São Martinho S.A. – Relatório de Análise

Resultado do 2T20 em linha e guidance mantido

A companhia registrou no 2T20 (safra 2019/20) um lucro líquido de R$ 62,0 milhões, com alta de 6% em relação ao 2T19 (Safra 2018/19) refletindo a melhora operacional compensada por efeito não caixa do IFR 16 no trimestre. Sem esse efeito o lucro teria sido de R$ 92,8 milhões, 59% superior a igual trimestre do ano anterior, em linha com o esperado. O resultado financeiro registrou piora, afetado pela variação cambial e por incremento de dívida, reflexo da maior necessidade de capital de giro. O guidance foi mantido e esperamos melhora dos resultados ao longo da presente safra. Temos recomendação de COMPRA para SMTO3 com preço justo de R$ 25,00/ação.

A companhia processou 18,4 milhões de toneladas de cana-de-açúcar nos primeiros seis meses safra 2019/20, resultado 2,7% superior ao mesmo período da safra passada, explicado por melhores condições climáticas, com chuvas mais intensas no início da safra, em comparação ao clima seco observado na safra 2018/19. Com isso, a produtividade melhorou 13,5% entre os semestres comparáveis, de 75,3 toneladas por hectare para 85,4 toneladas por hectare, porém o ATR médio caiu 3,8% para 136,7 Kg/tonelada. A estimativa para a safra (guidance) foi mantida, com uma moagem de 22 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2019/20 (+8% sobre a safra anterior) e crescimento de 5% no volume de produtos equivalentes em ATR, em linha com os cenários de mix de produção esperados.

O mix continua privilegiando o etanol e terminou o semestre com participação de 61% ante 39% do açúcar, por melhor rentabilidade no produto. Nesse contexto, a empresa reduziu sua exposição aos preços de açúcar, e ao final de setembro, as fixações de preço da commodity para os próximos trimestres da safra 2019/20 totalizavam um volume de 510,2 mil tons de açúcar, representando 87% do volume remanescente de exposição em cana própria, considerando o mínimo do intervalo para produção de açúcar, conforme o guidance da safra, e fixadas a um preço de R$ 1.208/tonelada. Para a safra 2020/21 as fixações de preços de açúcar somavam 201,0 mil toneladas ao preço médio de R$ 1.246 por tonelada.

Companhia teve seu rating elevado para Grau de Investimento em escala global pela Standard & Poor’s. Em 23 de outubro a S&P concedeu o grau de investimento (rating “BBB-“) para o risco de crédito de longo prazo da São Martinho em escala global. O rating em escala nacional permaneceu em “AAA”, ambos com perspectiva estável. De acordo com a agência, “a melhora do rating reflete, principalmente, a habilidade e consistência da companhia na geração de caixa, manutenção da baixa alavancagem ao longo dos últimos anos, comprovando sua solidez mesmo em momentos mais desafiadores do setor, e que os investimentos que estão sendo realizados devem aumentar a rentabilidade no longo prazo”.

 

Clique acessar:


 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.