Sexta alta consecutiva mais uma vez com destaque para as ações da Petrobras e de bancos

MERCADO


Bolsa

O Ibovespa encerrou a quarta-feira com alta de 0,89% aos 105.423 pontos com giro financeiro de R$ 31,6 bilhões. Foi a sexta alta consecutiva mais uma vez com destaque para as ações da Petrobras e de bancos. As bolsas internacionais operam em alta nesta quinta-feira favorecidas pelo acordo entre o Reino Unido e a Comunidade Europeia para novas negociações para o Brexit. Hoje, a agenda econômica vem carregada de dados dos Estados Unidos, com dados da construção civil, mercado de trabalho, produção industrial, etc., podendo ter impacto positivo sobre as bolsas. O petróleo opera em queda nesta manhã para os tipos WTI e Brent. Do lado doméstico, somente o IPC-Fipe semanal que veio com alta de 0,10% e a pauta política terá decisões importantes somente na próxima semana. A repercussão do megaleilão sobre as ações da Petrobras pode ter continuidade nesta quinta-feira.

Câmbio

A moeda americana cedeu um pouco ontem de R$ 4,1799 para R$ 4,1537 (-0,63%) permanecendo ainda numa faixa elevada se consideradas a média das projeções de mercado para a moeda para o final de ano, abaixo de R$ 4,00.

Juros

O mercado de juros futuros segue a reboque das expectativas em relação a taxa Selic e comportamento do dólar. Ontem a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 fechou na mínima de 4,888%, de 4,910% na terça-feira e a taxa para jan/25 caiu de 6,321% para 6,21%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

GPA – Pão de Açúcar (PCAR4)
Desempenho de vendas no 3T19

O GPA divulgou ontem o desempenho de vendas no 3T19 com crescimento de 9,5% nas vendas totais, somando R$ 14,6 bilhões. No total da receita bruta de R$ 14,57 bilhões do segmento Alimentar, o Multivarejo representou R$ 6,98 bilhões e o Assaí 6,79 bilhões no 3T19/3T18. No total de 9 meses, o faturamento foi de R$ 42,62 bilhões sendo R$ 20,98 bilhões no Alimentar e R$ 21,64 bilhões no Assaí
A despeito do cenário econômico ainda com lentidão para retomada do crescimento, os números do GPA seguem mostrando evolução, com expectativa de melhora pela sazonalidade de final de ano.


BR Properties (BRPR3)
Negociação para aquisição de imóvel na Av. BFL pelo preço de R$ 310,7 milhões

A BR Properties informou que mantém tratativas com o BTG Pactual para a aquisição de um imóvel de titularidade do Fundo de Investimento Imobiliário VBI, na Avenida Faria Lima, pelo preço de R$ 310,674 milhões.
Segundo a empresa, a aquisição desta propriedade vai ao encontro da estratégia da companhia de consolidar seu portfólio em ativos ‘Triple A’, localizados nas regiões centrais da cidade de São Paulo. Nesta semana a empresa anunciou outra importante aquisição em São Paulo.


Ser Educacional (SEER3)
Encerramento do programa de recompra de ações

Durante a vigência do programa foram adquiridas 4.230.300 ações ordinárias, representando 3,2% do total de ações emitidas, as quais foram canceladas em 09 de maio de 2019.
Após esse cancelamento, a companhia passou a ter 128.721.560 ações ordinárias. A empresa informa ainda que não fará, por enquanto, a renovação ou criação de um novo programa de recompra de ações.


Cyrela (CYRE3)
Prévia operacional do 3T19 destaca crescimento de 93,6% no VGV lançado

A Cyrela registrou um bom desempenho operacional no 3T19 e no acumulado de 9 meses, mostrando que o setor imobiliário vem confirmando os sinais de retomada da demanda.
A empresa mostrou bom crescimento em lançamentos, vendas líquidas e velocidade de vendas.


B3 S.A. (B3SA3)
Decisão favorável à companhia

Com referência ao auto de infração da Receita Federal do Brasil questionando a amortização, para fins fiscais, nos exercícios de 2012 e 2013, do ágio gerado quando da incorporação de ações da Bovespa Holding S.A. pela companhia em maio de 2008 (“Ágio”), a B3 informou que a câmara baixa do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (“CARF”) proferiu ontem (16/out) decisão favorável ao recurso apresentado pela empresa.
Segundo a opinião de nossos assessores legais, a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional pode apresentar recurso da decisão. O valor atualizado do processo, em 30 de junho de 2019, era de R$ 3,3 bilhões.


Taesa S.A. (TAEE11)
IBAMA emitiu Licença de Instalação para sua subsidiária ESTE

A Taesa comunicou que ontem (16/out) que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA emitiu a Licença de Instalação (“LI”) para sua subsidiária Empresa Sudeste de Transmissão de Energia S.A. (“ESTE”).

Com a obtenção da LI, a ESTE está autorizada a iniciar as suas obras. Trata-se de um empreendimento 100% controlado pela subsidiária Empresa Amazonense de Transmissão de Energia S.A. (“EATE”), na qual a Taesa participa em parceria com a Alupar, na proporção de 49,98% e 50,02%, respectivamente.

A ESTE apresenta uma RAP total de R$ 112,2 milhões para o ciclo 2019-2020 e um Capex Aneel de R$ 486 milhões. O empreendimento está localizado entre os Estados de Minas Gerais e Espírito Santo, com extensão aproximadamente de 236 km de linhas de transmissão. O prazo estipulado pela ANEEL para energização da ESTE é fevereiro de 2022.


Renova Energia S.A. (RNEW11)
Deferido o pedido de Recuperação Judicial

O Juízo da 2º Vara de Falências e Recuperações Judiciais da Comarca do Estado de São Paulo deferiu o processamento do pedido de recuperação judicial ajuizado pela Renova e pelas demais empresas do grupo (“Grupo Renova”), determinando, entre outras medidas: (i) a nomeação da KPMG Corporate Finance para atuar como administradora judicial; (ii) a suspensão das ações e execuções contra as empresas do Grupo Renova pelo prazo de 180 dias; (iii) a apresentação de contas até o dia 30 de cada mês enquanto perdurar o processo de recuperação judicial, sob pena de afastamento dos controladores e substituição dos administradores das empresas do Grupo Renova; (iv) a dispensa de apresentação das certidões negativas para que as empresas do Grupo Renova exerçam suas atividades; e (v) a determinação de expedição de edital, com prazo de 15 dias para apresentação de habilitações e/ou divergências de créditos no âmbito da recuperação judicial.

Com a suspensão das ações e execuções contra as empresas do Grupo Renova pelo prazo de 180 dias a companhia ganha um “fôlego” para reestabelecer seu equilíbrio econômico-financeiro e honrar os compromissos assumidos. Segundo informações de mercado, a Renova ainda trabalha pela retomada do processo de Venda do Complexo Eólico Alto Sertão III na Bahia e/ou a obtenção de capital para a retomada da construção, que já tem 85% das obras concluídas.


Copel Energia (CPLE6)
Conselho aprova a participação da Copel GT em leilão A-6 da Aneel e companhia lança o “Programa Transformação”

O Conselho de Administração da companhia deliberou, por unanimidade, aprovar a participação da Copel GeT no Leilão Aneel nº 04/2019 – “A-6” com o Complexo Eólico Jandaíra; e em caso de êxito no Leilão, autorizar as providências necessárias para constituição de SPEs.

Programa Transformação. A Copel Energia comunica que a sua subsidiária integral, Copel Distribuição, lançou ontem (16/out) um novo programa de modernização de sua rede de distribuição de energia, o “Programa Transformação”. O objetivo é aprimorar a infraestrutura, em especial na região rural, para aumentar a qualidade do fornecimento de energia e a agilidade no restabelecimento do serviço em caso de interrupções.

Com perspectiva de investimentos na ordem de R$ 2,9 bilhões até 2025, os quais deverão integrar a Base de Remuneração, o programa abrange a construção de, aproximadamente, 25 mil km de novas redes, 15 mil novos pontos automatizados e a implementação da tecnologia de redes inteligentes no estado do Paraná.


EDP Energias do Brasil (ENBR3)
Obtenção da LI da linha de transmissão da EDP Transmissão SP-MG

A EDP recebeu dia 15 de outubro de 2019, a Licença de Instalação (“LI”) do IBAMA para a empresa EDP Transmissão SP-MG S.A.

Vemos como positivo na medida em que a obtenção da LI estava prevista para até fevereiro de 2020, o que reflete uma antecipação de 4 meses do início da obra frente ao cronograma. Essa licença é referente a Linha de Transmissão LT 500 KV SE Cachoeira Paulista – SE Estreito, entre os estados de São Paulo e Minas Gerais.


Brasil Agro (AGRO3)
Ex dividendos de R$ 0,92933058/ação a partir de hoje, 17/out

Os dividendos aprovados pela companhia em AGO/E realizada ontem (16/out) no montante de R$ 50,0 milhões, equivalente a R$ 0,92933058/ação, serão pagos a partir de 14 de novembro de 2019, com base na posição acionária detidas pelos acionistas em 16 de outubro de 2019.

A partir de hoje, 17 de outubro de 2019, inclusive, as ações da companhia serão negociadas ex-dividendos. O retorno com base na cotação de R$ 18,00/ação é de 5,1%.


Randon (RAPT4)
Expectativas positivas

Estivemos ontem no 22º Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Carga (Fenatran) a convite da Randon. Além de ver uma feira muito concorrida, tivemos também a oportunidade de conversar com a administração da empresa, que se mostrou otimista tanto com ao fechamento de 2019 assim como para o 1T20.
• Na conversa com a administração da Randon, o tom foi de otimismo com as vendas do 1T20, que devem ser já totalmente “fechadas” até o final de outubro. Os negócios que estão sendo realizados na Fenatran podem ser mais que o dobro da última edição, contribuindo expressivamente para o faturamento do primeiro semestre de 2020;
• O ambiente de negócios visto pela Randon é bastante positivo, com forte crescimento nas vendas de implementos e autopeças. Isso tem permitido que a empresa não faça descontos, o que foi uma prática durante a crise.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.