Leilão do pré-sal não teve o resultado esperado

MERCADO


Bolsa

A B3 refletiu negativamente ao resultado do leilão da sessão onerosa que após uma grande expectativa, não teve o resultado esperado. O leilão somou R$ 70 bilhões ante uma expectativa de mais de R$ 100 bilhões, sem ágio e sem proposta para duas áreas ofertadas. O Ibovespa encerrou o dia em queda de 0,34%, aos 108.353 pontos, com giro financeiro total de R$ 20,4 bilhões. Hoje a agenda econômica vem carregada de indicadores com a inflação doméstica de outubro medida pelo IGP-DI mostrando alta de 0.55% no M/M e de 3.29% no A/A. Temos também o IPCA com alta de 0,10% no M/M e de 2,54% no A/A. No exterior, destaque para o Boletim Econômico da zona do euro com projeções para a região, completando com dados dos EUA. O petróleo inicia o dia com alta nas cotações na Nymex (WTI) e na ICE (Brent). As bolsas internacionais mostram alta generalizada no fechamento da Ásia e no andamento na zona do euro e também nos futuros de NY, reflexo dos avanços nas negociações comerciais entre EUA e China. O bom humor lá fora somado a bons resultados do 3T19, pode ajudar para a retomada da alta da B3.

Câmbio

Após o recuo na terça-feira, o dólar deu mais uma esticada ontem de R$ 3,9933 para R$ 4,0745 (+2,03%). A grande expectativa formada em torno do leilão da sessão onerosa não aconteceu conforme o esperado, provocando efeito inverso na curva da moeda.

Juros

Os juros futuros tiveram dia de alta na ponta mais curta e também nas taxas mais longas, com reação à puxada do dólar. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 fechou em 4,490% de 4,489% na terça-feira. O DI para jan/25 fechou com taxas de 6,12% de 6,021% no dia anterior.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Totvs (TOTS3)
Crescimento de 96,7% no lucro líquido do 3T19, somando R$ 79,5 milhões, acumulando R$ 180,8 milhões até setembro

A companhia veio com um forte resultado no 3T19 e no acumulado de 9 meses.
O crescimento em relação ao 3T18 se deve principalmente ao crescimento do EBITDA, aliado ao resultado financeiro positivo e à menor taxa efetiva no período. Comparando os 9M19 com os 9M18, o aumento do EBITDA Ajustado, em conjunto com a redução das Despesas Financeiras e da taxa efetiva de Imposto de Renda, mesmo que parcialmente impactado pelo aumento das Despesas com Depreciação e Amortização, fizeram com que o Lucro Líquido Ajustado aumentasse 75,4%.
Ontem a ação TOTS3 encerrou cotada a R$ 61,52 com valorização de 128,1% no ano. O valor de mercado da companhia é de R$ 11,7 bilhões.


Azul (AZUL4)
Resultados melhores que no trimestre anterior

Os resultados da empresa no 3T19, comparados ao mesmo período do ano passado, mostraram vendas mais baixas, mas ganhos de margem operacional. O lucro líquido ficou menor por maiores custos financeiros. Em relação ao trimestre anterior, houve aumento nas vendas das principais controladas, com incremento das margens operacionais e do lucro líquido.
• O lucro líquido consolidado da Ultrapar no 3T19, foi de R$ 298 milhões (R$ 0,27 por ação), 160,3% maior que no trimestre anterior, mas 9,0% abaixo do 3T18;
Os números consolidados do 3T19, em relação ao mesmo período do ano passado, mostraram redução nas vendas, mas ganho no EBITDA, que somou R$ 979 milhões (+15,3%), com os resultados melhores da maioria das controladas


Ultrapar (UGPA3)
Resultados melhores que no trimestre anterior

Os resultados da empresa no 3T19, comparados ao mesmo período do ano passado, mostraram vendas mais baixas, mas ganhos de margem operacional.  O lucro líquido ficou menor por maiores custos financeiros.  Em relação ao trimestre anterior, houve aumento nas vendas das principais controladas, com incremento das margens operacionais e do lucro líquido.

  • O lucro líquido consolidado da Ultrapar no 3T19, foi de R$ 298 milhões (R$ 0,27 por ação), 160,3% maior que no trimestre anterior, mas 9,0% abaixo do 3T18;

Os números consolidados do 3T19, em relação ao mesmo período do ano passado, mostraram redução nas vendas, mas ganho no EBITDA, que somou R$ 979 milhões (+15,3%), com os resultados melhores da maioria das controladas


Movida (MOVI3)
Lucro recorde de R$ 60 milhões, bem acima da expectativa do mercado

O 3T19 foi marcado por recordes importantes, como o Lucro Líquido que atingiu a máxima histórica, expansão de margens, com destaque para margem líquida, a melhor já apresentada, uma evolução de 2,6 p.p frente a 3T18, 16%. A evolução consiste em maior eficiência operacional.
No acumulado de 9 meses, o lucro líquido somou R$ 148,7 milhões, aumento de 45,8% sobre o mesmo período de 2018.
A ação MOVI3 encerrou cotada a R$ 15,68 com valorização de 85,4% no ano e valor de mercado de 4,7 bilhões.


Intermédica Notre Dame (GNDI3)
Lucro líquido cresce 5,9%% no 3T19 somando R$ 99,7 milhões, acumulando R$ 292,2 milhões em 9 meses

A Notre Dame registrou mais um bom resultado com crescimento expressivo nas principais linhas de resultado. A rede vem numa curva de crescimento orgânico e realizando aquisições estratégicas. Atualmente a Companhia conta com 21 hospitais, 75 Centros Clínicos, 20 Prontos Socorros Autônomos, 10 Centros Preventivos e 55 pontos de coleta de análises clínicas.

O Lucro Líquido da Companhia aumentou 5,9% passando de R$ 94,2 milhões no 3T18 para R$ 99,7 milhões em 3T19.  O Lucro Líquido Ajustado no 3T19 foi de R$ 155,7 milhões, 22,4% maior que o mesmo período de 2018. A Margem Líquida Ajustada teve redução de 1,0p.p. no 3T19.

Ontem a ação GNDI3 encerrou cotada a R$ 59,28 acumulando valorização de 104,8% no ano. O valor de mercado da empresa é de R$ 31,9 bilhões.


Banco do Brasil (BBAS3)
Bom trimestral acima do esperado e com melhor rentabilidade

O Banco do Brasil registrou no 3T19 um lucro líquido ajustado de R$ 4,5 bilhões (ROAE de 18,0%) com crescimento de 33% em relação aos R$ 3,2 bilhões do 3T18 (ROAE de 13,6%). Mais um bom resultado, acima de nossa estimativa de R$ 4,3 bilhões, explicado principalmente por (i) aumento da Margem Financeira Bruta e da recuperação do crédito com impacto direto na redução da PDD; (ii) forte crescimento das rendas de tarifas; (iii) aliado ao controle de custos com variação abaixo da inflação. O BB segue focado no crescimento de suas operações e no incremento de rentabilidade.

Seguimos com recomendação de COMPRA e preço justo de R$ 62,00/ação, que embute potencial de alta de 30,1% em relação à cotação de R$ 47,67/ação (valor de mercado de R$ 136,6 bilhões). Nesse preço a ação BBAS3 registra alta de 6,7% este ano, negociada com P/L de 7,6x para 2019 e a 1,3x o seu valor patrimonial.

O BB aprovou a distribuição de R$ 1,04 bilhão na forma de JCP complementar relativo ao 3T19 equivalente a R$ 0,3650/ação, corrigidos pela Selic até a data do pagamento. Serão consideradas as posições em 21/11/2019, sendo as ações negociadas “ex” a partir de 22/11/2019. O yield líquido é de 0,65%.


Wiz S.A. (WIZS3)
3T19 ajustado acima do esperado com destaque para o resultado operacional

A companhia registrou no 3T19 um lucro líquido de R$ 62,3 milhões, equivalente a um crescimento de 15% em relação ao lucro de R$ 54,2 milhões de igual trimestre do ano anterior, um resultado que refletiu (i) o crescimento de 18% da Receita Bruta, com destaque para o produto Prestamista – unidade Bancassurance e do resultado da Wiz BPO; (ii) da melhora operacional representada pelo incremento de 15% do EBITDA entre os trimestres comparáveis; (iii) por reconhecimento de participação nos resultados das companhias investidas, notadamente a Inter Seguros, (iv) parcialmente compensados pelo incremento nas linha de “depreciação e amortização” e de “IR/CS”.

Em base ajustada o lucro líquido do 3T19 alcançou R$ 68,6 milhões, 5,5% acima dos R$ 65 milhões que estimávamos.

Cotadas a R$ 11,34/ação, equivalente a um valor de mercado de R$ 1,8 bilhão, suas ações registram alta de 85,1% este ano. Nesse patamar de preço os múltiplos para 2019 são: P/L de 7,3x e VE/EBITDA de 5,1x. Temos recomendação de COMPRA para WIZS3 e preço justo de R$ 13,50/ação, equivalente a um potencial de alta de 19,0%.

Em base de 9 meses a Receita Líquida cresceu 16% para R$ 499 milhões, o EBITDA cresceu 26% para R$ 291 milhões e o lucro líquido alcançou R$ 173 milhões, 28% superior aos R$ 135 milhões do 9M18. Em base ajustada o lucro do 9M19 foi de R$ 183 milhões.


IRB Brasil RE S.A. (IRBR3)
Resultado do 3T19 em linha com o esperado

O IRB Brasil registrou um lucro líquido de R$ 392,5 milhões no 3T19 (ROAE de 36,7%), com crescimento de 29% em relação aos R$ 304,5 milhões (ROAE de 33,0%) de igual trimestre do ano anterior, com a manutenção de sua estratégia de crescimento com foco na eficiência e rentabilidade.

Com base no resultado a empresa pagará em 5 de dezembro, Juros sobre o Capital Próprio (JCP) no montante de R$ 198,4 milhões, equivalente a R$ 0,21307633814/ação, com as ações ficando Ex dia 19 de novembro. O retorno líquido é de 0,5%.

O resultado trimestral veio em linha com o esperado e refletiu o crescimento dos prêmios e do resultado de underwriting, a melhora do resultado financeiro e patrimonial, e a queda da despesa administrativa. Nesta base de comparação (3T18 vs 3T19) o índice de sinistralidade total melhorou 6,5pp (de 58,5% para 52,0%) e a rentabilidade da carteira caiu de 147% do CDI no 3T18 para 131% do CDI no 3T19.

No acumulado do ano, o lucro alcançou R$ 1,13 bilhão com expressivo crescimento de 33,8% em relação aos R$ 845,9 milhões dos 9M18. Nesta base de comparação o ROAE elevou-se de 30,5% para 36,6%. Suas ações registram alta de 40,2% este ano e de 80,3% em doze meses, para R$ 38,01/ação (valor de mercado de R$ 35,6 bilhões) e P/L para 2019 de 21,7x.


Banrisul (BRSR6)
Ex JCP de R$ 0,26098334 por ação PNB em 12/novembro

O Conselho de Administração do Banrisul aprovou ontem (6/novembro) o pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) referente ao 4T19 no valor total de R$ 106,8 milhões, equivalente a R$ 0,26098334 por ação PNB.
Serão beneficiados os acionistas na data de 11/11/19, passando as ações a serem negociadas “ex-direito” aos juros a partir de 12 de novembro de 2019. Com base na cotação de R$ 22,36/ação o retorno trimestral líquido é de 1,0%.


Petrobras (PETR4)
Aquisições no leilão de excedentes da Cessão Onerosa

A empresa adquiriu ontem, durante o leilão dos volumes excedentes ao contrato da Cessão onerosa, direito de exploração nos campos de Búzios e Itapu. Nos dois campos não houve pagamento de ágio.
• Em Búzios, a Petrobras terá como sócias as empresas chinesas CNODC e CNOOC, cada uma com 5% de participação no consórcio. Para este campo, o bônus de assinatura foi de R$ 68,194 bilhões e o óleo lucro (parcela que será paga ao governo) de 23,24%;
• Acreditamos que os resultados do leilão foram muito favoráveis para a Petrobras, que adquiriu o direito de exploração em dois campos com geologia conhecida e equipamentos já instalados na proximidade. Com isso, a Petrobras vai assegurar produção futura a baixos custos com petróleo com alta qualidade.


 

Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.