Pressão de vendas sobre as ações da Petrobras

MERCADO


Bolsa

O Ibovespa não acompanhou as bolsas internacionais ontem, mesmo com o ambiente favorável para mais uma alta. O índice fechou aos 108.719 pontos (queda de 0,06%) com giro financeiro de R$ 20,8 bilhões. Pesou no dia a pressão de vendas sobre as ações da Petrobras. Hoje a agenda econômica traz dados da zona do euro com destaque para as vendas no varejo em setembro acima do esperado e no Brasil sai a produção de veículos (Anfavea) em outubro. As bolsas internacionais mostram queda na zona do euro nesta manhã com um noticiário abordando assuntos como: impeachment do Presidente Trump, eleições americanas no ano que vem, resultados corporativos, etc.
Do lado doméstico, a apresentação de projetos do governo ontem, passa a ser digerida pelo mercado com a expectativa de avanços até o final deste ano. A quarta-feira inicia com o petróleo em queda na ICE (Brent) e na Nymex (WTI). O Ibovespa pode ter um dia de cautela, atento aos mercados lá de fora.

Câmbio

A moeda americana segue negociada numa faixa estreita de preço. Ontem a cotação recuou para R$ 3,9933 ante R$ 4,0177 (-0,61%).

Juros

O mercado de juros futuros reagiu às medidas do governo apresentadas ontem no Congresso, mas ainda permanecem numa faixa estreita de atuação. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 fechou a 4,490% de 4,489% no ajuste da segunda-feira e para jan/25 a taxa ficou em 6,02% de 5,991% no dia anterior.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

ENGIE Brasil Energia (EGIE3)
Resultado do 3T19 acima do esperado, por melhor resultado operacional

A ENGIE Brasil Energia (EBE) registrou no 3T19 um lucro líquido de R$ 742,7 milhões, com expressivo crescimento de 56,2% ante o lucro de R$ 475,4 milhões no 3T18. Esse resultado foi construído principalmente por significativa melhora do resultado do serviço (EBIT) com incremento de 59,6% em base de doze meses.
No acumulado dos primeiros 9 meses de 2019, em grandes números, a EBE registrou Receita Líquida de R$ 7,0 bilhões (+8,0%), EBITDA de R$ 3,85 bilhões (+16,5%) e margem de 54,9% (+4,3pp) e Lucro Líquido de R$ 1,7 bilhão (+9,0%).
O Conselho de Administração aprovou a distribuição de R$ 893,4 milhões sob a forma de dividendos intercalares (R$ 1,0949497919/ação), equivalente a 100% do lucro líquido distribuível apurado no primeiro semestre de 2019. Adicionalmente, foi aprovado o crédito de R$ 354,0 milhões (R$ 0,4338619496/ação) sob a forma de juros sobre o capital próprio, referentes ao ano de 2019. As ações ficarão ex-dividendos e ex-juros sobre o capital próprio a partir de 3 de dezembro de 2019 e serão pagos em data a ser definida posteriormente pela Diretoria-Executiva. Com base na cotação de R$ 45,97/ação o retorno líquido é de 3,2%.


AES Tietê (TIET11)
Lucro de R$ 97,1 milhões do 3T19, acima do esperado

A companhia registrou no 3T19 um lucro líquido de R$ 97,1 milhões, acima do esperado, com crescimento de 175% em relação ao lucro de R$ 35,4 milhões do 3T18, acumulando um lucro de R$ 194,6 milhões no 9M19 (+6,3%).

A receita líquida no 3T19 caiu 7,1% para R$ 525 milhões, mas os custos/despesas operacionais recuaram 24%, resultando numa melhora do resultado operacional medido pelo EBITDA que cresceu 22% para R$ 254,2 milhões. A margem ebitda elevou-se de 36,9% para 48,4% entre os trimestres comparáveis.

Com base no resultado do 3T19 a companhia anunciou a distribuição de R$ 106,4 milhões de dividendos intermediários no trimestre, com payout de 110%, equivalente a R$ 0,26667388285 por unit. A data base será no dia 8 de novembro de 2019 e as ações passarão a ser negociadas “ex-dividendos” a partir do dia 11 de novembro de 2019. O retorno é de 2,24%.


Cteep – Transmissão Paulista (TRPL4)
Lucro de R$ 415 milhões no 3T19

A Cteep registrou no 3T19 um lucro líquido de R$ 414,6 milhões, após crescimento de 117% ante o lucro de R$ 191,5 milhões do 3T18. No 9M19 o lucro cresceu 6% para R$ 889 milhões.

O EBITDA ajustado somou R$ 566,2 milhões no 3T19, aumento de 9,4% na comparação com o 3T18, em função da variação positiva do IPCA na receita e pela entrada em operação dos projetos (reforços, melhorias e greenfield). No 9M19, o EBITDA ajustado totalizou R$ 1,8 bilhão, com queda de 5,6% ante o 9M18, devido, principalmente, à menor receita auferida de RBSE com a linearização do componente econômico no ciclo 2018/2019.

Com base nos resultados o Conselho de Administração da companhia aprovou a distribuição de proventos no montante de R$ 517 milhões (R$ 0,784661/ação), sendo R$ 0,445535/ação na forma de dividendos e Juros sobre o capital próprio (JCP) de R$ 0,339126/ação.  As ações da companhia serão negociadas “ex-direito” a partir de 11 de novembro de 2019, inclusive, com a data de corte de 08 de novembro de 2019. Com base na cotação de R$ 23,10/ação o retorno líquido é de 3,2%.


Banco ABC Brasil (ABCB4)
Resultado trimestral

O Banco ABC Brasil registrou no 3T19 um lucro líquido recorrente de R$ 123 milhões (ROAE de 12,5%), 6% superior ao lucro recorrente do 3T18 (R$ 116 milhões e ROAE de 13,3%). Um resultado trimestral, levemente abaixo dos R$ 127 milhões que estimávamos. Esse resultado pode ser explicado por bom crescimento da Margem Financeira, notadamente com clientes, aumento proporcional de PDD com estorno parcial de provisão adicional, forte redução das Receitas de Serviços e crescimento das despesas de pessoal e outras administrativas em prercentual acima da inflação no período. Temos recomendação de COMPRA com preço justo de R$ 24,00/ação.

Na comparação do 9M19 versus o 9M18, destaque para (i) a queda da Margem Financeira com o mercado, compensada por uma melhora na linha do patrimônio líquido remunerado a CDI; somado a (ii) queda na receita de serviços; e (iii) por aumento das despesas de pessoal e outras administrativas, em percentual acima da inflação. Nesta base de comparação o lucro líquido recorrente cresceu 10% para R$ 369,4 milhões. Nesta base de comparação o ROAE caiu de 13,1% para 12,8%.


Hermes Pardini (PARD3)
Lucro líquido atinge R$ 43,4 milhões no 3T19 crescimento de 27,2% sobre o 3T18, acumulando R$ 114,1 milhões em 9 meses

A companhia mostrou melhora nos indicadores financeiros, recorde na receita bruta do 3º trimestre e melhoras nas margens.

  • O volume de exames cresceu 3,6% no comparativo trimestral somando 25,5 milhões no 3T19. O ticket médio aumentou 5,3% no 3T19.
  • A receita liquida somou R$ 345,8 milhões no 3T19, crescimento de 9,4%. No acumulado de 9M19 a receita foi de R$ 1,03 bilhão (+12,7%);
  • O EBITDA ajustado somou R$ 79,0 milhões no 3T19 e o lucro liquido chegou a R$ 43,4 milhões.
  • A dívida liquida no final de set/19 era de R$ 257,7 milhões alta de 4,7% sobre os R$ 247,5 milhões em set/18. Esta dívida equivale a 1,1x o EBITDA de 12 meses e o EBITDA corresponde a 13,6x a despesa financeira liquida, uma posição confortável.

A ação PARD3 encerrou ontem cotada a R$ 23,61 com alta de 28,7% no ano e valor de mercado de R$ 3,1 bilhões.


Tim Participações (TIMP3)
A Tim encerrou o 3T19 com lucro liÍuido de R$ 619 milhões, aumento de 61,4% sobre o 3T18. Em 9 meses a alta foi de 34,1% somando R$ 1,29 bilhão

No 3T19, o lucro líquido reportado totalizou R$ 687 milhões, que representa uma queda de 48,5% A/A em razão do efeito não-recorrente da incorporação da TIM Celular pela TIM S.A. No acumulado de 2019, o lucro líquido reportado somou R$ 3,0 bilhões, aumento de 57,3%. No trimestre, excluindo os efeitos não recorrentes explicados anteriormente, o lucro normalizado apresentou crescimento de 61,4% A/A, totalizando R$ 619 milhões. O Lucro por Ação (LPA) Normalizado foi de R$ 0,26 ante os R$ 0,16 no 3T18. No 9M19, o Lucro Líquido Normalizado foi de R$ 1.293 milhões, alta de 34,1% A/A.

A ação TIMP3 encerrou ontem cotada a R$ 11,95 acumulando valorização de 4,9% no ano. O valor de mercado da companhia é de R$ 28,9 bilhões.


Cielo S.A. (CIEL3)
Distribuição de Juros sobre Capital Próprio

A Cielo destaca que o valor final dos Juros sobre Capital Próprio (“JCP”) complementares relativos ao 3T19 é de R$ 0,01548261816/ação, relativos ao montante de R$ 42,0 milhões, e retorno líquido de 0,2%.
O valor acima será somado a R$ 78,1 milhões deliberados em reunião do Conselho de Administração realizada em 19/set/19, totalizando o montante de R$ 120,1 milhões.
Os JCP serão pagos aos acionistas no dia 18 de novembro de 2019, com base na posição acionária de 05 de novembro de 2019, sendo as ações da companhia negociadas ex-juros a partir de hoje, 06 de novembro de 2019, inclusive.


Petrobras (PETR4)
Esclarecimentos sobre o TCC com o CADE

Após o pregão de ontem, a empresa comunicou que está cumprindo integralmente o os compromissos assumidos em julho/2019, através do Termo de Cessação de Conduta (TCC) celebrado junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).
• A Petrobras informou ainda que já cumpriu em julho com o “declínio sobre a exclusividade de transporte do gás”, em agosto com a “qualificação de agente externo para monitorar este TCC” e, finalmente, em setembro com a “indicação de volumes para liberação de capacidade para transporte de terceiros”;
• No TCC, a Petrobras se comprometeu também a vender ativos de gás até o final de 2021. Os principais são: Nova Transportadora do Sudeste (NTS), Transportadora Associada de Gás (TAG) e Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia-Brasil (TBG). Já foram vendidas a NTS e a TAG;
• É positivo ver a Petrobras deixando a exclusividade no mercado de gás, atuando agora por parcerias, o que reduz os investimentos, liberando recursos para a redução da dívida e a aplicação em segmentos mais rentáveis.


 

Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.