 com alta de 15,5% no ano, cuja valorização está concentrada nos últimos 30 dias. O valor de mercado da companhia é de R$ 19,1 bilhões.


Hapvida (HAPV3)
Fechado acordo para aquisição de carteira de 12 mil clientes da Agemed (SC)

O valor da operação foi inicialmente fixado em R$ 19 milhões, e reflete um múltiplo de 5 vezes o valor das mensalidades pagas
Desde a sua abertura de capital em abril de 2018 a companhia já realizou diversas aquisições e vem numa curva de crescimento via expansão orgânica e por aquisições.
A ação iniciou as negociações na B3 em 24/abril/2019 ao preço de R$ 23,16. Ontem a ação encerrou cotada a R$ 54,38 com valorização acumulada de 134,4%.


Copel Energia (CPLE6)
Usina Termelétrica de Araucária e compra de energia incentivada

A Copel comunica que a UEG Araucária assinou contrato de Cessão de Créditos de Energia com a Petrobras, de acordo com a Resolução Normativa 614/2014 da ANEEL, e retomou, a partir de ontem (18/novembro), o despacho em plena capacidade para esta semana. A usina tem capacidade instalada de 484 MW, é uma das mais eficientes do país e opera com a utilização de ciclo combinado.
Companhia contratou 121,6 MW médios de Energia Incentivada. No Leilão de Compra de Energia Incentivada Solar e Eólica (Chamada Pública 07/2019), realizado no dia 13 de novembro, a Copel Energia através da Copel Comercialização S.A. contratou 121,6 MW médios, pelo prazo de 15 anos, com início de fornecimento em janeiro de 2023.
Os empreendimentos vencedores desta Chamada Pública participaram e venderam energia nos Leilões A-6 e A-4 do Ministério de Minas e Energia. A companhia informou também que a energia adquirida foi comercializada com clientes da Copel Energia.


JBS (JBSS3)
Notícia na mídia sobre a intenção do BNDES de vender posição de ações na JBS 

Segundo noticiado na mídia ”o BNDES contratou o Bradesco BBI (líder), o BTG Pactual, o Bofa, o Itaú BBA e o UBS para coordenarem a oferta subsequente de ações (follow on) das ações do frigorífico JBS, que estão na carteira de renda variável do banco”. De acordo com a matéria, “a oferta deve ser lançada ainda em novembro para ser precificada em dezembro”.
O BNDES tem 21,32% do capital total da JBS, equivalente a R$ 15,6 bilhões, ao preço de R$ 26,74/ação de ontem (18/novembro). Num primeiro momento seria vendido apenas metade desta posição e o restante ficaria para o início do ano que vem”. Caso se confirme, pode haver uma maior pressão sobre a cotação dos papéis, uma vez que a posição total equivale a 39 dias de negociação.
Até o momento o BNDES não se manifestou. Já a JBS respondendo a B3 sobre o teor dessa matéria esclareceu “ter conhecimento de que o BNDESPAR estuda diferentes alternativas para o desinvestimento de sua participação acionária na companhia, inclusive sob a forma de uma oferta pública secundária, porém não participa das discussões e trabalhos internos de tal acionista”. Reitera que “esse tema está sendo diretamente conduzido pelo BNDESPAR, e que não possui, neste momento, mais detalhes sobre essa possível oferta de ações”.


Braskem (BRKM5)
Novas capacidades de produção vão continuar limitando a recuperação da rentabilidade no setor petroquímico 

A Braskem divulgou seus resultados do 3T19 mostrando reduções de receita, margens e rentabilidade em relação ao mesmo período do ano passado. Porém, o fator decisivo para o prejuízo do trimestre veio do elevado resultado financeiro negativo, com a parcela da desvalorização cambial não coberta pelo hedge accounting. No 3T19, a Braskem sofreu um prejuízo de R$ 888 milhões (R$ 1,11 por ação), contra resultados positivos no 2T19 (R$ 84 milhões) e durante o 3T18 (R$ 1,3 bilhão).
• Ciclo de baixa da petroquímica não mostra sinais de recuperação. O menor crescimento mundial e o aumento da oferta, continuam pressionando as margens do setor. As expectativas de aumento na oferta de polietileno (PE) são maiores que em polipropileno (PP);
• A nova planta de PP da Braskem nos Estados Unidos está com um avanço físico de 78,1%, após investimento de US$ 523 milhões realizados. O início da produção é estimado para o primeiro semestre de 2020;
• A emissão recente de US$ 2,25 bilhões em títulos permitiu a redução dos custos da dívida e o aumento do prazo de pagamento.


 

Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.